BUSCA PELA CATEGORIA "BRASIL"

  • João de Deus pensou em se matar na prisão

    O médium João de Deus, de 77 anos de idade, preso desde 16 de dezembro no Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, pensou em se matar. Laudo encomendado pela defesa do médium diz que João de Deus está doente. Ele perdeu 17 quilos desde que foi preso, não cuida da higiene, anda com roupas sujas de urina e chora com frequência. “(João de Deus) só não cometeu suicídio pois ainda tem sua filha pequena e não quer morrer sem voltar a vê-la, além de não querer ‘contrariar a Deus’”, escreveu o psiquiatra Leo de Souza Machado.

    Acusado de abusar sexualmente de mais de 500 mulheres que buscavam tratamento espiritual na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO), o médium concedeu a primeira entrevista desde que foi preso em dezembro. João de Deus diz que nunca abusou sexualmente de ninguém — e conta detalhes de como tem sido sua rotina na cadeia. “Tenho vergonha de dizer, mas até para sentar na privada eu tenho dificuldade”, disse ele.(VEJA.com )



  • Bolsonaro pede

    Foto: Marcos Corrêa/PR

    O presidente Jair Bolsonaro pediu hoje (7) o “sacrifício” dos militares para que apoiem a proposta de reforma da Previdência. O projeto de lei específico para o regime das Forças Armadas deve ser enviado ainda este mês ao Congresso para tramitar junto com a reforma do sistema previdenciário geral.

    “Peço também o sacrifício porque entraremos, sim, na nova Previdência, que atingirá os militares. Mas não deixaremos de lado e não esqueceremos as especificidades do cargo de vocês. Temos um ministério firmado por pessoas comprometidas com o futuro do Brasil, que nos ajudam a conduzir essa grande nação”, disse.

    O presidente participou hoje (7) da cerimônia comemorativa dos 211 anos do Corpo de Fuzileiros Navais, na Fortaleza de São José, na Ilha das Cobras, no Rio de Janeiro.

    O governo quer aumentar o tempo de contribuição dos militares de 30 para 35 anos, assim como aumentar a alíquota única dos militares de 7,5% para 10,5%. A nova alíquota deve ser cobrada também no pagamento das pensões para dependentes de militares, benefício atualmente financiado exclusivamente pelo governo federal.

    Um ponto relativo aos militares entrou na proposta de emenda à Constituição enviada no dia 20 de fevereiro ao Congresso. O governo quer que militares temporários – que ficam até oito anos nas Forças Armadas e não prosseguem na carreira militar – contribuam para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). De acordo com o governo, os temporários correspondem atualmente a 60% do contingente militar.

    CONTINUE LENDO


  • Mangueira é a campeã do carnaval 2019 do Rio

    Foto: Rodrigo Gorosito/G1

    A Mangueira é a grande campeã do carnaval 2019 do Rio de Janeiro. A Imperatriz Leopoldinense e a Império Serrano foram rebaixadas.

    A apuração das notas, aconteceu na tarde de quarta-feira (6), diretamente da Marquês de Sapucaí.

    Para conquistar o seu 20º título, a Mangueira deu uma aula de história na Sapucaí. Mas foi uma história alternativa, com destaque para heróis da resistência negros e índios em vez dos personagens tradicionais das páginas de livros escolares.

    O enredo “História pra ninar gente grande” foi assinado pelo carnavalesco Leandro Vieira e contado em 24 alas e cinco alegorias. Em busca do título, a Mangueira exibiu uma bandeira do Brasil com as cores da escola no final do desfile.

    CONTINUE LENDO






  • Substituto de Moro vai assumir ao menos 38 ações ligadas à Lava Jato

    Luiz Antônio Bonat, de 64 anos, vai ser o responsável por assumir a posição de juiz da Operação Lava Jato no Paraná no lugar de Sérgio Moro, ex-juiz que assumiu o Ministério da Justiça no governo de Jair Bolsonaro. 

    Nascido em Curitiba, Bonat é juiz federal há 25 anos. Atualmente especializado na área previdenciária, ele também tem experiência em casos criminais: já interrogou ex-governador, apurou casos de lavagem de dinheiro e atuou na investigação de desvios no banco Banestado, nos anos 90.

    No comando da 13ª Vara Federal de Curitiba, dedicada exclusivamento aos processos da Lava Jato, Luiz Antônio Bonat vai assumir ao menos 38 ações, segundo levantamento da Folha de S. Paulo. Entre eles estão os casos de réus como os ex-ministros Antonio Palocci e Guido Mantega; os ex-deputados Eduardo Cunha e Cândido Vaccarezza; empresários como César Mata Pires Filho, sócio da OAS; ex-diretores e funcionários da Petrobras; além do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    A primeira audiência do novo juiz da Lava Jato vai acontecer nesta quinta-feira (7), quando irá conduzir o depoimento do doleiro Alberto Youssef, do empresário Ricardo Pessoa, da UTC, e de Fernando Migliaccio da Silva, da Odebrecht, numa ação que julga desvios na construção do prédio da Petrobras em Salvador.



  • Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio acumulado de R$ 80 milhões

    A Mega-Sena sorteia, nesta quarta-feira (6), o prêmio acumulado de R$ 80 milhões.

    O sorteio do concurso 2131 será realizado, a partir das 20h (horário de Brasília), no Caminhão da Sorte que está estacionado na Avenida Emílio Chechinato, na cidade paulista de Itupeva.

    As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país. O bilhete simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50.



  • Mancha Verde vence o carnaval de São Paulo pela primeira vez na história

    Foto: Reprodução

    Pela primeira vez, a Mancha Verde é a grande campeã do Grupo Especial do carnaval de São Paulo de 2019. A escola apresentou, no Sambódromo do Anhembi, o enredo Oxalá, Salve a Princesa! A Saga de uma Guerreira Negra, que retratou a beleza e a riqueza da África, mostrando o tráfico negreiro, que trouxe milhões de pessoas escravizadas para o Brasil. A princesa homenageada foi Aqualtune, avó de Zumbi dos Palmares, herói da resistência negra brasileira.

    Jorge Freitas, carnavalesco da escola, disse que o resultado positivo chegou após muita dedicação em equipe.

    “A gente trabalhou muito, ficamos tentando por muito tempo. Sempre batemos na trave, a gente nunca cansou. Passamos por cima de tudo. A gente se uniu, corrigiu nossos erros. Dinheiro não ganha carnaval, o que ganha e trabalho”, afirmou.

    “Foi muito trabalho, muita união. O dinheiro sempre ajuda, mas o ser humano tem que ser valorizado, foi um conjunto. Estamos muito felizes, vamos comemorar a noite inteira”, disse Marcos Gonçalves da Silva, diretor de harmonia.

    Integrantes da escola Dragões da Real, que conquistou o segundo lugar, também comemoraram muito e se mostraram satisfeitos com o resultado.

    “O diferencial da Dragões é que somos uma escola leve, feliz. Que desfila para fazer o espetáculo para todo mundo, sem nenhum compromisso de vitória. Uma hora ela vai chegar”, disse o presidente da escola, Renato Remondini.

    Quatorze escolas de samba desfilaram pelo grupo especial de São Paulo na última sexta-feira (1º) e no último sábado (2). Foram rebaixadas, neste ano, as escolas Tucuruvi e Vai-Vai, que disputarão no Grupo de Acesso em 2020.

    Neste ano, a Liga das Escolas de Samba de São Paulo implementou algumas mudanças. Uma delas foi a pontuação. Em vez de usar notas em décimos de 8.0 a 10, os jurados trabalharam com os décimos entre 9.0 e 10, o que deixou a disputa entre as escolas ainda mais acirrada.

    A campeã e as outras quatro escolas mais bem colocadas vão participar do desfile das campeãs na sexta-feira (8).

    CONTINUE LENDO






  • Gaviões da Fiel apresenta enredo em que o 'diabo vence Jesus' e gera revolta nas redes sociais

    A escola de samba da Gaviões da Fiel encerrou o segundo dia de apresentações dos desfiles do carnaval de São Paulo com uma apresentação que gerou revolta nas redes sociais.

    Com o título "A saliva do santo e o veneno da serpente", o enredo apresentou alusões a demônios e teve até uma encenação na qual personagens representavam "o diabo derrotando Jesus".

    Ao saber da apresentação, internautas repudiaram o conteúdo do enredo, apontando, sobretudo as cenas envolvendo Jesus e o diabo como um desrepeito à fé alheia.

    "Que afronta a Deus! Gálatas 6:7 de Deus não se zomba tudo o que o homem semear colherá!", comentou um internauta no Facebook.

    Ao saber da apresentação, internautas repudiaram o conteúdo do enredo, apontando, sobretudo as cenas envolvendo Jesus e o diabo como um desrepeito à fé alheia.

    "Que afronta a Deus! Gálatas 6:7 de Deus não se zomba tudo o que o homem semear colherá!", comentou um internauta no Facebook.

    "Essas pessoas estão cegas,que a misericórdia de Deus possam alcança las um dia. O meu Jesus vive e reina. Satanás não tem nem a chave da casa dele. Apocalipse 1.18: 'E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno", comentou outra internauta.

    psicóloga paranaense e cristã, Marisa Lobocondenou consistentemente o enredo da Gaviões e reforçou seu apoio ao fim das verbas públicas destinadas ao carnaval.

    "O que a Gaviões da Fiel fez contra meu Salvador Jesus Cristo é um escárnio. Desejo que esses demônios sejam derrotados, essa escola de samba não imagina o mal que fez a si mesma e vai receber os frutos, pois amaldiçoou toda sua história, se deixando usar pelo demônio dessa forma vil . Não gosto de carnaval, e a #GaviõesdaFiel, me confirmou o porquê, tem gente que faz do carnaval a casa do diabo", afirmou.

    "Tirando a parte espiritual do escárnio, das provocações, é raro encontrar uma escola que não use o carnaval para discriminar e ofender a fé Cristã e a nós cristãos, mas creio que dessa vez, passaram de todo limite, o ódio cegou todos os responsáveis e participantes. O mundo odeia aos cristão, nosso símbolo maior, a pessoa de Jesus foi terrivelmente ofendida, eu me sinto ofendida. Jesus não se importa com isso, mas nós sim, é nosso Deus e não podemos nos calar", acrescentou, finalizando sua publicação com a citação da passagem bíblica de Romanos 16:20: "Em breve o Deus da paz esmagará Satanás debaixo dos pés de vocês. A graça de nosso Senhor Jesus seja com vocês".

    Segundo o artigo 208 do Código Penal (Decreto Lei 2848/40), "Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso" é considerado crime, com pena prevista de "detenção, de um mês a um ano, ou multa".

    CONTINUE LENDO


  • Justiça autoriza Lula a deixar a prisão para ir ao velório do neto em SP

    Foto: Reprodução G1

    A Justiça Federal autorizou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a ir ao velório do neto. Arthur Lula da Silva, de 7 anos, morreu nesta sexta-feira (1º) vítima de meningite meningocócica, em São Paulo.

    Em nota, a Justiça Federal informou que a íntegra da decisão não será divulgada:

    "Foi autorizada a participação de Lula no velório e que, a fim de preservar a intimidade da família e garantir não apenas a integridade do preso, mas a segurança pública, os detalhes do deslocamento serão mantidos em sigilo".

    O processo de execução penal do ex-presidente está sob sigilo. Mais cedo, o Ministério Público Federal deu parecer favorável à saída.

    O velório do corpo de Arthur teve início por volta das 22h no Cemitério Jardim da Colina, em São Bernardo do Campo.

    O pedido feito pela defesa citava o artigo 120 da Lei de Execução Penal, que diz que "os condenados que cumprem pena em regime fechado ou semiaberto e os presos provisórios poderão obter permissão para sair do estabelecimento, mediante escolta, quando ocorrer falecimento ou doença grave do cônjuge, companheira, ascendente, descendente ou irmão".

    Na petição, a defesa de Lula se compromete "a não divulgar qualquer informação relativa ao trajeto que será realizado". O velório ocorre a partir da noite desta sexta no cemitério Jardim da Colina, em São Bernardo do Campo (SP).

    O ex-presidente está preso em uma sala especial na Polícia Federal (PF) desde 7 de abril de 2018.

    CONTINUE LENDO






  • ANS suspende comercialização de 46 planos de saúde

    Foto: Reprodução

    A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) suspendeu hoje (1º) a comercialização de 46 planos de saúde. A medida, que tem caráter temporário, passa a valer a partir de 11 de março. Juntos, os planos atendem a quase 570 mil pessoas.

    A decisão foi tomada a partir de resultados trimestrais do Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento, responsável pelo acompanhamento de desempenho do setor para proteção de beneficiários. De acordo com a agência, foram registradas diversas reclamações sobre cobertura, prazo e rede de atendimento dos planos operados por 13 empresas.

    O objetivo da agência reguladora é garantir a assistência dos atuais beneficiários desses serviços. Os planos suspensos só poderão voltar a ser comercializados quando as operadoras corrigirem falhas e comprovarem as melhorias.

    "É uma medida que amplia a proteção ao beneficiário da operadora, já que não haverá ingresso de mais contratantes, ao passo que impede que novos consumidores contratem um plano que demande ajustes por parte da empresa", afirmou o diretor de Normas e Habilitação dos Produtos, Rogério Scarabel.

    Paralelamente, a ANS liberou a comercialização de sete planos de saúde de duas operadoras que estavam suspensas em decisões anteriores. A data de retomada das vendas desses serviços também foi marcada para o próximo dia 11.

    CONTINUE LENDO


  • Bolsonaro diz que vai atuar para restabelecer democracia na Venezuela

    Foto: Divulgação

    Depois da reunião no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro manifestou publicamente seu apoio ao presidente autodeclarado interino da Venezuela, Juan Guaidó. Em declaração à imprensa, na tarde de hoje (28), Bolsonaro afirmou que o Brasil vai atuar, dentro da legalidade, para restabelecer a democracia no país vizinho.

    “Nós não pouparemos esforços dentro da legalidade, da nossa Constituição e das nossas tradições para que a democracia seja restabelecida na Venezuela. E isso só será possível com eleições limpas e confiáveis. Nos interessa uma Venezuela livre, próspera e economicamente pujante”, disse o presidente.

    acontecendo na Venezuela hoje. Essa esquerda gosta de tanto de pobre que acabou multiplicando-os, e a igualdade buscada por eles foi por baixo. Queremos uma igualdade para cima, na prosperidade”, afirmou.

    O presidente brasileiro pediu permissão para chamar Guaidó de “irmão” e afirmou que continuará apoiando as decisões do Grupo de Lima em favor da mudança de política no país vizinho, “por liberdade e democracia”. Ao final de seu pronunciamento, apertou a mão do colega.

    Em seu pronunciamento, o presidente autoproclamado da Venezuela – que é o presidente da Assembleia Nacional, equivalente ao Congresso Nacional venezuelano, – agradeceu o apoio do governo brasileiro na ajuda humanitária ao país vizinho e classificou o encontro com Bolsonaro como um marco no resgate das relações entre os dois países.

    “É um marco para resgatar um relacionamento positivo que beneficie nossa gente. Na Venezuela, estamos lutando por eleições livres, no marco da Constituição, democráticas”, afirmou o líder opositor, reconhecido por mais de 50 países, incluindo o Brasil, como presidente legítimo do país.

    CONTINUE LENDO


  • MPF arquiva investigação sobre morte de Eduardo Campos sem determinar a causa exata do acidente

    Foto: Paulo Whitaker/Reuters

    O Ministério Público Federal (MPF) arquivou o inquérito policial sobre o acidente aéreo que matou o ex-governador de Pernambuco e candidato à presidência da República Eduardo Campos e mais seis pessoas, em Santos, no litoral de São Paulo. Campos viajava para cumprir agenda de campanha quando o avião caiu em uma área residencial, em agosto de 2014.

    Em agosto de 2018, a Polícia Federal concluiu o inquérito e apresentou quatro causas possíveis do acidente: colisão com um elemento externo, desorientação espacial, falha de profundor e falha de compensador de profundor. O inquérito foi remetido ao Ministério Público.

    Nesta quarta-feira (27), o Ministério Público Federal divulgou que, apesar de diversas perícias e diligências realizadas pela Polícia Federal, não foi possível determinar a causa exata da queda da aeronave, tampouco definir os responsáveis pelos crimes. As quatro hipóteses indicadas pela Polícia Federal não puderam ser comprovadas ou ter sua probabilidade quantificada. Apenas uma delas pode ter ocorrido ou várias de forma combinada.

    Segundo o MPF, foi impossível determinar a causa exata do acidente por conta da inoperância ou ausência de equipamentos na cabine de comando do avião. O gravador de vozes, que poderia registrar diálogos ocorridos no momento do acidente, de modo a esclarecer eventual falha mecânica ou humana, não estava funcionando. A última gravação feita pelo equipamento foi em janeiro de 2013, mais de um ano antes do desastre.

    Além disso, a falta de gravador de dados de voo também interferiu negativamente no andamento das investigações. Atualmente, a instalação do equipamento não é exigida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em aviões de pequeno porte, como o que levava o ex-governador.

    Diante dessa situação, o procurador da República Thiago Lacerda Nobre, responsável pelo caso, resolveu arquivar o inquérito. Ele explicou que, para que houvesse a responsabilização penal, era preciso a exata definição dos responsáveis, não bastando indícios genéricos.

    “Infelizmente, em razão da inexistência de meios técnicos, é provável que nunca saibamos o que ocorreu com a aeronave em seus últimos instantes e que acabou por determinar sua queda”, disse, por meio de nota.

    A íntegra do inquérito policial foi juntada aos autos do procedimento cível instaurado pelo MPF para apurar o desastre aéreo e também serviu para embasar recomendações feitas à Anac, ao Cenipa e à Base Aérea de Santos, no início de fevereiro deste ano.

    A cópia da investigação será disponibilizada às vítimas para que ingressem individualmente com eventuais medidas judiciais e ressarcimento dos prejuízos sofridos. As vítimas poderão utilizar os elementos colhidos na investigação nas ações indenizatórias.

    CONTINUE LENDO






  • Justiça arquiva processo contra Haddad por corrupção e lavagem de dinheiro

    Foto: Reprodução

    O Tribunal de Justiça de São Paulo arquivou, nesta quarta (27), a ação penal contra o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e corrupção passiva.

    Em setembro do ano passado, o Ministério Público havia denunciado Haddad por suspeita de pedir R$ 2,6 milhões à construtora UTC Engenharia para pagamento de dívidas de campanha.

    Segundo a denúncia, o pedido de recursos ao ex-presidente da UTC Ricardo Pessoa, entre abril e maio de 2013, foi feito por meio do então tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, que pretendia obter inicialmente R$ 3 milhões para o pagamento de trabalhos feitos à campanha por uma gráfica que pertencia ao ex-deputado estadual Francisco Carlos de Souza, conhecido como “Chicão”.

    De acordo com o voto do relator, o desembargador Vico Mañas, é “descabido falar em ‘perspectiva’ de benefícios oriundos do executivo municipal, ausência de notícias de favorecimento à empreiteira no período.”

    Os advogados Igor Tamasauskas, Pierpaolo Botini e Leandro Raca pediram o trancamento da ação alegando que o ex-prefeito “sofre constrangimento ilegal em razão do indevido recebimento de denúncia por suposta incidência do artigo 317 do Código Penal.”

    O relator explica ainda que Haddad cancelou “contrato de construção de túnel estipulado com a UTC, em fevereiro de 2013.”

    CONTINUE LENDO






  • Confiança da Indústria atinge maior nível desde agosto, mostra FGV

    O Índice de Confiança da Indústria, medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), subiu 0,8 ponto de janeiro para fevereiro deste ano e chegou a 99 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos. Esse é o maior nível do indicador desde agosto do ano passado.

    Segundo a FGV, essa segunda alta do ano da confiança do empresário da indústria mostra que o índice se aproxima dos 100 pontos e indica que o setor começa a se afastar do fraco desempenho do segundo semestre de 2018.

    A confiança subiu em 12 dos 19 segmentos industriais pesquisados. O Índice da Situação Atual, que mede a confiança do empresário no momento presente, avançou 1,8 ponto, para 98,8 pontos. A avaliação sobre o nível atual dos estoques subiu 4,7 pontos.

    Já o Índice de Expectativas (IE) recuou 0,3 ponto, para 99,2 pontos. A expectativa dos empresários em relação à evolução da situação dos negócios nos seis meses seguintes recuou 2,4 pontos.

    O Nível de Utilização da Capacidade Instalada subiu 0,4 ponto percentual em fevereiro, para 74,7%, a primeira alta desde setembro de 2018.

    CONTINUE LENDO






  • Declaração do IR deve ser entregue entre 7 de março e 30 de abril

    Foto: Reprodução

    A Declaração de Imposto da Pessoa Física deve ser entregue entre 7 de março e 30 de abril de 2019, pela Internet. As regras para a entrega da declaração anual estão em Instrução Normativa da Receita Federal, publicada hoje (22) no Diário Oficial da União.

    Está obrigada a apresentar a declaração a pessoa física residente no Brasil que, no ano-calendário de 2018 tenha recebido rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma foi superior a R$ 28.559,70 ou tenha recebido rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil.

    Deve declarar ainda quem obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos sujeito à incidência do imposto ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; quem passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro ou quem optou pela isenção do Imposto sobre a Renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda.

    CONTINUE LENDO


  • Desemprego é o maior em 7 anos em 13 capitais do país, diz IBGE

    A taxa média de desocupação em 2018 foi a maior dos últimos sete anos em 13 capitais do país. Dezenove capitais tiveram índice de desemprego maior que a média nacional de 12,3% no ano passado. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (22).

    Florianópolis, Campo Grande e Goiânia foram as capitais com a menor taxa de desemprego apurada em 2018. Macapá, Manaus e Maceió foram as com o maior índice de desocupação. Apesar de ser a segunda capital com maior índice de desemprego, Manaus não está entre as capitais com recorde em 2018 porque a taxa caiu de 20,2% em 2017 para 18,1% em 2018. Já Salvador foi a capital com maior crescimento na taxa, de 14,9% pra 16,1%. No entanto, o recorde da capital baiana foi em 2016, com 17,1%.