BUSCA PELA CATEGORIA "BRASIL"

  • MPF denuncia Wesley Batista por uso de informações privilegiadas

    Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

    O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o empresário Wesley Batista, um dos donos do grupo J&F, pelo crime de insider trading (uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro).

    Segundo a denúncia, Wesley comandou operações cambiais das companhias Seara Alimentos e Eldorado Celulose, em maio de 2017, quando o acordo de colaboração premiada que ele e o irmão Joesley Batista firmaram com o MPF estava sob sigilo. Após a divulgação das delações, o dólar teve alta expressiva de 9%, a maior elevação diária em 14 anos, o que rendeu ao empresário R$ 70 milhões em contratos negociados dias antes.

    Relatórios periciais da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e da Procuradoria-Geral da República (PGR) demonstraram a “atipicidade” das transações. A Eldorado adquiriu contratos de dólar a termo nos dias 9 e 16 de maio no valor total de US$ 280 milhões, o triplo de todo o lucro obtido pela empresa no ano anterior.

    A Seara efetuou a compra de dólar futuro no valor de US$ 25 milhões entre os dias 10 e 16 daquele mês, quantia 50 vezes superior à média das operações que a empresa fazia no mercado cambial desde o segundo semestre de 2016. As datas coincidem com o acordo de colaboração premiada, no início de maio, e a divulgação de seu teor, no dia 17.

    Os promotores encontraram mensagens de texto em celular trocadas entre Wesley e funcionários que comprovam que o empresário era o mandante das ações. Os irmãos Batista respondem pela prática do mesmo crime em outra ação penal, na venda e recompra de ações da JBS e contratos de dólar.

    CONTINUE LENDO






  • Justiça aceita denúncia contra Temer, Eliseu Padilha e Moreira Franco

    Foto: Reprodução

    A Justiça Federal em Brasília aceitou hoje (6) denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-presidente Michel Temer pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça. Os ex-ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco também fazem parte da denúncia. Com a decisão, todos passam à condição de réus no processo.

    O MPF sustenta que Temer e parlamentares do PMDB participaram de um suposto esquema de corrupção envolvendo integrantes do partido na Câmara dos Deputados com objetivo de obter vantagens indevidas em órgãos da administração pública. Parte das acusações foi baseada nos depoimentos de delação de Joesley Batista e Ricardo Saud, ex-executivos do grupo J&F.

    Em 2017, a denúncia foi apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot. No entanto, o Congresso não concedeu o aval para prosseguimento da denúncia, que ficou suspensa até 1º de janeiro, quando Temer saiu da Presidência e o caso foi enviado para a primeira instância da Justiça Federal.







  • Ministério do Meio Ambiente quase zera verba de combate à mudança climática

    BRASÍLIA - Na área ambiental, as intervenções contra o aquecimento global estão entre as mais afetadas pelo bloqueio de recursos feito na semana passada pelo governo federal - que também atingiu outras áreas, como a Educação. Dos R$ 11,8 milhões que seriam usados neste ano na Política Nacional sobre Mudança do Clima, para atender a compromissos assumidos pelo Ministério do Meio Ambiente, R$ 11,3 milhões foram contingenciados (96%), sobrando apenas R$ 500 mil.

    Como o Estado adiantou na semana passada, os repasses ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), inicialmente previstos em R$ 368,3 milhões, foram reduzidos para R$ 279,4 milhões - um corte de 24%, que não havia sido detalhado. Só que a faca também atingiu as operações do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), além de programas do próprio MMA.

    Os efeitos dos cortes já são sentidos pela agenda de projetos ligados à área do clima. Um exemplo é o programa ProAdapta, um acordo de cooperação firmado entre o Ministério do Meio Ambiente e o governo da Alemanha. Pelo compromisso, o governo alemão injetou 5 milhões de euros na iniciativa. O Brasil entraria com a contrapartida de 2 milhões de euros. Umas das ações desse projeto, realizada em Salvador, prevê a recuperação de áreas de encostas afetadas por chuvas ou aumento do nível do mar. “As ações tiveram início do lado alemão, mas do lado brasileiro pararam”, afirmou ao Estado uma fonte que lida diretamente com o programa.

    Outro projeto que ficou “no limbo” diz respeito a uma parceria firmada com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A ideia era fazer um diagnóstico em todos os Estados do País, a partir de situação socioeconômica e de estrutura para enfrentamento de desastres associados a mudanças climáticas, com o propósito de estabelecer prioridades de ações. A Fiocruz chegou a fazer esse trabalho em seis Estados, mas agora será paralisado. Segundo a mesma fonte, o contrato estava pronto e só precisava ser assinado.

    Resíduos sólidos

    Outra área muito afetada foi a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que trata de reciclagem de lixo, por exemplo. Dos R$ 7,7 milhões previstos no orçamento original, restou R$ 1,3 milhão, uma redução de 83%. No Ibama, a área de licenciamento ambiental, um dos setores mais demandados dentro do órgão, por causa dos empreendimentos de infraestrutura, sofreu uma queda de 43% em seus recursos. Nem as ações de combate a incêndios florestais, que nos últimos anos têm afetado diversas regiões, foram poupadas. No ICMBio, 20% dos recursos voltados para prevenção e combate a incêndios acabaram cortados.

    Os órgãos, sob o comando do ministro Ricardo Salles, ainda não sabem como farão para se resolver sem os recursos. A Política Nacional sobre Mudança do Clima (PNMC), por exemplo, foi instituída em 2009 por meio de uma lei (12.187), com o objetivo de garantir que o desenvolvimento econômico e social do País contribua, paralelamente, com a proteção climática. Trata-se de um compromisso assumido pelo Brasil com a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima. Esse acordo prevê, por exemplo, a redução de emissões de gases de efeito estufa entre 36% e 39% até 2020.

    O tema do aquecimento global, no entanto, tem sido encarado como uma discussão política pelo governo Bolsonaro. Em janeiro, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirmou que as mudanças climáticas são uma “trama marxista”. O próprio ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, chegou a classificar a discussão sobre aquecimento global como algo “secundário”.

    Repercussão

    O professor Carlos Nobre, pesquisador do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (USP), criticou o corte na área, que chama de “enorme retrocesso”. “A pauta não é mais de interesse, como era desde 1992, com todos os governos que tivemos, com vários partidos políticos. Havia uma continuidade cada vez maior da participação do Brasil em discussões de políticas globais”, diz ele. Segundo o professor, o Ministério da Ciência e Tecnologia continua com ações envolvendo o tema, assim como o da Agricultura. “Mas o Ministério do Meio Ambiente é o que pode ter um olhar para todos os setores, de forma transversal.”

    A reportagem tentou repercutir o assunto com o ministério, com o Ibama, com o ICMBio e com o próprio ministro Ricardo Salles desde quinta-feira. Não houve nenhuma resposta. Ibama e ICMBio só têm se manifestado após o aval do ministério. / COLABOROU PRISCILA MENGUE

    SOB BLOQUEIO

    Ações da Política Nacional sobre Mudança do Clima

    Corte de 96% do previsto - R$ 11,3 milhões.

    Ações da Política Nacional de Resíduos Sólidos

    Corte de 83% - R$ 6,4 milhões.

    Ibama

    Gestão do uso sustentável da biodiversidade

    Corte de 47% - R$ 18,7 milhões.

    Construção da sede de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais

    Corte de 50% - R$ 1,08 milhão.

    Licenciamento ambiental federal

    Corte de 43% - R$ 3,3 milhões.

     

    ICMBio

    Apoio à criação e gestão das unidades de conservação

     

    Corte de 26% - R$ 45 milhões

    Administração da unidade sede

    Corte de 22% - R$ 15,1 milhões

    Pesquisa e conservação de espécies e do patrimônio espeleológico

    Corte de 19% - R$ 3,6 milhões bloqueados

    Prevenção e combate a incêndios florestais

    Corte de R$ 5.482.012

    20% do orçamento previsto

    CONTINUE LENDO


  • Governo autoriza IBGE contratar 234 mil temporários para o Censo 2020

    O governo federal publicou nesta segunda-feira (6) portaria que autoriza o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a contratar até 234.416 trabalhadores temporários para trabalhar no Censo Demográfico 2020.

    Segundo a portaria do Ministério da Economia, os profissionais poderão ser contratados a partir de janeiro de 2020, mediante processo seletivo cujo edital deverá ser publicado em até 6 meses.

    O prazo de duração dos contratos será de 1 ano, mas poderão ser prorrogados, com base nas necessidades de conclusão das atividades. O valor das remunerações serão definidos pelo IBGE.

    "As contratações de que trata o art. 1º somente serão formalizadas mediante disponibilidade de dotações orçamentárias específicas, observando-se os demais requisitos previstos na Lei nº 8.745, de 1993", acrescenta a portaria.







  • Produção de petróleo cresce 2,8% de fevereiro para março

    Foto: Reprodução

    A produção de petróleo no país cresceu 2,8% na passagem de fevereiro para março, segundo boletim mensal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). No total, foram produzidos 2,56 milhões de barris de óleo por dia. Na comparação com março de 2018, também houve alta, mas mais modesta, de 0,1%.

    Desse total, 1,54 milhão de barris foram produzidos a partir de óleo retirado da camada pré-sal, ou seja, 60,15% da produção nacional. O resultado é 6% superior ao registrado em fevereiro desse ano e 11% ao registrado em março do ano passado.

    Já em relação ao gás natural, a produção nacional chegou 111 milhões de metros cúbicos por dia, 1,2% a mais do que em fevereiro e 4,2% a mais do que em março de 2018. Apenas no pré-sal, foram produzidos 62,7 milhões de metros cúbicos por dia, 56,49% do total.

    O aproveitamento do gás natural no Brasil alcançou 94,7% do total produzido. A queima de gás totalizou 5,9 milhões de metros cúbicos por dia.

    Somando-se o gás e o petróleo, o Brasil produziu 3,26 milhões de barris de óleo equivalente. Os principais campos produtores foram Lula, na Bacia de Santos, que produziu, em média, 909 mil barris de petróleo (35,5% do total nacional) e 38 milhões de metros cúbicos de gás (34,23% da produção do país) por dia.

    Os campos operados pela Petrobras foram responsáveis por 94,9% da produção total de petróleo e gás natural no Brasil.







  • Justiça homologa indenizações individuais de vítimas de Brumadinho

    O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) homologou os primeiros acordos de indenizações individuais em favor de vítimas do rompimento da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais. Intermediados pela Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG), os acordos possibilitam maior celeridade para o pagamento de indenizações, sem prejudicar eventuais direitos que porventura venham a ser reconhecidos em ação coletiva futura.

    A partir da homologação do acordo, feita ontem (2), a Vale terá cinco dias para depositar o dinheiro na conta dos beneficiários. Os valores das indenizações, bem como outros detalhes do termo de compromisso, não foram divulgados sob a justificativa de preservar a segurança e a privacidade dos atingidos.

    Firmados por meio de termo de compromisso celebrado entre a Defensoria e a Vale - empresa responsável pela barragem localizada no córrego Mina do Feijão - os acordos foram firmados “com o objetivo de agilizar o pagamento de indenizações extrajudiciais, individuais ou por núcleo familiar, por danos materiais e morais, aos atingidos pelo rompimento da barragem”, informou a DPMG por meio de nota.

    “De acordo com o termo, não serão descontados da indenização pecuniária tratada nos acordos valores recebidos pelo atingido a título de pagamento emergencial acertado na audiência de 20 de fevereiro deste ano, ou doações recebidas da Vale – emergenciais ou de caráter alimentar”, acrescenta a nota.

    CONTINUE LENDO


  • STJ prorroga internação médica de João de Deus

    O ministro Nefi Cordeiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), prorrogou por mais 30 dias o prazo de internação do médium João de Deus, no Instituto de Neurologia de Goiânia. No mês passado, o médium foi autorizado a deixar a prisão para fazer tratamento médico.

    Ele estava preso preventivamente desde 16 de dezembro do ano passado pelas acusações de violação sexual mediante fraude e de estupro de vulnerável, crimes que teriam sido praticados contra centenas de mulheres na instituição em que atendia pessoas em busca de tratamento espiritual, em Abadiânia, Goiás.

    O ministro atendeu a um pedido da defesa de João de Deus, que tem problemas de pressão arterial e um "aneurisma da aorta abdominal com dissecção e alto risco de ruptura", segundo os advogados.



  • Ninguém acerta Mega-Sena e prêmio vai a R$ 140 milhões

    Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.147 da Mega-Sena, realizado na noite desta quinta (2) em São Paulo (SP). O prêmio acumulou.

    Veja as dezenas sorteadas: 17 - 19 - 37 - 41 - 42 - 49.

    A quina teve 366 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 28.739,81. Outras 28.045 apostas acertaram a quadra; cada uma receberá R$ 535,81.

    O próximo concurso (2.148) será no sábado (4). O prêmio estimado é R$ 140 milhões.







  • Começam hoje inscrições para o processo seletivo do Sisu

    Foto: Reprodução

    A partir de hoje (2), instituições públicas de educação superior já podem aderir à edição do segundo semestre de 2019 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O prazo para formalização da adesão vai até as 23h59 do dia 10 de maio e deve ser feita exclusivamente pela página eletrônica do Sisu Gestão.

    O Sisu é um sistema informatizado do Ministério da Educação pelo qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas a candidatos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Podem concorrer às vagas do segundo semestre deste ano estudantes que fizeram o Enem 2018 e obtiveram nota acima de zero na prova de redação.

    Os candidatos se inscrevem no processo seletivo em até duas opções de vaga, especificando, em ordem de preferência, as opções em instituição de educação superior participante, com local de oferta, curso e turno, e a modalidade de concorrência. Serão considerados selecionados os classificados dentro do número de vagas ofertadas em cada curso, por modalidade de concorrência.



  • Mega-Sena acumulada em R$ 125 milhões tem sorteio excepcional nesta quinta-feira (2)

    A Mega-Sena atingiu o incrível prêmio de R$ 125 MILHÕES no sorteio do último sábado (27). Acumulada há onze concursos, trata-se do maior prêmio da loteria no ano e um dos maiores da história da Mega-Sena, lançada em 1996. Se aplicado na poupança, o valor pode render impressionantes R$ 464 mil por mês. Dá pra passar o resto da vida sorrindo!

    Por conta do feriado do Dia do Trabalhor, 1º de maio, o sorteio da loteria acontece excepcionalmente nesta quinta-feira (2). Através do Sorte Online, os apostadores poderão registrar os seus jogos inclusive no feriado e até 1 hora antes do sorteio, que acontece a partir das 20h (horário de Brasília).
     

    Como apostar na Mega-Sena

    Para apostar na Mega-Sena, basta selecionar de 6 a 15 números dos 60 disponíveis. Quanto mais dezenas o apostador escolher, 

    maiores são as suas chances de ganhar. Leva o prêmio máximo quem acertar as seis dezenas sorteadas. As apostas que fizerem cinco (quina) ou quatro (quadra) pontos também são premiadas com um valor correspondente a 19% da arrecadação da loteria para cada faixa.

    O valor da aposta simples através do Sorte Online é de R$ 4,75. O site também oferece dezenas de bolões que aumentam matematicamente as chances de premiação. As cotas podem ser adquiridas por valores a partir de R$ 10,00.

    Sobre o Sorte Online

    O Sorte Online é o site pioneiro em loterias na internet. Há 15 anos, facilita a vida do apostador oferecendo a opção de apostar nas loteriais oficiais sem precisar enfrentar filas, através do computador ou celular.

    Centenas de apostadores já foram premiados através do Sorte Online. No total, o site já repassou mais de R$ 80 MILHÕES em prêmios, incluindo loterias especiais como a Quina de São João e Lotofácil da Independência.(SorteOnline)

    CONTINUE LENDO


  • Casos de dengue crescem 339% no Brasil em 2019; quase mil cidades têm risco de surto

    Foto: Raul Santana/Fundação Oswaldo Cruz/Divulgação

    O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira (30) novos dados sobre dengue, zika e chikungunya. Até o dia 13 de abril de 2019, foram 451.685 casos prováveis da doença registrados, um aumento de 339% dos casos de dengue registrados.

    Ainda segundo o novo boletim do ministério, 994 municípios apresentam alto índice de infestação, com risco de surto para dengue, zika e chikungunya.

    Rodrigo Said, Coordenador Geral dos Programas Nacionais de Controle e Prevenção da Malária e das Doenças Transmitidas pelo Aedes, informou durante coletiva de imprensa que a maioria dos casos está na região sudeste, principalmente em São Paulo e Minas.

    "O ano de 2019 tem sido caracterizado pelo aumento de casos. O cenário geral para dengue são de 451.685 casos prováveis da doença. Sendo 65% dos casos registrados na região sudeste, principalmente pelo nas regiões de São Paulo e Minas Gerais", disse em entrevista coletiva. Segundo ele, os casos prováveis são os que foram notificados e levam em conta os casos já descartados.







  • Petrobras aumenta preço da gasolina em 3,5% nas refinarias; maior valor em 6 meses

    Foto: Destaque Bahia

    A Petrobras informou que o preço médio do litro gasolina nas refinarias vai subir 3,5%, para R$ 2,045, a partir desta terça-feira (30). É o maior patamar desde 23 de outubro do ano passado (R$ 2,0639).

    O preço do litro do diesel segue estável em R$ 2,2470.

    O preço médio da gasolina não mudava desde 23 de abril. A Petrobras reduziu a frequência de reajustes na gasolina. Para evitar perdas, tem utilizado mecanismo de proteção financeira (conhecido como hedge) que permite aumentar os intervalos de reajustes nos preços da gasolina nas refinarias em até 15 dias.

    O repasse do reajuste ao consumidor final, nos postos, irá depender de uma série de variáveis, como a margem de revendedores e distribuidores, de impostos e da mistura obrigatória de biocombustível.







  • Menos de 1/5 dos presos trabalha no Brasil; 1 em cada 8 estuda

    Foto: Divulgação

    Menos de um em cada cinco presos (18,9%) trabalha hoje no país. O percentual de presos que estudam é ainda menor: 12,6%. É o que mostra um levantamento do G1 dentro do Monitor da Violência, uma parceria com o Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da USP e com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

    Os dados, coletados junto aos governos dos 26 estados e do Distrito Federal, expõem uma das principais falhas no sistema penitenciário: a da ressocialização dos presos no Brasil.

    Um ano após uma ligeira queda na superlotação, os presídios brasileiros voltaram a registrar um crescimento populacional sem que as novas vagas dessem conta desse contingente. O percentual de presos provisórios também voltou a crescer.

    Levando em conta os 737.892 presos do sistema (incluindo os em regime aberto), 139.511 exercem algum tipo de atividade laboral. São 92.945 os que estudam.

    Foto: Danilo Pousada Globonews

    “A sociedade e o estado esperam que o preso saia e recomece a vida longe do crime, mas a ele não é dado, durante todo o tempo que permanece no cárcere, nenhuma perspectiva, muitas vezes, de estudo e de trabalho”, afirma Maíra Fernandes, coordenadora do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais do Rio de Janeiro e ex-presidente do Conselho Penitenciário do Estado.

    “Como é que a pessoa vai virar a página da sua vida e recomeçar se ela não sabe um ofício, muitas vezes nunca teve um trabalho lícito antes? Sem dúvida que se houvesse nos presídios não só uma perspectiva de trabalho, mas de formação profissional, a pessoa podia sair dali já tendo meios de se reinserir no mercado de trabalho”, diz. “A população prisional é cada vez mais jovem, e dar uma oportunidade pode fazer, sim, com que esse jovem saia do mundo do crime.”

    O Ceará é o estado com o menor percentual de presos trabalhando: apenas 1,4%. O Rio de Janeiro aparece logo depois: 1,7%. Já Sergipe é o que possui o maior contingente exercendo alguma atividade: 37,2%.

    A Secretaria da Administração Penitenciária do Ceará informa que, desde o início deste ano, o sistema penitenciário cearense passa por uma profunda reestruturação, desde mudanças práticas de funcionamento até a modificação e melhoria estrutural das suas unidades prisionais.

    “Passada a fase inicial do processo, a SAP dedica seus esforços para os serviços de educação e qualificação profissional aos internos do sistema. Em aproximadamente 90 dias já construímos novas salas de aula e conseguimos estabelecer ensino de alfabetização, fundamental e médio a cerca de 1.900 internos. Até o fim deste semestre dobraremos esse efetivo de alunos. Ainda neste mês de abril e começo do mês de maio, lançaremos dois programas que inserem indústrias de peso para o trabalho dos detentos e uma parceria com Senai e Senac, que deve qualificar profissionalmente mais de 4 mil presos até o fim de 2019”, afirma.

    Unidade de referência no Brasil

    O Paraná é um dos estados com o maior percentual de presos que estudam (36,3%) e que trabalham (30,7%). Na Unidade de Progressão do Complexo Penitenciário de Piraquara, por exemplo, todos os presos estudam e trabalham. São cerca de 300 detentos na unidade, que tem apenas dois anos e já virou referência no país.

    Para ser admitido no local, o preso não pode ter cometido crimes violentos. Além disso, a ficha criminal é analisada e passa pela avaliação de uma equipe multidisciplinar.

    Ao trabalhar e estudar, o detento consegue reduzir a pena e também ganha um salário mínimo. Parte do valor pode ser destinado à família dele, fora do presídio. No local, existe uma biblioteca que é organizada pelos próprios presos. A cada livro lido, há quatro dias de remição de pena. A taxa de reincidência dos presos que saem do local é de apenas 5%.

    CONTINUE LENDO


  • Exercício de força controla diabetes em obesos, segundo pesquisa

    Foto: Divulgação

    Exercícios de força, como a musculação, reduzem a gordura acumulada no fígado e melhoram o controle da glicemia em pessoas obesas e diabéticas mesmo em um curto período de atividade física. O estudo da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) mostra que os ganhos com a prática de exercícios ocorre antes da perda de peso. Os resultados da pesquisa, apoiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), foram publicados no periódico Journal of Endocrinology.

    Pesquisadores do Laboratório de Biologia Molecular do Exercício (LaBMEx) fizeram experimentos com camundongos. Os animais foram submetidos a treinos de força moderado durante 15 dias e, depois desse período, foi possível constatar uma melhora na “queima” dos lipídeos, o que contribui para o tratamento da doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA), popularmente conhecida como gordura no fígado.

    “Muitos estudos sobre exercícios aeróbios submetem os animais ou os humanos a um período significativo de exercício físico. Consequentemente a esse protocolo de exercícios ocorre a redução do peso corporal, então uma pergunta emerge: o que melhorou o fígado? Foi o exercício físico ou foi porque ele reduziu tecido adiposo?”, dissed Leandro Pereira de Moura, professor da Faculdade de Ciências Aplicadas da Unicamp e coordenador da pesquisa.

     

    Moura disse que esse estudo avançou no entendimento da influência direta do exercício físico no fígado, especificamente relacionado ao acúmulo de gordura. Ele explica que em situações de repouso o fígado é o principal órgão responsável para fazer glicose e, quando o corpo volta a consumir fontes de energia, como o carboidrato, o pâncreas envia uma comunicação ao fígado, por meio da insulina, de que não é mais necessário produzir glicose.

    “Quando o indivíduo é obeso, ele se torna diabético porque esse tecido adiposo em excesso [no fígado] libera algumas substâncias chamadas de adipocina que vão até o fígado e reduzem essa comunicação do hormônio insulina com o fígado”, explicou. Dessa forma, o fígado responde menos à insulina e, por mais que ele ingira carboidrato, o fígado continua produzindo glicose. “É por isso que ele fica hiperglicêmico”.

    Experimento

    Os experimentos com camundongos foram feitos com três grupos: um de controle que recebeu ração padrão (com 4% de gordura) e permaneceu magro e sedentário; um grupo alimentado com dieta hiperlipídica (35% de gordura) durante 14 semanas, ficando obeso e diabético e permanecendo sedentário; e um terceiro grupo recebeu a dieta hiperlipídica e, quando estava obeso e diabético, foi submetido a um protocolo de exercício de força moderado ao longo de 15 dias.

    O treino consistia em subir uma escada com uma carga presa na cauda do animal. Diariamente, foram feitas 20 séries, com intervalo de 90 segundos entre elas, simulando um treino de musculação para humanos.

    Os pesquisadores observaram que os camundongos do grupo treinado ainda estavam obesos no final do protocolo, mas tinham valores normais de glicemia em jejum. Já os obesos sedentários permaneceram diabéticos até o término do experimento.

    Ao analisar o fígado das cobaias, eles notaram uma redução de 25% a 30% da gordura local no grupo treinado em comparação com os obesos sedentários. Em relação aos animais do grupo de controle, que permaneceram magros e sedentários, o índice de gordura hepática dos animais obesos e que fizeram o treinamento ainda era cerca de 150% maior.

    Próximos passos

    Moura diz que este é um estudo inicial do grupo de pesquisa que revela os efeitos dos exercícios com força diretamente no fígado. Tal descoberta se insere em um campo da ciência chamado de exercinas. “São substâncias secretadas pelo exercício. A partir do momento que a gente entende que o exercício físico controlado faz bem, mais adiante a gente consegue entender o que esse exercício consegue modular no nosso organismo”, explicou.

    Com esse conhecimento será possível estimar substâncias estimuladas a partir do exercício. “Elevação de determinado hormônio, redução de determinada proteína e a gente consegue dar um passo adiante para tentar tratar indivíduos com essas substâncias derivadas do exercício físico”, explicou. 

    O pesquisador alerta, no entanto, que não se trata de descartar as atividades físicas. “Não é que a pessoa vai poder parar de fazer exercício e tomar uma cápsula. A tentativa é de encontrar meios auxiliares para ajudar nesse tratamento da obesidade e diabetes”.

    CONTINUE LENDO


  • Reforma vai gerar economia de R$ 1,236 trilhão em 10 anos, diz governo

    Foto: Reprodução

    A economia prevista pelo governo com a reforma da Previdência pode chegar a R$ 1,236 trilhão, em 10 anos. O novo número foi divulgado hoje (25) pelo Ministério da Economia, ao apresentar o impacto detalhado da proposta de reforma.

    O impacto de mudanças na aposentadoria rural será de R$ 92,4 bilhões e a urbana, R$ 743,9 bilhões, em 10 anos.

    As mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BCP) são de R$ 34,8 bilhões, e no abono salarial, de R$ 169,4 bilhões.