BUSCA PELA CATEGORIA "BRASIL"

  • Catedral de Campinas recebe flores em homenagem a vítimas de atirador

    Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

    A Catedral Metropolitana de Campinas permaneceu fechada na manhã de hoje (12), após a tragédia envolvendo Euler Grandolpho, de 49 anos, que entrou ontem na igreja e matou quatro pessoas a tiros, antes de tirar a própria vida. Ainda não foram esclarecidas as razões do ataque. Foram colocadas flores em homenagem aos mortos no portão principal da catedral.

    A igreja deve ser reaberta no início da tarde para a celebração da primeira missa desde o ataque.

    Na Praça José Bonifácio, em frente ao templo, um grupo de curiosos e jornalistas se aglomeram no local. Uma viatura da Guarda Civil Metropolitana está próxima à escadaria da catedral. O caso virou destaque na imprensa internacional.

    No centro de Campinas, no entanto, o comércio funciona normalmente, sem sinais da tragédia do dia anterior. O prefeito Jonas Donizette (PSB) decretou ainda ontem luto oficial de três dias. A expectativa é que os velórios das vítimas ocorram a partir desta quarta-feira (12).







  • Homem mata quatro pessoas e comete suicídio durante missa na Catedral de Campinas

    Foto: Reprodução | Whatsapp

    Um homem matou quatro pessoas e deixou quatro feridas durante uma missa na Catedral Metropolitana, no Centro de Campinas (SP), na tarde desta terça-feira (11), segundo o Samu, Bombeiros e Polícia Militar. O suspeito pelos disparos na igreja cometeu suicídio em seguida.

    De acordo com o Corpo de Bombeiros, o suspeito teria entrado na Catedral com uma pistola e um revólver calibre 38, e se matado em frente ao altar após os crimes.

    Homem mata quatro pessoas e comete suicídio durante missa na Catedral de Campinas

    Foto: Reprodução | Whatsapp



  • Enem para presos começa nesta terça para 41 mil inscritos

    Foto: Reprodução

    A edição 2018 do Exame Nacional do Ensino Médio para pessoas privadas de liberdade (Enem PPL) começa nesta terça-feira (11). Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 41.044 candidatos presos em unidades prisionais ou jovens sob medida socioeducativa atualmente privados de liberdade estão inscritos no exame.

    Ele será aplicado nesta terça e na quarta-feira (12).

    Além das pessoas privadas de liberdade, podem participar também candidatos da edição regular do Enem 2018, aplicada em novembro, que têm direito à reaplicação de um ou dois dias de provas.

    Segundo o Inep, 2.725 candidatos estão nessa situação e, até a manhã desta segunda-feira (10), cerca de 50% deles já haviam acessado as informações sobre o local de prova.

    Os candidatos da reaplicação do Enem devem checar o local de provas na página do participante.







  • Brasil abandonará Pacto para Migração da ONU

    O Brasil abandonará o Pacto Mundial para Migração das Nações Unidas, aprovado formalmente nesta segunda-feira em Marrakech, no momento em que Jair Bolsonaro assumir o governo, no dia 1º de janeiro, afirmou o futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, no Twitter.

    "O governo Bolsonaro se desligará do Pacto Global de Migração que está sendo lançado em Marrakech, um instrumento inadequado para lidar com o problema", escreveu Araújo na noite desta segunda-feira, acrescentando que a "imigração é bem-vinda, mas não deve ser indiscriminada". 

    O pacto, que pretende reforçar a cooperação internacional para uma "migração segura, ordenada e regular", ainda deve passar por 

    uma última votação de ratificação em 19 de dezembro na Assembleia Geral da ONU.

    O acordo, não vinculante, destaca princípios (defesa dos direitos humanos, das crianças, reconhecimento da soberania nacional) e enumera propostas para ajudar os países a enfrentar as migrações, como o intercâmbio de informação e de experiências, ou a integração dos migrantes.

    Também proíbe as detenções arbitrárias e apenas autoriza as prisões como medida de último recurso.

    Os ativistas dos direitos humanos consideram que o acordo não vai longe o suficiente em termos de ajuda humanitária, serviços básicos e direitos trabalhistas dos migrantes. Seus críticos o consideram uma incitação aos fluxos migratórios sem controle.

    A saída do Brasil do Pacto é um novo sinal de aproximação com a diplomacia do governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que abandonou a elaboração do texto em dezembro de 2017.

    Na América Latina, países como Chile e República Dominicana também se afastaram do pacto.

    Bolsonaro e Araújo não escondem sua admiração por Trump e seu desejo de alinhar o futuro governo aos Estados Unidos em matéria de política externa.

    O futuro presidente do Brasil já havia manifestado sua intenção de abandonar o acordo de Paris sobre o clima.

    O anúncio do futuro chefe do Itamaraty chega horas após a aprovação do Pacto para a Migração na conferência que reuniu quase 160 países em Marrakech.

    A cerimônia contou com a presença do secretário-geral da ONU, António Guterres, da chanceler alemã, Angela Merkel, e do atual ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes, que se mostrou favorável ao acordo.

    Araújo concluiu sua série de mensagens no Twitter afirmando que os imigrantes venezuelanos "que fogem do regime de Maduro" continuarão sendo acolhidos pelo Brasil, mas avaliou que "o fundamental é trabalhar pela restauração da democracia na Venezuela".

     

    1/A imigração é bem vinda, mas não deve ser indiscriminada. Tem de haver critérios para garantir a segurança tanto dos migrantes quanto dos cidadãos no país de destino. A imigração deve estar a serviço dos interesses nacionais e da coesão de cada sociedade.

    2/O Governo Bolsonaro se desassociará do Pacto Global de Migração que está sendo lançado em Marraqueche, um instrumento inadequado para lidar com o problema. A imigração não deve ser tratada como questão global, mas sim de acordo com a realidade e a soberania de cada país.

    CONTINUE LENDO


  • Número de brasileiros inadimplentes cresce em novembro e volta a superar 63 milhões

    O número de brasileiros com nome sujo em razão de atrasos no pagamento de contas teve alta de 6,03% em novembro, na comparação com o mesmo mês do ano passado. É o que aponta o levantamento divulgado nesta segunda-feira (10) pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

    Segundo o SPC, trata-se da maior alta para meses de novembro desde 2011, quando o avanço foi de 8,10%.

    Com o avanço da inadimplência, o país encerrou novembro com aproximadamente 63,1 milhões de brasileiros com o CPF negativado, segundo estimativa da CNDL e SPC. Apesar da alta, o número de inadimplentes segue abaixo do recorde de 63,6 milhões registrados em junho.

    Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, a inadimplência do consumidor continua elevada pois a recuperação econômica segue lenta e ainda não se refletiu em melhora nos níveis de renda e nem em queda considerável do desemprego. “Os dois pilares fundamentais, que são emprego e renda, ainda enfrentam percalços. Por isso que o fim da recessão não foi o suficiente para melhorar as finanças do brasileiro. O ambiente econômico vem esboçando uma retomada gradual e bastante lenta e frustrou as expectativas de que o ano de 2018 seria o da consolidação dessa recuperação”, afirma.

    CONTINUE LENDO


  • Serviço de Inteligência de Goiás fará varredura na vida de João de Deus

    O Serviço de Inteligência da Polícia Civil de Goiás vai fazer uma varredura na vida pregressa do médium João de Deus, de 76 anos, e levantar denúncias realizadas nos anos 1970 que, aparentemente, foram arquivadas durante o regime militar, informou o jornal Correio Braziliense. As investigações não se aterão apenas à busca de outros casos de abuso sexual, além dos 13 já denunciados, mas também a acusações de estelionato e de exercício ilegal da Medicina.

    Médium que atrai cerca de 1.500 pessoas diariamente em seu centro espírita em Abadiânia (GO), João Teixeira de Farias, o João de Deus, foi denunciado por abuso sexual por dez vítimas durante o programa Conversa com Bial, da Rede Globo, levado ao ar na última sexta-feira 7. Quatro delas fizeram relatos no momento. Outras três mulheres deram depoimentos ao jornal O Globo, publicados na edição de sábado 8. Em nota enviada à emissora de televisão, João de Deus rechaçou “veemente todas as acusações”.

    O caso foi encaminhado ao Serviço de Inteligência pelo delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, André Fernandes Almeida. As denúncias de vítimas de abuso sexual começaram a ser apresentadas em outubro passado à Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), que abriu o inquérito. O caso é considerado complexo.

    “As mulheres serão ouvidas pela Polícia Civil para que possamos buscar as provas necessárias para investigar com imparcialidade e com eficiência”, afirmou o delegado Almeida ao Correio.

    No programa Conversa com Bial, as entrevistadas mencionaram ataques semelhantes sofridos de João de Deus. Entre eles, sua insistência para que elas tocassem seu pênis, dizendo ser um método de “limpeza”. A coreógrafa holandesa Zahira Leeneke Maus foi a única a se identificar ao relatar o abuso sofrido. As vítimas buscavam a ajuda do médium para solucionar problemas de saúde e, em quase todos os casos, há relatos de medo sobre as consequências de não seguir as exigências do médium.

    João de Deus construiu, ao longo de 42 anos, fama e admiração no Brasil e no exterior. As romarias a Abadiânia, onde concentra suas atividades e reside, respondem por boa parte da economia local. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a apresentadora Xuxa e o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso são algumas das personalidades nacionais a ter buscado a atenção do médium. Do exterior, a apresentadora americana Oprah Winfrey, foi uma das celebridades atendidas por ele.(VEJA.com)

    CONTINUE LENDO


  • Petrobras demite funcionários com prisão decretada na Lava Jato

    A Petrobras divulgou na noite de ontem (5) que demitiu por justa causa os funcionários "contra quem existem fortes evidências de envolvimento em irregularidades apuradas no âmbito da 57ª Fase da Operação Lava Jato". Batizada de Sem Limites, a etapa da operação deflagrada ontem contava com dois mandados de prisão contra funcionários que continuavam atuando na companhia.

    Segundo a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, funcionários da estatal receberam propina para alterar valores na compra e venda de petróleo e derivados com empresas estrangeiras. Os suspeitos também teriam realizado negócios irregulares de locação de tanques de armazenagens e, com alterações de centavos na negociação de cada barril, o esquema envolvia milhões de dólares devido à grande quantidade de combustível movimentada diariamente.

    Foram decretados ao todo 11 mandados de prisão preventiva. Um dos funcionários que continuava na companhia atuava em Houston, nos Estados Unidos, em uma das representações da Petrobras no Exterior. Foi emitido um alerta para Interpol contra ele. O outro suspeito trabalhava em uma das sedes da empresa no Rio de Janeiro, mas não foi preso porque está hospitalizado.

    As negociações no exterior eram com grandes empresas chamadas do setor, entre elas a Vitol, a Glencore e a Trafigura. Segundo a Petrobras, será feita uma "nova avaliação para revisão do Grau de Risco de Integridade (GRI) das empresas implicadas e, onde se fizer necessário, e de acordo com seu processo de Due Diligence de Integridade, reclassificá-las".



  • Palocci diz que filho de Lula recebeu propina de montadoras

    Foto: Reprodução

    O ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil Antonio Palocci disse hoje (6), em depoimento à Justiça Federal no Distrito Federal, que o filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Luiz Cláudio, recebeu recursos de um lobista envolvido na elaboração da Medida Provisória 471/2009, objeto de ação penal no âmbito da Operação Zelotes.

    Segundo Palocci, o filho de Lula o teria procurado em sua consultoria, em São Paulo, entre o final de 2013 e o início de 2014, para que o ajudasse a obter de empresas ao menos R$ 2 milhões para viabilizar um de seus empreendimentos. Mas o próprio Lula, segundo o ex-ministro, teria lhe informado já ter obtido o dinheiro com o lobista Mauro Marcondes.

    Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Marcondes atuou junto ao governo Lula em prol da elaboração da MP 471, na qual foram concedidos benefícios fiscais a montadoras de veículos, que em troca teriam pago propina para que o texto fosse publicado.

    Palocci disse ter procurado Lula em 2014, cerca de um mês após o encontro com Luiz Cláudio, para conversar sobre o pedido do filho do ex-presidente. A reunião teria ocorrido no Instituto Lula, em São Paulo.

    “Fui falar com o ex-presidente Lula porque queria ver com ele se autorizava a fazer isso [obter recursos para seu filho]. Foi ai que o ex-presidente falou não precisar atender ao Luiz Cláudio porque 'eu já resolvi esse problema com o Mauro Marcondes' ”, disse Palocci.

    CONTINUE LENDO






  • Sinal analógico de TV começa a ser desligado em municípios do interior

    Foto: Divulgação

    O sinal analógico de TV começa a ser desligado hoje (5) em municípios das regiões Nordeste, Norte, Centro-Oeste, Sul e Sudeste. A medida vai atingir cerca de 80 municípios. De acordo com o Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV (Gired), responsável por acompanhar o desligamento do sinal analógico no país, o prazo vai até o dia 12 deste mês no caso de alguns municípios.

    O grupo decidiu estender os prazos onde ainda não foi atingido o percentual mínimo de 90% dos domicílios com sinal digital. Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que coordena o Gired, “a análise da curva de tendência dos municípios que ainda não atingiram a condição para o desligamento permite concluir que o percentual necessário poderá ser alcançado em poucos dias”.

    Entre as cidades que terão o sinal analógico de TV desligado estão: Campina Grande (PB), Feira de Santana (BA), Uberaba (MG) e Vitória da Conquista (BA), com desligamento no dia 5; Blumenau (SC), Caruaru (PE), Imperatriz (MA), Rondonópolis (MT), Santa Maria (RS), Uberlândia (MG), Jaraguá do Sul (SC), Joinville (SC) e Juiz de Fora (MG), onde o desligamento termina 17; Dourados (MS), Governador Valadares (MG), Mossoró (RN), Marabá (PA), Parnaíba (PI) e Petrolina (PE), cujo desligamento termina no domingo (09).

    No último dia 28, foi desligado o sinal analógico no oeste do Paraná e sul do Rio Grande do Sul. Na mesma data, teve início o desligamento no interior do Rio de Janeiro e no interior de São Paulo, cujo término está marcado para 12 de dezembro.

    Com o desligamento do sinal analógico, haverá a liberação da faixa de 700 MHz, atualmente ocupada por canais de TV aberta. Essa frequência será utilizada para ampliar o serviço de telefonia e internet de quarta geração (4G) no Brasil.

    Antes da liberação, será feita uma campanha de mitigação para informar a população sobre como agir em caso de interferência do sinal da banda larga móvel na TV aberta digital. O período de mitigação dura, em média, 30 dias. Após o término desse processo, a Anatel libera o uso da  faixa de 700 MHz.

    "Os beneficiários de programas sociais do governo federal (como  Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida e Tarifa Social de Energia Elétrica) têm direito ao recebimento de um kit gratuito (com antena e conversor). Os beneficiários devem agendar a retirada do kit no site http://www.sejadigital.com.br/home ou ligar no 147. Serão distribuídos 280 mil kits no mês de novembro", informou a Anatel.

    CONTINUE LENDO


  • PGR denuncia irmãos Lúcio e Geddel Vieira Lima por peculato

    Foto: Reprodução

    A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, protocolou hoje (5) denúncia contra o deputado federal Lúcio Vieira Lima, seu irmão e ex-ministro Geddel Vieira Lima, a mãe deles, Marluce Vieira Lima, e outras cinco pessoas pelo crime de peculato. Segundo a denúncia, há provas documentais e testemunhais que comprovam que a família Vieira Lima se apropriava de até 80% dos salários de secretários parlamentares, sendo alguns funcionários fantasma da Câmara dos Deputados.

    Somados, os valores desviados no caso das nomeações indevidas ultrapassam R$ 5,2 milhões.

    A denúncia será analisada pelo ministro Edson Fachin, relator do caso no STF.

    Na acusação, Dodge requereu que os envolvidos respondam por peculato, com pena acrescida pelo número de vezes em que o crime foi praticado, o que, só no caso de Lúcio, ocorreu 520 vezes. A PGR também pediu que os envolvidos devolvam aos cofres, públicos por danos materiais, o valor a ser corrigido monetariamente desde a data do recebimento indevido. Também deverá ser ressarcidfo o pagamento de indenização por danos morais em valor equivalente ao dobro do total desviado. A procuradora-geral pediu que seja decretada a perda da função pública dos acusados que ocupam cargo ou emprego público ou mandato eletivo.



  • Lava Jato: Nova fase investiga organização criminosa que agia na Petrobras

    A mais nova fase da Operação da Lava Jato foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (5), e investiga a organização criminosa estruturada que, de acordo com a Polícia Federal (PF), agia para lesar a Petrobras na área de trending. Há 11 mandados de prisão preventiva, que é por tempo indeterminado, e 26 de busca e apreensão no Rio de Janeiro (RJ) e um em Petrópolis (RJ).

    Até o momento, cinco pessoas foram presas. Dez mandados de prisão devem ser cumpridos.

    Nesta fase da investigação policial foi possível delinear a existência de organização criminosa estruturada e atuante no sentido de lesar a Petrobras, especialmente em sua área de trading, onde são realizados os negócios de compra e venda de petróleo e derivados para ou da Petrobras por empresas estrangeiras. 

    Além disso se verificou também indícios de irregularidades na realização de negócios de locação de tanques de armazenagem da ou para a Petrobras pelas mesmas empresas investigadas.

    Todos estas operações ocorriam de forma a viabilizar o pagamento de vantagens indevidas a executivos e ganhos acima dos praticados no mercado para estas empresas. 



  • Turma do STF julga habeas corpus de Lula

    Foto: Divulgação

    A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar hoje (4), a partir das 14h, mais um pedido de liberdade feito pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Fazem parte do colegiado o relator do pedido, Edson Fachin, e os ministros Gilmar Mendes, Celso de Mello, Cármen Lúcia, e o presidente da turma, Ricardo Lewandowski.

    No habeas corpus, os advogados de Lula argumentam que a indicação do ex- juiz federal Sergio Moro para o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro demonstra parcialidade do ex-magistrado e também que ele agiu “politicamente”. Moro irá assumir o Ministério da Justiça em janeiro. Ele era o responsável pelos processos da Lava Jato na 13ª Vara Criminal de Curitiba. A juíza Gabriela Hardt assumiu a função.

    A defesa de Lula quer que seja reconhecida a suspeição de Moro para julgar processos contra o ex-presidente e que sejam considerados nulos todos os atos processuais que resultaram na condenação no caso do triplex de Guarujá (SP).

    Em parecer enviado ao STF na semana passada, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, se manifestou pela rejeição do recurso.

    Ao analisar a argumentação da defesa de Lula, Raquel Dodge afirma que as acusações são "ilações infundadas". "Quando proferiu a sentença acima mencionada [triplex], por óbvio, Sérgio Moro não poderia imaginar que, mais de um ano depois, seria chamado para ser ministro da Justiça do presidente eleito", disse a procuradora.

    De acordo com Dodge, desde que passou a ser processado, Lula "vem insistentemente" defendendo ser vítima de perseguição política. No entanto, os argumentos sobre a suspeição de Moro já foram julgados por mais de uma instância da Justiça e foram rejeitados.

    Lula está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, após ter sua condenação no caso confirmada pelo Tribunal Regional Federal 4ª Região (TRF4), que impôs pena de 12 anos e um mês de prisão ao ex-presidente, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

    Sergio Moro nega qualquer irregularidade em sua conduta e diz que a decisão de participar do futuro governo ocorreu depois de medidas tomadas por ele contra o ex-presidente.

    CONTINUE LENDO






  • Onyx Lorenzoni confirma extinção do Ministério do Trabalho

    Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

    O ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, confirmou hoje (3) a extinção do Ministério do Trabalho a partir de 1º de janeiro, quando o presidente Jair Bolsonaro assume o Executivo nacional. Em entrevista à Rádio Gaúcha nesta manhã, Onyx explicou que as atuais atividades da pasta serão distribuídas entre os ministérios da Justiça, da Economia e da Cidadania.

    Segundo ele, tanto as concessões de cartas sindicais quanto a fiscalização das condições de trabalho ficarão a cargo da equipe de Sergio Moro (Justiça). Sob o guarda-chuva de Paulo Guedes (Economia) e Osmar Terra (Cidadania) serão divididas as políticas de emprego, contemplando ações voltadas para o empregador e para empresários.

    Onyx afirmou que o futuro governo terá 20 ministérios funcionais e dois eventuais. Os dois últimos são estruturas com status ministerial temporariamente, de acordo com estratégias defendidas pela equipe de Bolsonaro. Trata-se do Banco Central que “quando vier a independência deixa status de Ministério” e a Advocacia-Geral da União (AGU).

    Bolsonaro deve definir nos próximos dias o comando do Meio Ambiente e dos Direitos Humanos. Onyx Lorenzoni vai detalhar a nova estrutura do governo em uma entrevista coletiva marcada para esta tarde.







  • Macacos hidráulicos levantam viaduto que cedeu em São Paulo

    A Prefeitura de São Paulo concluiu hoje (2) a elevação do viaduto na interligação da pista expressa na Marginal Pinheiros, próximo à Ponte do Jaguaré, que cedeu no dia 15 de novembro. Macacos hidráulicos foram instalados sob a parte da estrutura que se inclinou, com objetivo de nivelar a superfície.

    O prefeito Bruno Covas disse que, com a conclusão da elevação, será possível avaliar, num prazo de 15 dias, qual o tipo de obra de engenharia necessária para a recuperação do viaduto. Segundo ele, o trabalho com os macacos hidráulicos, que começou na manhã de ontem, contou com 2 mil funcionários por hora.

    “Hoje, a gente descarta em 100% a hipótese de demolição do viaduto. Com o resultado que a gente teve aqui do macaqueamento, a gente já consegue prever isso. Essa ainda era uma hipótese que a gente levava em consideração, o que significaria mais prazo para fazer a demolição e a construção de um novo viaduto”, declarou.

    Por causa da realização dos testes para a elevação do viaduto, a Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) ficou ontem (1º) sem operar entre as estações Villa Lobos-Jaguaré e Cidade Universitária. Hoje, com a conclusão antecipada das obras, a linha foi normalizada às 15h30. Com informações da Agência Brasil.(Notícias ao Minuto )



  • Bolsonaro já anunciou 20 ministros e tenta finalizar Esplanada nesta semana

    O presidente eleito, Jair Bolsonaro, inicia esta semana com 20 de seus ministros confirmados. O militar está próximo de finalizar as indicações para a Esplanada.

    O capitão da reserva afirmou neste domingo (2.dez.2018) que faltam ainda titulares para duas pastas. Uma delas é Meio Ambiente. Durante a campanha, Bolsonaro dizia que a pasta seria incorporada à Agricultura. Desistiu e alegou que a fusão desagradava setores ligados às duas áreas.

    Bolsonaro afirmou esperar que o nome saia nesta semana. Um dos mais cotados é o agrônomo Xico Graziano.

    Atribuições referentes a Direitos Humanos, Trabalho e Mulheres podem formar mais 1 ou 2 ministérios. Bolsonaro disse no sábado (1º.dez) que a advogada e pastora Damares Alves é “forte concorrente” ao posto de ministra da pasta.

    “É 1 ministério que se identifica muito com ela”, afirmou o militar, sem confirmar a escolha. Damares é assessora parlamentar do senador Magno Malta (ES-PR). O congressista pleiteia 1 ministério, mas até o momento não foi nomeado.

    Saiba quem são os ministros nomeados até esta 2ª feira:

    Mais ministérios do que o prometido

    Durante a campanha, Bolsonaro prometeu enxugar a estrutura do 1º escalão, dos atuais 29 para 15 ministérios. Mas vários órgãos que perderiam o “status” seriam prejudicados.

    É o caso do Banco Central. Como já explicou o Poder360, parte da autonomia operacional da autarquia decorre do fato de haver “status de ministro” para o presidente do órgão. Ele disse que manterá assim até que o a instituição se torne independente.

    Caso Bolsonaro feche o desenho da Esplanada com 22 ministérios, ele será o 3º presidente eleito, desde a redemocratização, a iniciar o mandato com menor número de pastas. O 1º é o ex-presidente Fernando Collor de Mello, que iniciou o mandato, em 1990, com 12 ministérios, seguido por Itamar Franco, que assumiu após o impeachment de Collor, em 1992, com 16 pastas.