BUSCA PELA CATEGORIA "BRASIL"

  • Médicos cubanos vivem de cesta básica

    Fonte: Bahia Noticias / Foto: Reprodução

    Cubanos do programa federal Mais Médicos, responsáveis pelo atendimento em unidades básicas de saúde nas periferias de grandes cidades e no interior do país, têm trabalhado sem receber o dinheiro da ajuda de custo prometido pelas prefeituras. Para driblar o atraso, eles improvisam repúblicas, vivem de cestas básicas, recebem "vale-coxinha" e pagam, do próprio bolso, a passagem de ônibus para fazer visitas do Programa Saúde da Família (PSF). Embora o Ministério da Saúde pague as bolsas, cabe às prefeituras arcar com os custos de moradia, alimentação e transporte. A cláusula é uma exigência do governo federal para a participação no programa. "Em Cuba, disseram que teríamos facilidades que não estamos encontrando aqui. Prometeram, por exemplo, que haveria um carro nas unidades para levar para as visitas domiciliares, mas isso não existe. Temos de pegar ônibus e pagamos a passagem", diz uma médica cubana que atende em uma UBS da capital paulista. Os médicos têm despesa extra de pelo menos R$ 24 com as tarifas. "Parece pouco, mas faz diferença porque recebemos só US$ 400, e o custo de vida aqui é alto", afirma. A bolsa em torno de R$ 900, ante a de R$ 10 mil paga a profissionais de outras nacionalidades, foi um dos motivos apresentados por Ramona Matos Rodríguez, de 51 anos, para abandonar o programa, no Pará, na semana passada. Os médicos reclamam também do vale-refeição. "São R$ 180 por mês, dá R$ 8 por dia de trabalho. Onde você almoça em São Paulo com esse dinheiro?", pergunta um médico trazido por meio do convênio entre a Organização Pan-americana de Saúde (Opas), o governo federal e o governo cubano, que fica com a maior parte da bolsa.



  • Projeto que reduz maioridade penal pode ser votado na próxima semana

    Fonte: Bahia Noticias / Foto: Reprodução

    O polêmico projeto da redução da maioridade penal pode entrar em votação no congresso no dia 19. Segundo a Veja, o senador Vital do Rego, que preside a Comissão de Constituição e Justição (CCJ) da Casa, escolheu a data para a apreciação do projeto que reduz a maioridade para dezesseis anos. A proposta, de Aloysio Nunes Ferreira, permite que maiores de dezesseis anos e menores de dezoito sejam julgados como adultos, de acordo com a gravidade do caso. O governo é contra o projeto.



  • Porto Nacional-TO: Idosa descobre que carrega feto morto no abdômen há 44 anos

    Segundo a ginecologista, o corpo da idosa encontrou uma forma de conviver com o feto/G1 Tocantins (Foto: Divulgação)

    Uma idosa, de 84 anos, descobriu nesta sexta-feira (7) que carrega um feto no abdômen há 44 anos. A descoberta aconteceu no Hospital Regional de Porto Nacional, a 66 km de Palmas. Segundo a ginecologista e obstetra Gesneria Saraiva Kratka, a mulher foi até a unidade fazer exames após sentir náuseas e fortes dores no estômago e acabou descobrindo o fato inusitado.

    Segundo a médica, a mulher, que é moradora de Natividade, prefere não se identificar. Ela contou à ginecologista que há 44 anos engravidou. Apesar de não ter feito o pré-natal, já que na época não haviam médicos no município, ela percebeu o bebê crescendo e a gravidez evoluindo. Após algumas semanas, a mulher sentiu fortes dores e procurou um curandeiro. "O homem passou remédios e ela disse que se sentiu melhor. A barriga não cresceu mais, o bebê parou de movimentar e ela pensou que tinha abortado", relatou Gesneria.

    O feto morreu, mas continuou no abdômen da mulher. A médica explicou que a gravidez dela foi ectópica (fora do útero). Segundo a ginecologista, com o passar do tempo houve uma organização no próprio organismo, uma adaptação, que permitiu que a idosa passasse 44 anos sem sofrer complicações na saúde por causa do feto morto.

     

     

    "Pela ultra-som não foi possível ver o feto. Nós fizemos um raio-x. Pelo exame é possível ver o rosto, os ossos dos braços, das pernas, as costelas e a coluna. Algumas partes estão 'borradas', estão em uma fase de calcificação e tiveram o aspecto modificado. É provável que o feto tenha morrido na 20ª semana, no máximo na 28ª", explicou Gesneria.

    A idosa ficou surpresa com a novidade, mas disse à médica que não quer fazer a cirurgia para a retirada do feto. "Ela é viúva e disse que se o feto ficou durante todos estes anos dentro dela, ela prefere não tirar". Mas a ginecologista alertou que é importante fazer a cirurgia porque o feto pode trazer riscos à saúde dela. "Pode haver obstrução da alça intestinal, cólicas, retenção de fezes, aderência, tudo pode acontecer".

    Segundo a médica, um caso destes acontece em um a cada 100 mil habitantes. "É sobrenatural. Mas ela não teme complicações. Nós vamos fazer novos exames, tomograficas para ver mais detalhes e depois vamos conversar com os parentes dela para ver se eles a liberam para fazer cirurgia". A médica ainda disse que já tinha visto casos parecidos, mas nenhum deles a mulher ficou por tanto tempo carregando um feto morto.



  • Aos 16 anos, estudante é aprovado em medicina em nove universidades

    Matheus diz que segredo para o vestibular é organizar o tempo de estudos (Foto: Márcio Meireles/EPTV)

    Aos 16 anos, estudante é aprovado em medicina em nove universidades Matheus de Freitas optou pela graduação na USP de Ribeirão Preto, SP. 'Segredo é saber administrar o tempo e se dedicar sem sobrecarga', diz. Aos 16 anos, Matheus Freitas foi aprovado em nove universidades pelo curso de medicina (Foto: Marcio Meireles/EPTV) Aos 16 anos, Matheus Freitas foi aprovado em medicina em nove universidades (Foto: Márcio Meireles/EPTV) Aos 16 anos, o estudante Matheus Trindade Bruxelas de Freitas é exemplo de dedicação e perseverança nos estudos. Recém-formado no Ensino Médio, Freitas, que mora em Francax (SP), foi aprovado em medicina em nove universidades diferentes - cinco públicas e quatro particulares. O estudante, que optou pela graduação na Universidade de São Paulo (USPx) em Ribeirão Pretox (SP), diz que o segredo para um bom resultado no vestibular é saber administrar o tempo sem se sobrecarregar. Matheus foi aprovado na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), na Universidade Federal de Viçosa (UFV), na Universidade Federal do Paraná (UFPR) e na Universidade Estadual Paulista (Unesp), e em outras quatro faculdades particulares.Durante o ano de 2013, a preparação foi intensa, mas o estudante conta que não deixou as atividades que mais gosta de lado. Ao todo, ele leu 40 livros e estudou cerca de 100 apostilas. "No primeiro semestre do ano passado eu não deixei nenhuma atividade de lado. Ia à academia, jogava basquete e saía aos finais de semana. Já no segundo semestre eu organizei o tempo e foquei principalmente nos estudos. Mas ainda assim reservava alguma hora na semana para sair e arejar a cabeça. O segredo é saber administrar o tempo e se dedicar sem se sobrecarregar. Tem gente que só estuda, assim como tem gente que acaba deixando os livros para trás. É preciso encontrar um equilíbrio. Acho que foi justamente isso que me ajudou", diz. Mesmo com toda a preparação no decorrer do ano, Freitas se diz surpreso com os resultados que conquistou e revela que já estava com o pensamento no cursinho preparatório para o vestibular. "Agora no início do ano eu já estava arrumando alguns materiais pensando no cursinho. Não acreditava que daria tão certo", afirma. A vontade de ser médico teve início com o exemplo que o jovem teve dentro de casa. “Meu pai é médico e eu acompanho a vida profissional dele desde jovem. Às vezes, vejo pacientes dele, e o sorriso e o olhar dessas pessoas é gratificante. Acho que não existe coisa melhor que sentir que você está ajudando alguém. Já sou um apaixonado pela profissão", diz. Ansioso, o estudante que optou pela USP de Ribeirão Preto agora espera para começar a nova fase de uma carreira promissora. "Agora é pegar firme, estudar bastante e ir à luta. É muito bom poder viver esse resultado. Sem dúvidas, é a realização de um sonho”, conclui.



  • Macaco-prego Chico morre aos 38 anos: 'perdi um filho', lamenta a dona

    Macaco Chico morre aos 38 anos em São Carlos / Fonte G1 (Foto: Fabio Rodrigues/G1)

    'Perdi um filho'. Essa é a frase que resume o sentimento de tristeza da aposentada Elizete Farias Carmona, de 71 anos, depois da morte do macaco-prego Chico na tarde desta sexta-feira (7), a caminho do veterinário, em São Carlos (SP). A relação de 38 anos, considerada de mãe e filho, ficou conhecida em todo país e gerou repercussão internacional quando ele foi retirado da dona pela Polícia Militar Ambiental, após uma denúncia. Eles ficaram separados durante 16 dias e uma liminar da Justiça obrigou o retorno do animal para  Elizete, que adequou a casa para continuar com ele.

    Ainda inconsolável, a aposentada recebeu a reportagem do G1 na calçada em frente à sua casa. De acordo Elizete, Chico ficou doente há dois dias e foi levado ao veterinário na quinta-feira (6). "Estava bem e ficou meio desanimado e amuado", disse. Na manhã desta sexta, ela levou ao  retorno e ele medicado. "Ele pediu para voltar 17h30. No caminho, ele olhou para mim e deu um suspiro. Ele morreu no meu peito", disse emocionada.

     

                                                                      (Foto: Fabio Rodrigues/G1)

     

    A aposentada não conteve o desespero e chorou muito. "O veterinário disse que ele tinha ido embora mesmo. Ele estava bonito, gordinho. Eu achava que iria morrer antes dele. No fim eu fiquei e ele foi", lamentou. 

    O corpo de Chico ficou no consultório veterinário e deve passar por necrópsia, que vai apontar a causa da morte. Elizete afirmou que quer enterrar o 'filho' no 'Recanto do Chico', local criado para que o animal pudesse retornar para a dona.  "Ele foi muito amado. Nem quero ir no cantinho dele, porque me faz lembrar dele", afirmou.

    Ainda não há previsão para o enterro do macaco. Elizete vai para Campinas no fim de semana para fazer exames no coração e deve ficar na casa dos filhos.



  • Santos-SP: Mulher fica com peixe preso no pé e passa por cirurgia para retirar animal

    Paciente foi anestesiada para retirar o peixe do pé / Anna Gabriela Ribeiro Do G1 Santos (Foto: Arquivo pessoal/Octavia Leme)

    Uma moradora de Santos, no litoral de São Paulo, ficou com um peixe morto fincado no pé após ter pisado acidentalmente em uma espinha do animal. O acidente ocorreu no fim da tarde de quinta-feira (6), na praia do Embaré. O peixe só foi retirado após uma cirurgia, e a vítima, a promotora de eventos Octavia Leme, passa bem. 

     

    A mulher conta que estava no mar chamando o filho para ir embora, com a água na altura da panturrilha, quando pisou no peixe. "Meu filho de 5 anos estava com um amigo na água. Entrei para chamá-lo e, do nada, senti algo no meu pé. Não dava para ver porque a água é escura. Quando fui dar a próxima pisada, a dor foi insuportável e eu precisei ser retirada carregada da água", conta.

     

    Octavia diz que uma espinha do peixe, de aproximadamente 6 cm, fincou na sola do pé dela. "Um amigo tentou puxar o peixe do meu pé, mas não conseguiu. A espinha é muito dura e grossa. O guarda-vidas fez um curativo com o peixe no meu pé mesmo, e chamamos o Samu [Sistema de Atendimento Móvel de Urgência], mas demorou mais de 1 hora e resolvi pegar um táxi e ir ao hospital por conta própria. O problema já não era mais a dor, era a aflição de ficar com aquele peixe morto pendurado no meu pé", lembra a promotora de eventos. 

     

    A mulher então passou por uma cirurgia para retirar o animal. "Recebi uma anestesia local para retirarem o peixe. A médica responsável precisou chamar um médico homem para pôr força, pois estava difícil de puxar [a espinha]. Agora estou com um curativo, mas a única consequência foi um corte de aproximadamente 1 cm", diz.

     

     

    Octavia afirma que temeu pelo filho e por outras crianças. Ela avalia que, por enquanto, não vai mais levar o filho na água do mar. "Fiquei impressionada com o que houve. Meu filho sempre mergulha no raso. Imagina se isso acontece na altura do coração? Poderia matar! A médica me disse que recentemente isso aconteceu com uma criança de 1 ano e meio", revela.

     

     

    Segundo o Salvamento Aquático de Santos, esse tipo de ocorrência é muito comum. "Esse tipo de lesão é pequena, mas dolorida. A gente costuma cortar o peixe e deixa a espinha lá para ser retirada por um médico. Não adianta puxar que não sai. É importante ir ao médico, porque o peixe morto pode gerar uma infecção, tem muita bactéria. Por mais que seja difícil, é sempre bom caminhar na orla com chinelo ou tênis", afirma o soldado Rubens.



  • Rio de Janeiro: Cinegrafista é internado após ser atingido por bomba em protesto

    Imagem mostra cinegrafista ferido após ser atingido / Estadão Conteúdo

    Durante o confronto entre policiais e ativistas, na rua, a poucos metros da Central do Brasil, no Rio, o cinegrafista Santiago Andrade, da TV Bandeirantes, foi ferido na cabeça por uma bomba. Não se sabe se foi um artefato de fabricação caseira, lançado por manifestantes, ou uma bomba de gás usada pela polícia.
    Segundo a TV Bandeirantes, ele perdeu muito sangue e desmaiou. Socorrido por policiais e levado ao Hospital Souza Aguiar, passou por uma tomografia, que constatou afundamento de crânio. Ele foi submetido a uma cirurgia durante a madrugada e segue internado.
    Outras seis pessoas feridas durante os confrontos foram internadas em hospitais municipais.

    Manifestação
    Policiais militares e manifestantes que protestavam contra o aumento das passagens de ônibus no Rio entraram em confronto por volta das 19 horas desta quinta-feira, no saguão da Estação Ferroviária Central do Brasil, no centro. O reajuste foi autorizado pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB) e começa a vigorar no próximo sábado.

     



  • Deputada entra com representação no MP contra banda por apologia ao estupro

    Lançado em dezembro, o clipe da música “Tigrão Gostoso” foi removido do Youtube

    A deputada estadual Luiza Maia (PT) ingressou com uma representação contra a banda Abrakadabra, motivada pela letra e videoclipe da música “Tigrão Gostoso”. No documento, protocolado junto ao Ministério Público da Bahia, na quarta-feira (5), a deputada afirma que o conteúdo da música “traz indistinta discriminação contra mulheres, com violação à imagem e dignidade destas”.

    Para Luiza Maia, o clipe também incita, “sem chance de dúvida, a prática de crimes contra a liberdade sexual, como os de estupro e atentado violento ao pudor, previstos nos arts. 213 e 214 do Código Penal”.

    O vídeo, que foi lançando em dezembro e já ultrapassava 60 mil visualizações, foi removido do Youtube. No último dia 27, a Marcha Mundial das Mulheres divulgou uma nota de repúdio contra a banda.

    “No início do clipe, retrata-se uma situação que é corriqueira na vida de todas as mulheres, que vivem diariamente o medo e a insegurança de serem violentadas ao andarem sozinhas à noite ou em ruas desertas. Entretanto, ao invés de se denunciar a violência sexual, o clipe se desenrola de forma a enaltecer a posição do estuprador, colocado como a figura do “tigrão gostoso”, de modo a associar a agressividade à masculinidade”, diz trecho da nota


    Em nota à imprensa, a deputada compara a Abrakadabra ao caso da New Hit. Nove integrantes da banda e um policial militar foram acusados de estupro contra duas adolescentes em agosto de 2012, após show na cidade de Ruy Barbosa.

    “Vimos o exemplo da banda New Hit: quem canta violência pratica violência. Não podemos permitir que o que aconteceu em Ruy Barbosa se repita”, enfatizou a deputada. “O problema não está no ritmo, mas no conteúdo dessas músicas. Existem bandas de pagode e de arrocha que fazem um belo trabalho, sem ofender a dignidade de ninguém. Sabemos que a luta é grande e a Lei Antibaixaria também tem esse papel didático, de combater o machismo de forma educativa, mas há casos em que é necessário apelar para a justiça”.

    "Não tivemos essa intenção"
    Em contato com o Correio24horas, o vocalista da Abrakadabra, Diego Pereira, conhecido como Pretu, afirmou que a banda resolveu tirar o clipe do ar por conta da repercussão do caso. "Nós colocamos uma obra de arte na internet, mas que foi interpretada de forma diferente. Em nenhum momento tivemos a intenção de denegrir a imagem das mulheres, até porque a maior parte nosso público é feminino. Deus sabe que a nossa intenção não é negativa, eu fico triste por isso existir", diz.

    De acordo com o vocalista, a música foi lançada há dois anos e o clipe foi produzido pelos próprios integrantes do grupo. "É uma ficção. Se tivéssemos colocado no início do clipe a mensagem 'isso é uma ficção', não teria essa repercussão toda. É uma questão de interpretação. Foi uma produção própria. A intenção não era nem contar uma história, era mostrar a nossa marca".

    Segundo Diego, a polêmica em torno do clipe não prejudicou a agenda de shows da banda. "Tentaram nos atrapalhar, mas não conseguiram. Temos shows de quinta a domingo. E não é por causa da repercussão do caso, graças a Deus".

    Fundada há três anos em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, a Abrakadabra é conhecida por misturar ritmos como pagode, arrocha e tecnobrega.
                                                                                         (correio24horas)



  • Cubana abandona o programa Mais Médicos e se refugia na Câmara Federal para pedir asilo político ao Brasil

    Deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) Foto: Reprodução

    A cubana Ramona Matos Rodriguez, 51 anos, integrante do programa Mais Médicos, abandonou os trabalhos e anunciou na noite desta terça-feira (04/02) que vai pedir asilo político ao Brasil. Ela disse que vai permanecer refugiada na liderança do DEM na Câmara dos Deputados, aguardando uma decisão do governo brasileiro, já que está sendo “perseguida pela Polícia Federal”.

    Clínica-geral, ela chegou ao país em outubro e atuava em Pacajá, no Pará. Ela diz que deixou a cidade no sábado e seguiu para Brasília após descobrir que o valor de R$ 10 mil pago pelo governo brasileiro a outros médicos estrangeiros era muito superior ao que ela recebia pelos serviços prestados.

    A cubana alega ainda ter sido enganada sobre a possibilidade de trazer seus familiares ao país.

    Ramona foi apresentada nesta terça no plenário da Câmara por líderes do DEM. Em entrevista, ela contou que recebia por mês US$ 400 para viver no Brasil e outros US$ 600 seriam depositados em uma conta em Cuba, que só poderiam ser movimentados no retorno para a ilha.

    A médica não revelou como chegou à capital federal nem como foi feito o contato com os deputados da oposição. Ela contou, porém, que decidiu procurar o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) depois de fazer uma ligação para uma amiga no interior do Pará e ser informada que a Polícia Federal já tinha sido acionada para buscar informações sobre seu paradeiro, sendo que agentes teriam procurado seus conhecidos na cidade.

    Ela não deu detalhes de como chegou ao deputado e disse que se sente enganada por Cuba. A médica mostrou um contrato com a Sociedade Mercantil Cubana Comercializadora de Serviços Médicos Cubanos, indicando que não houve acerto entre o Ministério da Saúde e a Opas (Organização Pan-Americana de Saúde)

    “Eu penso que fui enganada por Cuba. Não disseram que era o Brasil estaria pagando R$ 10 mil reais pelo serviço dos médicos estrangeiros. Me informaram que seriam US$ 400 aqui e US$ 600 pagos lá depois que terminasse o contrato. Eu até achei o salário bom, mas não sabia que o custo de vida aqui no Brasil seria tão alto”, afirmou a cubana.

    Ela disse que tem uma filha que também é médica em Cuba e que sente receio pela situação dela. Romana afirmou que já trabalhou em uma missão de Cuba na Bolívia por 26 meses.

    A médica disse ainda que enfrentava problemas para se deslocar entre cidades brasileiras, tendo sempre que avisar a um supervisor cubano, que ficava em Belém.

    Ronaldo Caiado afirmou que a liderança do DEM na Câmara será a embaixada da liberdade para os médicos cubanos. Ele afirmou que sua assessoria prepara para amanhã o pedido de asilo da médica ao governo brasileiro e que irá pessoalmente conversar sobre o caso com o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo.

    “O DEM se coloca à disposição com estrutura física e jurídica”, disse.

    Os oposicionistas disseram que vão arrumar um colchão e as condições necessárias para que ela permaneça no local.

    O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse que não vai interferir no caso porque a liderança é um espaço de cada partido.

    Vitrine eleitoral da presidente Dilma Rousseff, o Mais Médicos tem o objetivo de aumentar a presença desses profissionais no interior do país, em postos de atenção básica, e para isso permite a atuação de médicos sem diploma revalidado em território nacional. Atualmente, cerca de 7.400 médicos cubanos estão selecionados para atuar no país.



  • Ações marcam Dia Mundial do Câncer nesta terça

    Bahia Noticias / Foto Reprodução

    Instituições de saúde promovem em todo o mundo ações para lembrar o Dia Mundial do Câncer, lembrado nesta terça-feira (4). O Instituto Nacional do Câncer (Inca) apresentará estimativas da doença por estado. Segundo o coordenador de Prevenção e Vigilância do Inca, Claudio Noronha, desmistificar crenças e poder falar abertamente sobre a doença é um passo importante para o controle. “É preciso ter a informação adequada para poder tomar uma atitude, haver uma mudança de comportamento, com informação você pode fazer alguma coisa”, comentou. “Tanto para investir em si mesmo, como para ajudar um parente, uma amigo, chamar a atenção”, acrescentou. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2012 foram diagnosticados 14 milhões de novos casos, com destaque para pulmão, mama e cólon. O número pode aumentar 57% e chegar a 22 milhões em duas décadas. A entidade ainda constatou que mais de 70% dos casos estão na África, Ásia, América Central e América do Sul, um total de 70% das mortes pela doença no mundo todo. Envelhecimento da população e a falta de um sistema de saúde eficiente em países subdesenvolvidos foram apontados como os principais vetores desse aumento. Informações da Agência Brasil.



  • Epidemia por novo subtipo da dengue deve fazer mais vítimas em 2014

    Fonte: Bahia Noticias / Foto: Reprodução

    Um novo subtipo da dengue classificado como DEN-4 deve fazer mais vítimas neste ano. De acordo com a Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, dos 4.460 casos da doença confirmados no país, entre janeiro e julho de 2013, 58,9% eram do recém-descoberto DEN-4. Doença infecciosa, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti contaminado, a dengue pode causar uma diminuição na quantidade de plaquetas – o que induz a sangramento – e de leucócitos, glóbulos brancos que integram o sistema imunológico. No Brasil, atualmente há quatro subtipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Segundo o infectologista José Ribamar Branco, a dengue hemorrágica, a forma mais perigosa, “é a evolução de um caso clássico da doença por falta de diagnóstico e acompanhamento médico ou por automedicação", esclarece. Os primeiros casos da doença foram diagnosticados no país em 1692. Ao longo dos séculos, a dengue alternou períodos de maior contaminação com outros de menor incidência, porém, em 2008, ela se tornou uma epidemia. Nos últimos cinco anos, mais de cinco milhões de casos prováveis já foram registrados.



  • Supremo Tribunal Federal vai julgar Marco Feliciano por estelionato

    Bahia Noticias / Foto Reprodução

    Uma ação impetrada contra o deputado federal pastor Marco Feliciano (PSC-SP) pelo crime de estelionato está próxima de ser julgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A ação tem como relator o ministro Ricardo Lewandowski. Feliciano é acusado de ter subtraído, em março de 2008, R$ 13,3 mil de uma produtora de shows evangélicos do interior do Rio Grande do Sul. Confira os detalhes e a justificativa do deputado para tal acusação na Coluna Justiça!



  • Criminalidade: Desastres dos governos petistas na Segurança Pública ou Máquina de produzir cadáveres

    Agnelo Queiroz: incompetência comprovada também na segurança pública / Fonte: Veja / Foto: Reprodução

    Por Reinaldo Azevedo

     

     

    Os governos petistas são notavelmente incompetentes em várias áreas, mas em nenhuma eles conseguem ser tão ruins como na segurança pública. Atenção! O Distrito Federal tem a renda per capita mais alta do país. O Distrito Federal tem a Polícia Militar mais bem paga do país — salário médio de R$ 4.300. O Distrito Federal tem o maior número de policiais militares por habitante: 1 para cada 168. Não obstante, a região vive um impressionante surto de violência. Os roubos cresceram 22% nos últimos dois anos. Os homicídios, em janeiro, tiveram um aumento de 41% em relação a igual mês de 2013. Desde o fim do ano passado, a PM realiza o que se chama “Operação Tartaruga” — que é, assim, trabalhar com vagar, com moleza. Pedem aumento de salário e mudança no plano e carreira. Os crimes explodiram.

    Debaixo do nariz de José Eduardo Cardozo, aquele que gosta de vir dar pitaco na polícia de São Paulo.

    Debaixo do nariz de Maria do Rosário, aquela que gosta de emitir notas marotas quando chama de homicídio um suicídio acontecido em São Paulo.

    Debaixo do nariz de Dilma Rousseff, aquela que disse esperar explicações sobre suposta ação injustificada da PM de São Paulo — que, na verdade, era a vítima.

    Vamos botar números nessa história. Segundo o Anuário de Segurança Pública, o Distrito Federal teve, em 2012, uma taxa de 32,1 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) por 100 mil habitantes, quase três vezes a de São Paulo, que tem menos policiais por habitantes, cuja polícia ganha bem menos e com renda per capita inferior. Os CVLI incluem homicídios dolosos e latrocínios. Sem dúvida, uma polícia bem paga é importante para garantir a segurança pública — mas, sem competência, é inútil. Sem dúvida, uma renda per capita elevada pode contribuir para diminuir certos crimes. Mas, sem competência, é inútil. Sem dúvida, um número maior de policiais é importante para garantir a segurança pública, mas, sem competência, é inútil.

    E, está demonstrado, competência, nessa área, o PT não tem. E a prova não está só no Distrito Federal, não. De 2008 a 2012, segundo o mesmo anuário — que é do Ministério da Justiça! —, a taxa de CVLI da Bahia cresceu 30% — de 31,3 por 100 mil habitantes para 40,7. O caso desse estado é mesmo espantoso. Segundo um outro levantamento, o Mapa da Violência, no ano 2000, a Bahia tinha 9,4 homicídios por 100 mil habitantes. Dez anos depois, já havia chegado a 37,7.

    Sergipe

    O PT governa o Sergipe desde 2007. A taxa de Crimes Violentos Letais Intencionais saltou de 27 por 100 mil habitantes em 2008 para 40 em 20912. É outro escândalo.

    Acre

    O PT está no poder no Acre há 15 anos. Os Irmãos Viana e Marina Silva são os donos do pedaço. De 2008 para 2012, conseguiu-se reduzir um pouco a taxa dos CVLI: de 26 para 24,2 — ainda assim, mais do que o dobro da de São Paulo.

    “Pô, Reinaldo, que história é essa de ficar o tempo todo comparando com São Paulo? Ora, meus caros, a esmagadora maioria dos “especialistas” ouvidos pela imprensa paulistana quando há questões relativas a segurança pública é do PT ou pertence a aparelhos do PT. O partido tem a ambição de conhecer a área. Por que, então, quando lhe é dado governar, consegue implementar uma política que produz o dobro, o triplo e até o quádruplo de cadáveres?

    Rio Grande do Sul

    No Rio Grande do Sul, Tarso Genro assumiu o poder com uma taxa de CVLI de 17 por 100 mil. Em 2011, ela passou para 17,5 e saltou para 19,8 em 2012. Não tenho os dados de 2013.

    Piauí

    PT e PSB dividem o governo do Piauí desde 2003. A taxa de CVLI saltou de 9,9 por 100 mil em 2008 para 16,4 em 2012 — e, ainda assim, o anuário inclui o estado entre aqueles cujos dados são de confiabilidade apenas média. Deve ser mais do que isso.

    Encerro

    A taxa de homicídios dolosos do Estado de São Paulo em 2010 foi de 10,5 por 100 mil. Deve ser a mais baixa do país. Não obstante, a polícia do estado é a que mais apanha do PT — claro! —, das ONGs, dos “advogados ativistas”, do governo federal e também da imprensa.

    Se a taxa de homicídios do Brasil fosse igual à de São Paulo, salvar-se-iam por ano perto de 30 mil vidas. Em breve, virá a campanha eleitoral, e o petista Alexandre Padilha tentará dar aula aos paulistas de segurança pública. Vai ver pretende pôr em prática as lições que aprendeu com Agnelo Queiroz, no Distrito Federal, e Jaques Wagner, na Bahia, entre outros especialistas… Dá para tremer só de pensar.



  • 'Isso sai na urina', diz Lula a Lupi sobre acusação de corrupção

    Fonte: Terra / Foto: Andre Dusek/AE

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou com Carlos Lupi (PDT) sobre a denúncia de corrupção da qual seu ex-ministro do Trabalho é alvo. Segundo a Folha de S. Paulo, Lula confortou Lupi e o incentivou a processar a empresária Ana Cristina Aquino, que acusa o pedetista de receber propina para acelerar o registro de um sindicato.

     

    "O Lula me falou: 'Lupi, esquece, isso sai na urina'", relatou o ex-ministro. "Ele disse que é isso aí, que eu tô certo em processar", completou ele, sobre o conselho do ex-presidente. A denunciante diz que levou uma bolsa com R$ 200 mil ao gabinete de Lupi à época em que chefiava o Ministério do Trabalho; ele disse que irá processá-la por calúnia, injúria e difamação



  • Senado gasta R$ 23,2 mi para reembolso a parlamentares

    BN: Informações da Folha / Foto: Agência Brasil

    O Senado gastou R$ 23,2 milhões em 2013 para reembolsar os 81 senadores da Casa por gastos relacionados à atividade parlamentar. A lista de despesas inclui consultorias, segurança e divulgação de seus atos. Foi destaque o dispêndio de R$ 185 mil por Jader Barbalho (PMDB-PA) para criação e manutenção de seu site. Entre os senadores que detalharam a mesma despesa, a média de reembolso foi de menos de R$ 15 mil. O senador do Pará, também declarou gasto de R$ 194 mil com consultoria para "assistência técnica especializada à elaboração de estudos de caráter analítico e descritivo sobre a situação atual do desenvolvimento à luz da sustentabilidades nas regiões de integração do Estado do Pará". Nem a assessoria do senador nem a empresa contratada para a manutenção do site, a Cgicom se manifestaram. Cada congressista entre R$ 21 mil e R$ 44 mil ao mês, a depender do estado que representa, para ressarcir os gastos com o mandato. Os dados mostram que Sérgio Petecão (PSD-AC) foi o que mais gastou com informativos impressos. Pré-candidato ao governo do Acre, ele detalhou o valor de R$ 204 mil gastos em três jornais de quatro páginas cada um. O gabinete de João Durval (PDT-BA), que gastou R$ 220 mil com aluguel de veículos, justificou que o senador usa três carros na Bahia, para atender aos seus dois escritórios.