BUSCA PELA CATEGORIA "BRASIL"

  • Santos-SP: Mulher fica com peixe preso no pé e passa por cirurgia para retirar animal

    Paciente foi anestesiada para retirar o peixe do pé / Anna Gabriela Ribeiro Do G1 Santos (Foto: Arquivo pessoal/Octavia Leme)

    Uma moradora de Santos, no litoral de São Paulo, ficou com um peixe morto fincado no pé após ter pisado acidentalmente em uma espinha do animal. O acidente ocorreu no fim da tarde de quinta-feira (6), na praia do Embaré. O peixe só foi retirado após uma cirurgia, e a vítima, a promotora de eventos Octavia Leme, passa bem. 

     

    A mulher conta que estava no mar chamando o filho para ir embora, com a água na altura da panturrilha, quando pisou no peixe. "Meu filho de 5 anos estava com um amigo na água. Entrei para chamá-lo e, do nada, senti algo no meu pé. Não dava para ver porque a água é escura. Quando fui dar a próxima pisada, a dor foi insuportável e eu precisei ser retirada carregada da água", conta.

     

    Octavia diz que uma espinha do peixe, de aproximadamente 6 cm, fincou na sola do pé dela. "Um amigo tentou puxar o peixe do meu pé, mas não conseguiu. A espinha é muito dura e grossa. O guarda-vidas fez um curativo com o peixe no meu pé mesmo, e chamamos o Samu [Sistema de Atendimento Móvel de Urgência], mas demorou mais de 1 hora e resolvi pegar um táxi e ir ao hospital por conta própria. O problema já não era mais a dor, era a aflição de ficar com aquele peixe morto pendurado no meu pé", lembra a promotora de eventos. 

     

    A mulher então passou por uma cirurgia para retirar o animal. "Recebi uma anestesia local para retirarem o peixe. A médica responsável precisou chamar um médico homem para pôr força, pois estava difícil de puxar [a espinha]. Agora estou com um curativo, mas a única consequência foi um corte de aproximadamente 1 cm", diz.

     

     

    Octavia afirma que temeu pelo filho e por outras crianças. Ela avalia que, por enquanto, não vai mais levar o filho na água do mar. "Fiquei impressionada com o que houve. Meu filho sempre mergulha no raso. Imagina se isso acontece na altura do coração? Poderia matar! A médica me disse que recentemente isso aconteceu com uma criança de 1 ano e meio", revela.

     

     

    Segundo o Salvamento Aquático de Santos, esse tipo de ocorrência é muito comum. "Esse tipo de lesão é pequena, mas dolorida. A gente costuma cortar o peixe e deixa a espinha lá para ser retirada por um médico. Não adianta puxar que não sai. É importante ir ao médico, porque o peixe morto pode gerar uma infecção, tem muita bactéria. Por mais que seja difícil, é sempre bom caminhar na orla com chinelo ou tênis", afirma o soldado Rubens.



  • Rio de Janeiro: Cinegrafista é internado após ser atingido por bomba em protesto

    Imagem mostra cinegrafista ferido após ser atingido / Estadão Conteúdo

    Durante o confronto entre policiais e ativistas, na rua, a poucos metros da Central do Brasil, no Rio, o cinegrafista Santiago Andrade, da TV Bandeirantes, foi ferido na cabeça por uma bomba. Não se sabe se foi um artefato de fabricação caseira, lançado por manifestantes, ou uma bomba de gás usada pela polícia.
    Segundo a TV Bandeirantes, ele perdeu muito sangue e desmaiou. Socorrido por policiais e levado ao Hospital Souza Aguiar, passou por uma tomografia, que constatou afundamento de crânio. Ele foi submetido a uma cirurgia durante a madrugada e segue internado.
    Outras seis pessoas feridas durante os confrontos foram internadas em hospitais municipais.

    Manifestação
    Policiais militares e manifestantes que protestavam contra o aumento das passagens de ônibus no Rio entraram em confronto por volta das 19 horas desta quinta-feira, no saguão da Estação Ferroviária Central do Brasil, no centro. O reajuste foi autorizado pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB) e começa a vigorar no próximo sábado.

     



  • Deputada entra com representação no MP contra banda por apologia ao estupro

    Lançado em dezembro, o clipe da música “Tigrão Gostoso” foi removido do Youtube

    A deputada estadual Luiza Maia (PT) ingressou com uma representação contra a banda Abrakadabra, motivada pela letra e videoclipe da música “Tigrão Gostoso”. No documento, protocolado junto ao Ministério Público da Bahia, na quarta-feira (5), a deputada afirma que o conteúdo da música “traz indistinta discriminação contra mulheres, com violação à imagem e dignidade destas”.

    Para Luiza Maia, o clipe também incita, “sem chance de dúvida, a prática de crimes contra a liberdade sexual, como os de estupro e atentado violento ao pudor, previstos nos arts. 213 e 214 do Código Penal”.

    O vídeo, que foi lançando em dezembro e já ultrapassava 60 mil visualizações, foi removido do Youtube. No último dia 27, a Marcha Mundial das Mulheres divulgou uma nota de repúdio contra a banda.

    “No início do clipe, retrata-se uma situação que é corriqueira na vida de todas as mulheres, que vivem diariamente o medo e a insegurança de serem violentadas ao andarem sozinhas à noite ou em ruas desertas. Entretanto, ao invés de se denunciar a violência sexual, o clipe se desenrola de forma a enaltecer a posição do estuprador, colocado como a figura do “tigrão gostoso”, de modo a associar a agressividade à masculinidade”, diz trecho da nota


    Em nota à imprensa, a deputada compara a Abrakadabra ao caso da New Hit. Nove integrantes da banda e um policial militar foram acusados de estupro contra duas adolescentes em agosto de 2012, após show na cidade de Ruy Barbosa.

    “Vimos o exemplo da banda New Hit: quem canta violência pratica violência. Não podemos permitir que o que aconteceu em Ruy Barbosa se repita”, enfatizou a deputada. “O problema não está no ritmo, mas no conteúdo dessas músicas. Existem bandas de pagode e de arrocha que fazem um belo trabalho, sem ofender a dignidade de ninguém. Sabemos que a luta é grande e a Lei Antibaixaria também tem esse papel didático, de combater o machismo de forma educativa, mas há casos em que é necessário apelar para a justiça”.

    "Não tivemos essa intenção"
    Em contato com o Correio24horas, o vocalista da Abrakadabra, Diego Pereira, conhecido como Pretu, afirmou que a banda resolveu tirar o clipe do ar por conta da repercussão do caso. "Nós colocamos uma obra de arte na internet, mas que foi interpretada de forma diferente. Em nenhum momento tivemos a intenção de denegrir a imagem das mulheres, até porque a maior parte nosso público é feminino. Deus sabe que a nossa intenção não é negativa, eu fico triste por isso existir", diz.

    De acordo com o vocalista, a música foi lançada há dois anos e o clipe foi produzido pelos próprios integrantes do grupo. "É uma ficção. Se tivéssemos colocado no início do clipe a mensagem 'isso é uma ficção', não teria essa repercussão toda. É uma questão de interpretação. Foi uma produção própria. A intenção não era nem contar uma história, era mostrar a nossa marca".

    Segundo Diego, a polêmica em torno do clipe não prejudicou a agenda de shows da banda. "Tentaram nos atrapalhar, mas não conseguiram. Temos shows de quinta a domingo. E não é por causa da repercussão do caso, graças a Deus".

    Fundada há três anos em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, a Abrakadabra é conhecida por misturar ritmos como pagode, arrocha e tecnobrega.
                                                                                         (correio24horas)



  • Cubana abandona o programa Mais Médicos e se refugia na Câmara Federal para pedir asilo político ao Brasil

    Deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) Foto: Reprodução

    A cubana Ramona Matos Rodriguez, 51 anos, integrante do programa Mais Médicos, abandonou os trabalhos e anunciou na noite desta terça-feira (04/02) que vai pedir asilo político ao Brasil. Ela disse que vai permanecer refugiada na liderança do DEM na Câmara dos Deputados, aguardando uma decisão do governo brasileiro, já que está sendo “perseguida pela Polícia Federal”.

    Clínica-geral, ela chegou ao país em outubro e atuava em Pacajá, no Pará. Ela diz que deixou a cidade no sábado e seguiu para Brasília após descobrir que o valor de R$ 10 mil pago pelo governo brasileiro a outros médicos estrangeiros era muito superior ao que ela recebia pelos serviços prestados.

    A cubana alega ainda ter sido enganada sobre a possibilidade de trazer seus familiares ao país.

    Ramona foi apresentada nesta terça no plenário da Câmara por líderes do DEM. Em entrevista, ela contou que recebia por mês US$ 400 para viver no Brasil e outros US$ 600 seriam depositados em uma conta em Cuba, que só poderiam ser movimentados no retorno para a ilha.

    A médica não revelou como chegou à capital federal nem como foi feito o contato com os deputados da oposição. Ela contou, porém, que decidiu procurar o deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO) depois de fazer uma ligação para uma amiga no interior do Pará e ser informada que a Polícia Federal já tinha sido acionada para buscar informações sobre seu paradeiro, sendo que agentes teriam procurado seus conhecidos na cidade.

    Ela não deu detalhes de como chegou ao deputado e disse que se sente enganada por Cuba. A médica mostrou um contrato com a Sociedade Mercantil Cubana Comercializadora de Serviços Médicos Cubanos, indicando que não houve acerto entre o Ministério da Saúde e a Opas (Organização Pan-Americana de Saúde)

    “Eu penso que fui enganada por Cuba. Não disseram que era o Brasil estaria pagando R$ 10 mil reais pelo serviço dos médicos estrangeiros. Me informaram que seriam US$ 400 aqui e US$ 600 pagos lá depois que terminasse o contrato. Eu até achei o salário bom, mas não sabia que o custo de vida aqui no Brasil seria tão alto”, afirmou a cubana.

    Ela disse que tem uma filha que também é médica em Cuba e que sente receio pela situação dela. Romana afirmou que já trabalhou em uma missão de Cuba na Bolívia por 26 meses.

    A médica disse ainda que enfrentava problemas para se deslocar entre cidades brasileiras, tendo sempre que avisar a um supervisor cubano, que ficava em Belém.

    Ronaldo Caiado afirmou que a liderança do DEM na Câmara será a embaixada da liberdade para os médicos cubanos. Ele afirmou que sua assessoria prepara para amanhã o pedido de asilo da médica ao governo brasileiro e que irá pessoalmente conversar sobre o caso com o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo.

    “O DEM se coloca à disposição com estrutura física e jurídica”, disse.

    Os oposicionistas disseram que vão arrumar um colchão e as condições necessárias para que ela permaneça no local.

    O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse que não vai interferir no caso porque a liderança é um espaço de cada partido.

    Vitrine eleitoral da presidente Dilma Rousseff, o Mais Médicos tem o objetivo de aumentar a presença desses profissionais no interior do país, em postos de atenção básica, e para isso permite a atuação de médicos sem diploma revalidado em território nacional. Atualmente, cerca de 7.400 médicos cubanos estão selecionados para atuar no país.



  • Ações marcam Dia Mundial do Câncer nesta terça

    Bahia Noticias / Foto Reprodução

    Instituições de saúde promovem em todo o mundo ações para lembrar o Dia Mundial do Câncer, lembrado nesta terça-feira (4). O Instituto Nacional do Câncer (Inca) apresentará estimativas da doença por estado. Segundo o coordenador de Prevenção e Vigilância do Inca, Claudio Noronha, desmistificar crenças e poder falar abertamente sobre a doença é um passo importante para o controle. “É preciso ter a informação adequada para poder tomar uma atitude, haver uma mudança de comportamento, com informação você pode fazer alguma coisa”, comentou. “Tanto para investir em si mesmo, como para ajudar um parente, uma amigo, chamar a atenção”, acrescentou. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2012 foram diagnosticados 14 milhões de novos casos, com destaque para pulmão, mama e cólon. O número pode aumentar 57% e chegar a 22 milhões em duas décadas. A entidade ainda constatou que mais de 70% dos casos estão na África, Ásia, América Central e América do Sul, um total de 70% das mortes pela doença no mundo todo. Envelhecimento da população e a falta de um sistema de saúde eficiente em países subdesenvolvidos foram apontados como os principais vetores desse aumento. Informações da Agência Brasil.



  • Epidemia por novo subtipo da dengue deve fazer mais vítimas em 2014

    Fonte: Bahia Noticias / Foto: Reprodução

    Um novo subtipo da dengue classificado como DEN-4 deve fazer mais vítimas neste ano. De acordo com a Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, dos 4.460 casos da doença confirmados no país, entre janeiro e julho de 2013, 58,9% eram do recém-descoberto DEN-4. Doença infecciosa, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti contaminado, a dengue pode causar uma diminuição na quantidade de plaquetas – o que induz a sangramento – e de leucócitos, glóbulos brancos que integram o sistema imunológico. No Brasil, atualmente há quatro subtipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Segundo o infectologista José Ribamar Branco, a dengue hemorrágica, a forma mais perigosa, “é a evolução de um caso clássico da doença por falta de diagnóstico e acompanhamento médico ou por automedicação", esclarece. Os primeiros casos da doença foram diagnosticados no país em 1692. Ao longo dos séculos, a dengue alternou períodos de maior contaminação com outros de menor incidência, porém, em 2008, ela se tornou uma epidemia. Nos últimos cinco anos, mais de cinco milhões de casos prováveis já foram registrados.



  • Supremo Tribunal Federal vai julgar Marco Feliciano por estelionato

    Bahia Noticias / Foto Reprodução

    Uma ação impetrada contra o deputado federal pastor Marco Feliciano (PSC-SP) pelo crime de estelionato está próxima de ser julgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A ação tem como relator o ministro Ricardo Lewandowski. Feliciano é acusado de ter subtraído, em março de 2008, R$ 13,3 mil de uma produtora de shows evangélicos do interior do Rio Grande do Sul. Confira os detalhes e a justificativa do deputado para tal acusação na Coluna Justiça!



  • Criminalidade: Desastres dos governos petistas na Segurança Pública ou Máquina de produzir cadáveres

    Agnelo Queiroz: incompetência comprovada também na segurança pública / Fonte: Veja / Foto: Reprodução

    Por Reinaldo Azevedo

     

     

    Os governos petistas são notavelmente incompetentes em várias áreas, mas em nenhuma eles conseguem ser tão ruins como na segurança pública. Atenção! O Distrito Federal tem a renda per capita mais alta do país. O Distrito Federal tem a Polícia Militar mais bem paga do país — salário médio de R$ 4.300. O Distrito Federal tem o maior número de policiais militares por habitante: 1 para cada 168. Não obstante, a região vive um impressionante surto de violência. Os roubos cresceram 22% nos últimos dois anos. Os homicídios, em janeiro, tiveram um aumento de 41% em relação a igual mês de 2013. Desde o fim do ano passado, a PM realiza o que se chama “Operação Tartaruga” — que é, assim, trabalhar com vagar, com moleza. Pedem aumento de salário e mudança no plano e carreira. Os crimes explodiram.

    Debaixo do nariz de José Eduardo Cardozo, aquele que gosta de vir dar pitaco na polícia de São Paulo.

    Debaixo do nariz de Maria do Rosário, aquela que gosta de emitir notas marotas quando chama de homicídio um suicídio acontecido em São Paulo.

    Debaixo do nariz de Dilma Rousseff, aquela que disse esperar explicações sobre suposta ação injustificada da PM de São Paulo — que, na verdade, era a vítima.

    Vamos botar números nessa história. Segundo o Anuário de Segurança Pública, o Distrito Federal teve, em 2012, uma taxa de 32,1 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) por 100 mil habitantes, quase três vezes a de São Paulo, que tem menos policiais por habitantes, cuja polícia ganha bem menos e com renda per capita inferior. Os CVLI incluem homicídios dolosos e latrocínios. Sem dúvida, uma polícia bem paga é importante para garantir a segurança pública — mas, sem competência, é inútil. Sem dúvida, uma renda per capita elevada pode contribuir para diminuir certos crimes. Mas, sem competência, é inútil. Sem dúvida, um número maior de policiais é importante para garantir a segurança pública, mas, sem competência, é inútil.

    E, está demonstrado, competência, nessa área, o PT não tem. E a prova não está só no Distrito Federal, não. De 2008 a 2012, segundo o mesmo anuário — que é do Ministério da Justiça! —, a taxa de CVLI da Bahia cresceu 30% — de 31,3 por 100 mil habitantes para 40,7. O caso desse estado é mesmo espantoso. Segundo um outro levantamento, o Mapa da Violência, no ano 2000, a Bahia tinha 9,4 homicídios por 100 mil habitantes. Dez anos depois, já havia chegado a 37,7.

    Sergipe

    O PT governa o Sergipe desde 2007. A taxa de Crimes Violentos Letais Intencionais saltou de 27 por 100 mil habitantes em 2008 para 40 em 20912. É outro escândalo.

    Acre

    O PT está no poder no Acre há 15 anos. Os Irmãos Viana e Marina Silva são os donos do pedaço. De 2008 para 2012, conseguiu-se reduzir um pouco a taxa dos CVLI: de 26 para 24,2 — ainda assim, mais do que o dobro da de São Paulo.

    “Pô, Reinaldo, que história é essa de ficar o tempo todo comparando com São Paulo? Ora, meus caros, a esmagadora maioria dos “especialistas” ouvidos pela imprensa paulistana quando há questões relativas a segurança pública é do PT ou pertence a aparelhos do PT. O partido tem a ambição de conhecer a área. Por que, então, quando lhe é dado governar, consegue implementar uma política que produz o dobro, o triplo e até o quádruplo de cadáveres?

    Rio Grande do Sul

    No Rio Grande do Sul, Tarso Genro assumiu o poder com uma taxa de CVLI de 17 por 100 mil. Em 2011, ela passou para 17,5 e saltou para 19,8 em 2012. Não tenho os dados de 2013.

    Piauí

    PT e PSB dividem o governo do Piauí desde 2003. A taxa de CVLI saltou de 9,9 por 100 mil em 2008 para 16,4 em 2012 — e, ainda assim, o anuário inclui o estado entre aqueles cujos dados são de confiabilidade apenas média. Deve ser mais do que isso.

    Encerro

    A taxa de homicídios dolosos do Estado de São Paulo em 2010 foi de 10,5 por 100 mil. Deve ser a mais baixa do país. Não obstante, a polícia do estado é a que mais apanha do PT — claro! —, das ONGs, dos “advogados ativistas”, do governo federal e também da imprensa.

    Se a taxa de homicídios do Brasil fosse igual à de São Paulo, salvar-se-iam por ano perto de 30 mil vidas. Em breve, virá a campanha eleitoral, e o petista Alexandre Padilha tentará dar aula aos paulistas de segurança pública. Vai ver pretende pôr em prática as lições que aprendeu com Agnelo Queiroz, no Distrito Federal, e Jaques Wagner, na Bahia, entre outros especialistas… Dá para tremer só de pensar.



  • 'Isso sai na urina', diz Lula a Lupi sobre acusação de corrupção

    Fonte: Terra / Foto: Andre Dusek/AE

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou com Carlos Lupi (PDT) sobre a denúncia de corrupção da qual seu ex-ministro do Trabalho é alvo. Segundo a Folha de S. Paulo, Lula confortou Lupi e o incentivou a processar a empresária Ana Cristina Aquino, que acusa o pedetista de receber propina para acelerar o registro de um sindicato.

     

    "O Lula me falou: 'Lupi, esquece, isso sai na urina'", relatou o ex-ministro. "Ele disse que é isso aí, que eu tô certo em processar", completou ele, sobre o conselho do ex-presidente. A denunciante diz que levou uma bolsa com R$ 200 mil ao gabinete de Lupi à época em que chefiava o Ministério do Trabalho; ele disse que irá processá-la por calúnia, injúria e difamação



  • Senado gasta R$ 23,2 mi para reembolso a parlamentares

    BN: Informações da Folha / Foto: Agência Brasil

    O Senado gastou R$ 23,2 milhões em 2013 para reembolsar os 81 senadores da Casa por gastos relacionados à atividade parlamentar. A lista de despesas inclui consultorias, segurança e divulgação de seus atos. Foi destaque o dispêndio de R$ 185 mil por Jader Barbalho (PMDB-PA) para criação e manutenção de seu site. Entre os senadores que detalharam a mesma despesa, a média de reembolso foi de menos de R$ 15 mil. O senador do Pará, também declarou gasto de R$ 194 mil com consultoria para "assistência técnica especializada à elaboração de estudos de caráter analítico e descritivo sobre a situação atual do desenvolvimento à luz da sustentabilidades nas regiões de integração do Estado do Pará". Nem a assessoria do senador nem a empresa contratada para a manutenção do site, a Cgicom se manifestaram. Cada congressista entre R$ 21 mil e R$ 44 mil ao mês, a depender do estado que representa, para ressarcir os gastos com o mandato. Os dados mostram que Sérgio Petecão (PSD-AC) foi o que mais gastou com informativos impressos. Pré-candidato ao governo do Acre, ele detalhou o valor de R$ 204 mil gastos em três jornais de quatro páginas cada um. O gabinete de João Durval (PDT-BA), que gastou R$ 220 mil com aluguel de veículos, justificou que o senador usa três carros na Bahia, para atender aos seus dois escritórios.



  • MG: Em livro, pai denuncia médicos por morte e tráfico de órgãos de criança

    R7 / Texto e entrevistas: Enzo Menezes Foto: Paulo Pavesi / Divulgação

    Paulo Pavesi, 10 anos, cai da grade do playground do prédio onde morava em Poços de Caldas, no sul de Minas, em abril de 2000. Levado para o hospital Pedro Sanches e depois transferido para a Santa Casa, tem a morte confirmada e a família autoriza a retirada de órgãos. O procedimento, que é pago pelo SUS, foi cobrado da família. Ao questionar a conta de R$ 11 mil, o pai começa a investigar as cirurgias do filho e reúne dezenas de provas de que a criança teve o tratamento negligenciado e os órgãos retirados e vendidos por médicos que atuavam em uma central de transplantes clandestina 
    Esta é a história contada pelo pai da criança, o analista de sistemas Paulo Pavesi, no livro "Tráfico de Órgãos no Brasil - O Que a Máfia Não Quer Que Você Saiba", lançado neste mês na Amazon.com e também disponível para download gratuito.
    Pavesi obteve asilo na Itália em 2008 ao comprovar que corria risco de continuar no Brasil por conta das denúncias e hoje mora em Londres. Em um dos trechos, Pavesi cita a investigação do Ministério da Saúde que confirmou a retirada de fígado e córneas antes da morte:

    —A auditoria constatou que, quando a central clandestina foi acionada, meu filho não tinha a morte comprovada, o que contraria a lei rígida de transplantes. No dia seguinte, 21 de abril de 2000, Paulinho foi transferido para a Santa Casa ainda vivo, e teve os órgãos retirados sem que qualquer outro exame tivesse sido realizado 
    Nos últimos 14 anos, Pavesi denunciou erros nas investigações e pressões políticas para impedir a punição dos médicos envolvidos. Conseguiu pressionar deputados para a criação da CPI do Tráfico de Órgãos, na Câmara, que reuniu em 2004 diversos casos semelhantes no País. Todos os pedidos de indiciamento de médicos foram arquivados. O Ministério da Saúde descredenciou o Hospital Pedro Sanches para procedimentos do SUS e suspendeu transplantes na cidade. O mais grave: atestou que a central MG Sul Transplantes era clandestina. Pavesi detalha o procedimento de listas paralelas, cobradas dos pacientes:

    — As listas paralelas eram completamente ilegais. Já os pacientes de Álvaro [Ianhez, um dos coordenadores] não passavam por esta fila e recebiam órgãos mediante uma ‘doação’ em dinheiro. Tudo registrado nos livros como sendo algo legalizado. Estávamos diante de um caso de trafico de órgãos humanos e isto explicava o assassinato de Paulinho.
    Os sete médicos acusados de atuar no Caso Pavesi nunca foram julgados. A Santa Casa de Poços de Caldas, desde 2002, está impedida de realizar transplantes de órgãos. Quatro médicos foram condenados pela morte do pedreiro José Domingos de Carvalho, 38 anos, ocorrida em 2001. Em 2013, quatro receberam penas de sete a oito anos de prisão por terem abandonado o tratamento do paciente, permitindo a morte, e pela retirada e venda ilegal dos órgãos. Os condenados recorrem em liberdade e continuam a trabalhar normalmente. Segundo o Conselho Regional de Medicina, as condenações não são suficientes para a cassação dos registros profissionais. Consultado pelo R7, o presidente Itagiba de Castro Filho esclarece que foi aberta uma sindicância para recolher provas. A câmara técnica do CRM emitirá um parecer para então ser aberto um processo administrativo para apurar a conduta ética dos profissionais
    Em inúmeros trechos do livro, Pavesi acusa o deputado estadual Carlos Mosconi (PSDB) de orquestrar pressões políticas para impedir punições aos médicos. Isto porque, segundo a Justiça, Mosconi era sócio de Celso Scafi, um dos médicos condenados, e ajudou a criar a MG Sul Transplantes, como mostra um relatório publicado pela própria organização em seu site no início dos anos 2000. Mosconi é presidente da comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais 
    O deputado nega as acusações de Pavesi e desqualifica as denúncias:

    — Não conheço detalhes da história do livro. Não estou preocupado porque não tenho envolvimento com a história. Além do mais, nunca fui investigado, indiciado, estou completamente por fora
    Em 2008, o processo retornou da Justiça Federal para a comarca de Poços de Caldas, onde se reiniciou. Em 17 de janeiro de 2014, os autos sobre a retirada de órgãos de Paulinho foi declarado concluso para julgamento - com o fim dos depoimentos, é aguardada uma decisão judicial. Respondem pelo crime Celso Scafi, Cláudio Carneiro Fernandes e Sérgio Poli Gaspar. Eles também podem responder pelo homicídio, já que nova denúncia  foi oferecida pelo Ministério Público. A Justiça decidiu levar a júri popular quatro médicos acusados pela morte do garoto: José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre da Fonseca. Os réus recorreram e aguardam decisão há nove meses. Se o recurso for rejeitado, o juiz marca a data do júri  
    Paulo Veronesi Pavesi não acredita em punições:

    —Ainda que o juiz da primeira instância seja mantido no cargo e condene os médicos, estamos longe de obter justiça. São 14 anos de completa enrolação e lentidão proposital para a prescrição das penas. Há ainda o passo mais difícil que é a segunda instância. A considerar as ultimas decisões, não ficarei surpreso se desembargadores inocentarem todos. Há muito dinheiro em jogo, além de ofertas de facilidade política
    Álvaro Ianhez, segundo o advogado Luiz Carlos Abritta, ainda não se manifestou sobre o livro. Ele nega as acusações de Pavesi.

    — Não tenho o que dizer, cuido do processo na esfera criminal e não sei se ele tomará alguma medida na esfera cível.

    Os defensores dos outros médicos não foram encontrados para comentar o caso 



  • 'PAC' é

    Fotos: Max Haack / Ag. Haack/ BN | AFP | Reuters

    por Evilásio Júnior

     

    O financiamento de US$ 957 milhões à Odebrecht, via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para a construção do Porto de Mariel em Cuba foi alvo de ironia do deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB-BA).

     

    Líder tucano na Câmara, o parlamentar disse ter "descoberto" o porquê de a presidente Dilma Rousseff (PT) ter ficado conhecida como "gerente do PAC" ainda no governo Lula. "Dilma administra um programa que nunca passou de marketing, com obras atrasadas e seguidas denúncias de desvio e desperdício de recursos. Agora ficou claro: é a gerente do PAC, o Programa de Aceleração de Cuba”, satirizou, em entrevista ao Bahia Notícias.

     

     

    A chefe do Executivo nacional esteve nesta segunda-feira (27) na ilha caribenha para a inauguração da primeira etapa do terminal, ao lado dos líderes cubano, Raúl Castro, venezuelano, Nicolás Maduro, e boliviano, Evo Morales. Na oportunidade ela anunciou que a segunda fase da obra receberá ainda mais US$ 290 milhões do BNDES.

     



  • Encontrado corpo da  2ª vítima fatal do acidente com ônibus da Empresa Novo Horizonte na BR-116

    O ônibus seguia para São Paulo pela BR-116 / Destaquebahia com informações do PCS / Foto: Reprodução

    O Corpo de Bombeiros encontrou na manhã desta segunda-feira (27) o corpo da mulher de 36 anos que estava desaparecida depois que um ônibus da empresa Viação Novo Horizonte, que partiu de Valença, a 234 km de Serrinha, caiu por volta das 6h de domingo (26) no Rio Glória, que divide os municípios de Miradouro e Murié, em Minas Gerais. Um bebê de cinco meses morreu. O corpo do bebê, identificado como Rebeca Manoela Moraes Silva, foi encontrado pelos bombeiros por volta de 11h30.


    O corpo de Aparecida Alves Amaro da Silva foi encontrado a três quilômetros do local do acidente. Aparecida  viajava com a filha de 5 anos e uma sobrinha - ambas estão internadas com lesões leves no Hospital São Paulo, em Murié.  O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal de Muriaé.


    O ônibus seguia para São Paulo pela BR-116 quando tombou em uma ponte e caiu, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O veículo quebrou a mureta da ponte, que tem cerca de 10 metros de altura, e despencou no rio, cuja profundidade estimada é de três metros. No momento do acidente, 51 pessoas estavam no ônibus, incluindo o motorista.


     

    Segundo o agente rodoviário Renato Aparecido, a possibilidade do motorista ter cochilado foi descartada. “Até porque tem marcas de frenagem na pista”, disse. O ônibus foi retirado da água por dois guinchos particulares por volta das 17h. A empresa Novo Horizonte não se pronunciou sobre o assunto até o momento.



  • MG: Ônbus da Novo Horizonte cai de ponte na BR-116

    A princípio, segundo o motorista, uma das rodas do veículo se soltou e ele não teve como controlar o veículo/ Informações e fotos: do Interligado Online

    Por volta de 5h15 deste domingo (26), um ônibus da empresa Novo Horizonte que trafegava de Floresta Azul, na região Sul da Bahia, com destino a São Paulo, levando mais de 40 passageiros, atravessou a pista, bateu na mureta de proteção da ponte sobre o Rio Gloria, trecho entre Miradouro e Muriaé, em Minas Gerais, e caiu. De imediato o motorista do ônibus que fazia a mesma linha e vinha atrás parou e entrou no rio para tentar resgatar as pessoas. Segundo ele, assim que chegou ao local viu um bebê sendo levado pelas águas, e buscou ajuda para as outras pessoas.

     

    Os Bombeiros mergulharam e entraram no ônibus, resgatando a maioria dos passageiros

     

    Bombeiros, ambulâncias de municípios da região e voluntários ajudaram no resgate dos passageiros, que foram levados aos poucos para o hospital São Paulo. A princípio, segundo o motorista, uma das rodas do veículo, que saiu por volta de 10 horas de sábado (25), da rodoviária de Floresta Azul, travou e ele não teve como controlar o veículo.

     

    Bombeiros, ambulâncias de municípios da região e voluntários ajudaram no resgate dos passageiros, que foram levados aos poucos para o hospital São Paulo. A princípio, segundo o motorista, uma das rodas do veículo, que saiu por volta de 10 horas de sábado (25), da rodoviária de Floresta Azul, travou e ele não teve como controlar o veículo.

     



  • Senado pede porcelana dourada e pano de prato felpudo em licitação de R$ 71 mil

    Senadores começam o ano com louças novas ao custo de R$ 71 mil Agência Brasil

    Até fevereiro, a Casa deve contratar quase R$ 300 mil em serviços

    Os senadores devem começar o ano legislativo com louças novas nas cozinhas e nas copas das unidades administrativas da Casa. No primeiro dia útil de fevereiro, o Senado realiza pregão para comprar R$ 71.800 em materiais como xícaras e panos de prato.

    No edital, o Senado solicita mais de 17 mil itens de cozinha e copa. Na lista, estão 50 bules de café que, pelas especificações exigidas, custam R$ 140 cada um.

    Além disso, são solicitadas 3.600 xícaras de porcelana branca com pires e frisos dourados. Outra exigência é que a louça tenha gravado, também em dourado, o logotipo do Senado. Cada uma deve sair por quase R$ 10.

    O Senado também pede 600 panos de algodão e com tecido atoalhado felpudo. Pelas especificações, cada pano custa mais de R$ 7. O edital pede ainda 600 garrafas térmicas e 13.000 pacotes de guardanapo, com 50 unidades cada um.

    R$ 300 mil em serviços

    Mas essa não é a única licitação que o Senado vai fazer para iniciar os trabalhos legislativos. Também estão abertos editais para assinatura digital de jornais e de revistas e para instalação de pontos de cartão de crédito e de débito.

    O Senado quer a assinatura de 13 jornais e seis revistas para acessar, por meio da internet, o conteúdo dos veículos de comunicação. O serviço, com autorização para “copiar, reproduzir e imprimir as notícias de interesse do Senado” deve ser contrato por R$ 208 mil, por um ano.

    O edital exige senhas individuais de acesso para os senadores, para a biblioteca e para a Secretaria de Transparência do Senado. A Casa quer ter acesso ao conteúdo de seis revistas nacionais e uma de tiragem internacional, além de sete jornais de circulação nacional e seis jornais regionais.

    Outro pregão que deve acontecer antes dos senadores voltarem das férias prevê a contratação de uma empresa para prestação de serviços de transações eletrônicas e manuais com cartões de crédito e débito.

    A justificativa do Senado é facilitar o comércio nas livrarias e feiras de livros realizadas pela Casa, além da livraria virtual do Senado. O contrato de um ano deve ser firmado por R$ 18.700.