BUSCA PELA CATEGORIA "BRASIL"

  • PF desarticula quadrilha que aplicou golpe milionário contra órgãos federais

    Foto reprodução

    A Polícia Federal iniciou nesta segunda-feira (20) uma operação para cumprir 6 mandados de prisão e 14 mandados de busca e apreensão contra uma quadrilha especializada em fraudes em licitações de órgãos públicos federais. O prejuízo estimado é de cerca de R$ 2 milhões.

    Segundo a PF, a quadrilha era chefiada por dois homens que, com a ajuda de cúmplices, combinavam valores que seriam apresentados em processos licitatórios. A simulação aumentava as chances dos certames fraudulentos serem aprovados em licitações de órgãos federais.
    A Polícia Federal informou que 11 empresas estão por trás das fraudes entre 2010 e 2013. Os contratos era todos para o fornecimento de mão-de-obra para serviços gerais.

    Foram identificadas fraudes em licitações da Anatel, Marinha do Brasil, Delegacia Regional do Trabalho, Fundação Nacional de Saúde, Delegacia da Receita Federal de Julgamento em Salvador, Delegacia da Receita Federal em Feira de Santana, entre outros que ainda estão sendo apurados.

    Os envolvidos responderão pela prática de falsidade documental, fraudes a licitações e formação de quadrilha. A prisão temporária tem duração de 5 dias, e pode ser prorrogada por mais 5 dias. (Fonte: [email protected])



  • Magreza do Padre Marcelo Rossi causada por depressão e outro problemas chocam internautas

    Foto Reprodução, TV Globo

    Muitos internautas questionaram o motivo para tamanha magreza do Padre Marcelo Rossi, que surpreendeu ao aparecer nas redes sociais durante a festa do Círio de Nazaré, em Belém do Pará. A apresentadora Sonia Abrão comentou sobre o caso em seu programa ‘A Tarde É Sua’, na RedeTV!. ”Bastante magro, Padre Marcelo fez uma aparição em Belém, participou dia 10, no Círio de Nazaré, em Belém. Na página oficial do evento, foram publicadas muitas fotos do padre com seus fiéis, onde ele aparece bastante magro e logo que caiu na rede, os internautas comentaram sobre sua saúde”, disse ela. Nas redes sociais, Sonia voltou a falar sobre o caso e explicou o motivo da magreza de Padre Marcelo: “Ele emagreceu em 3 anos, mais ou menos, de 35 a 40 kg. Todos sabem, ele mesmo já falou, que ele sofre de depressão, mas mesmo assim, ele é forte e continua fazendo suas obrigações. Com sua fé ele vai adiante, cumpre sua agenda de fé e está prestes a lançar mais um DVD”. Em dezembro de 2013, Padre Marcelo chegou a contar ao ‘Fantástico’ que, além da depressão, tinha feito uma dieta e também estava com anorexia. “Era só alface e hambúrguer. Imagina seis meses fazendo isso. Eu sou um desses loucos que caiu nessas dietas malucas. Infelizmente exagerei. As pessoas falavam que estava muito magro, e eu não acreditava”, contou ele na ocasião. Informações do Correio24Horas.



  • Pela primeira vez, Dilma admite desvios na Petrobras

    Foto: Ed Ferreira/ Estadão Conteúdo

    A presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, admitiu neste sábado (18) que “houve desvio” na Petrobras, conforme denúncias do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa. Foi a primeira vez que a presidente confirmou a existência de desvio. A confirmação pela candidata ocorreu durante entrevista coletiva no Palácio da Alvorada. “Se houve desvio de dinheiro público queremos ele de volta. Se houve, não. Houve, viu?”. Dilma afirmou também que o governo pretende pedir o ressarcimento de todos os recursos desviados pelo esquema comandado por Costa, com recursos desviados por meio de construtoras para financiar partidos políticos - entre eles, o PT, o PMDB e o PP. “Farei todo o possível para ressarcir o país”. A presidente, contudo, disse que ainda não foi informada sobre valores que poderiam voltar para a estatal em razão da recusa do Supremo Tribunal Federal (STF) de permitir o acesso do governo a detalhes da delação premiada de Costa. “Ninguém sabe o que tem para ser ressarcido, porque os dados mais importantes da delação premiada não foram entregues a nós”.

    Ao ser questionada sobre se o pagamento de R$ 10 milhões por Costa ao ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra, morto no início deste ano, tiraria dos tucanos a bandeira da ética, ela afirmou que “ninguém está acima de suspeita”. Também ontem, Dilma disse que se sentiu desrespeitada pelo adversário Aécio Neves (PSDB) quando ele a chamou de “leviana”. “Quando começa a discussão, o candidato adversário não gosta muito. Ele parte para algumas atitudes um tanto quanto desrespeitosas. Foram desrespeitosas comigo, foram desrespeitosas com a Luciana Genro. Ele pode inclusive querer processar, mas quem deveria processá-lo somos nós”. Dilma se referia à decisão da campanha do tucano de processá-la por injúria e difamação por conta de uma inserção que circulou ontem. No vídeo, a campanha de Dilma diz que Aécio tem mostrado dificuldade em respeitar as mulheres e mostra imagens de dois debates nos quais o candidato chamou de leviana Luciana e Dilma. “Você acha que um candidato a presidente pode agir dessa maneira?”, diz o locutor. Dilma reclamou da postura de Aécio. “A nós duas ele chamou de leviana, coisa que não se faz. Não é uma fala correta para mulheres. Eu lamento muito.

    CONTINUE LENDO


  • Confira o video:



  • Hoje é Dia do Professor, Antônio Torres e o Destaquebahia o homenageia

    Por Antônio Torres.

    Homenageio os valorosos professores pela passagem da comemoração do seu dia, (15/10). Dentre eles, cito, com ênfase, os do ensino fundamental, os que lidam com crianças ainda em formação do aprendizado. Fazendo pesquisas sobre o assunto, deparei-me com um artigo da Irmã Lídia da Pastoral da Criança, cujo conteúdo, pela abrangência e realidade, coincide com os meus sentimentos e esperanças. Transcrevo-o na íntegra, por achar justas, perfeitas e realistas as colocações nele contido.

    “PARABÉNS, PROFESSOR!”

    “Por ocasião do Dia do Professor, saudamos com respeito e consideração a vocês que se dedicam com entusiasmo à educação e compreendem como um processo histórico e social que atinge o ser humano em todas as suas dimensões e relações, impulsionando o seu desenvolvimento, colaborando para atualizar suas potencialidades e capacidades, buscando sua realização como pessoa humana e criatura de Deus.

    A educação é um serviço para a construção de uma sociedade em que todos tenham vida digna, capacidade crítica e ação transformadora, visando ao bem comum.

    A dignidade do professor é decorrente da opção que fez ao colocar-se a serviço da pessoa humana, assumindo a missão educadora, comprometendo-se numa comunidade educativa que visa humanizar, personalizar, desenvolver os relacionamentos da pessoa consigo, com os outros e com Deus, colaborar no desenvolvimento das potencialidades humanas.

    Nessa perspectiva trabalham, por vocação, com os valores mais altos quais sejam: a vida, o amor, a justiça, a solidariedade, a participação, a cidadania, o trabalho, a consciência ética, dons intelectuais e espirituais, encontrando sua realização pessoal em colaborar para a plena realização daqueles de quem está a serviço.

     

          

    Diante dessa dedicação generosa e tão nobre causa, é correta a luta que realizam por uma política educacional autêntica que possibilite alcançar a finalidade da educação, escola para todos, condições de trabalho, respeito à sua dignidade, remuneração justa.

     Acompanhamos os desafios que agridem o campo da educação no seu aspecto social: a pobreza, a marginalização, doenças; no campo político: a falta de políticas educacionais adequadas; no campo moral: a corrupção; no campo econômico: o custo de vida, os salários baixos, a competição desleal. Tudo isso nos indigna.

    Animamos os professores que buscam uma espiritualidade, uma mística que os sustentem em seu trabalho. Optem pela defesa da vida, acreditem no valor da pessoa humana, defendam um processo educativo libertador, não aceitem ser meramente um profissional, associem-se na busca de novos métodos e pela coesão do grêmio.

    A pedagogia de Deus na educação de seu povo em busca de libertação e da terra prometida tem sido a inspiração para a atividade de muitos professores. Ele parte da realidade concreta de um povo que necessita de vida, liberdade e condições humanas e sociais. Com amor, paciência, generosidade, ajuda o povo, num crescimento progressivo, a alcançar um objetivo definido: ser livre e encontrar a salvação. Corrige-o nas fraquezas e infidelidades e se alegra com sua organização e com as conquistas alcançadas. Por isso, agradecemos àqueles que buscam aprimorar a sua formação para que o exercício de sua missão seja testemunho marcante na vida dos educandos”.

    O professor é o luminar da sociedade, o qual ajuda a modelá-la, usando toda sua experiência, competência e comprometimento com a causa da formação educacional voltada para os princípios básicos da cidadania. são os formadores dos futuros cidadãos.
    No meu tempo de estudante, recebíamos instrução religiosa, moral e cívica, matérias imprescindíveis na formação da personalidade e do caráter do indivíduo, e foram, absurdamente, retiradas da grade curricular.

    Cabe também aos docentes, como formadores de opinião, incutir no aluno princípio de moralidade e cidadania.

     Ao homenagear os professores, faço-o também a todas as outras classes e categorias de profissionais, porque daqueles dependem todos para a sua formação intelectual e profissional. O governo, infelizmente, privilegia uma política globalizada que adotou a especulação financeira como prioridade em detrimento dos trabalhadores.

     

    CONTINUE LENDO


  •  Novo exame de suspeito de ter ebola dá negativo, diz ministro da Saúde

    O ministro da Saúde, Arthur Chioro, durante entrevista nesta segunda em Brasília (Foto: Raquel Morais/G1)

    O ministro da Saúde, Arthur Chioro, informou na tarde desta segunda-feira (13) que o segundo exame feito pelo africano internado no Rio de Janeiro com suspeita de ebola deu resultado negativo. O homem foi o primeiro caso suspeito da doença no Brasil. "Nós recebemos há pouco o laudo do Instituto Evandro Chagas, em Belém do Pará, confirmando o resultado negativo da segunda amostra. Consideramos o caso suspeito como caso descartado", disse Chioro. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos, no Rio de Janeiro, informou que Souleymane Bah só deve receber alta nesta terça-feira (14).


    Bah saiu da Guiné no dia 18 de setembro e chegou ao Brasil no dia 19, depois de uma escala em Marrocos. Ele seguiu de ônibus para a Argentina e, ao entrar novamente no país, pediu refúgio no posto da Polícia Federal da cidade de Dionísio Cerqueira, em Santa Catarina. No dia 24, foi para Cascavel, no Paraná, onde se hospedou em um albergue com dois africanos.
     

    Na quinta-feira (9), procurou uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) depois de apresentar febre. Ele relatou que o sintoma começou na quarta-feira (8). Na sexta (10), foi levado ao Rio de Janeiro em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) e encaminhado ao Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, ligado à Fiocruz, referência em doenças infecciosas.

     

    Seguindo o protocolo da Organização Mundial de Saúde, o africano fez dois testes. O resultado do primeiro saiu no sábado pela manhã e apontou que ele não tinha a doença, mas o ministério decidiu não desmobilizar os esforços até a análise da segunda amostra para seguir as orientações de prevenção.

     

    Além disso, a pasta suspendeu o monitoramento das 64 pessoas que tiveram contato com Bah. "Eu me sinto aqui na obrigação de comunicar a todos que esse segundo resultado é negativo, felizmente é negativo. Portanto, damos como suspenso o monitoramento dos outros pacientes."

     

    Chioro afirmou que as medidas de prevenção contra o avanço da doença no país seguem sendo adotadas, incluindo simulações em portos e aeroportos. Ele também declarou que o ministério está comunicando a Organização Mundial da Saúde e as secretarias de Cascavel, no Paraná, e do Rio de Janeiro sobre o resultado.

     


     



  • Condenado a 278 anos por estupro, Abdelmassih denomina-se

    Metro1 / Foto:Reprodução / G1

    Escutas telefônicas gravadas pelo Ministério Público flagraram o ex-médico Roger Abdelmassih confessando ao seu psiquiatra que manteve relações sexuais com as pacientes, de acordo com a gravação divulgada pela TV Bandeirantes. Ele foi condenado a 278 anos de prisão em 2010 por cometido pelo menos 56 estupros em suas pacientes. O ex-médico relatou ter sido seduzido pelas mulheres e negou os crimes. "A mulher jogava o milho, eu ia comer, aí eu levei o ferro. Quer dizer, você sabe que mulher é um bicho desgraçado mesmo!", diz o áudio da gravação.
     
     
    Em determinado momento da conversa, Abdelmassih denomina-se "o grande comedor". "Que Deus quis quebrar o prepotente, etc, o grande metido a isso, a aquilo, o comedor. (...) É, o grande comedor, e que provavelmente achava que "tava" tudo disponível", diz outro trecho da escuta divulgada pela Bandeirantes.
     
    Confira o vídeo:
     
     



  • Juntos por 65 anos, marido e mulher morrem com 40 minutos de diferença

    Italvino e Diva deixaram um exemplo de amor para os familiares. G1 RS (Foto: Fátima Possa Nunes/Arquivo pessoal)

    Uma história que teve início no final da década de 1940 no interior do Rio Grande do Sul terminou na última sexta (4) no Hospital São Lucas da PUCRS, em Porto Alegre. Juntos há 65 anos, Italvino Possa, de 89 anos, e Diva Alves de Oliveira Possa, de 80, morreram com cerca de 40 minutos de diferença. Ele foi vítima de uma leucemia. Ela, acometida por um tumor na bexiga, partiu logo depois. O casal passou os últimos momentos de mãos dadas, com as camas juntas no quarto.

     

    "O pessoal da PUC conhecia eles, sabia da luta deles, então juntaram as duas camas no quarto e eles vieram a falecer quase no mesmo horário, como se ele estivesse abrindo as portas para ela e arrumando a casa para eles ficarem juntos para sempre", diz o estudante universitário Rafael Max, um dos 14 netos do casal, que deixou ainda 10 filhos e seis bisnetos.

     

    Foto tirada 10 minutos antes da morte de Italvino
    mostra o casal de mãos dadas no hospital
    (Foto: Rafael Max/Arquivo Pessoal)

    Italvino e Diva se conheceram durante um baile em 1948 e, um ano depois, se casaram. "Ele sempre frisava que era um ano a mais de casado, porque o que contava era o início do namoro. Se considerava um eterno namorado", conta Max.

     

    O casal viveu em Marau e Passo Fundo, no Norte do estado, e também na capital gaúcha. Em todos estes anos de união, Italvino jamais deixou o romantismo morrer. Preparava o café da manhã para a amada e mantinha uma horta no pátio com as verduras "ao gosto dela". Além disso, a presenteava com flores. "Em todos os dias dos namorados, eles sempre comprou rosas para ela", conta.

     

    Seu Italvino foi a principal referência paterna da vida do neto, que perdeu o pai quando tinha apenas três anos de idade e, até os 12, viveu com a mãe na casa dos avós. Ainda enlutado pela perda, ele exalta a retidão de caráter do avô.

     

     

    "Nunca tive um exemplo de homem tão reto. Às vezes áspero, mas pela rudimentariedade da época em que viveu, mas muito justo e reto", relembra. Já a avó é considerada uma mulher "doce". "Ela tinha facilidade em lidar com as pessoas da família".

     

    A religião adventista motivava o casal a fazer boas ações. "Eles sempre buscavam ajudar as pessoas necessitadas, com roupas. Se envolviam em projetos da igreja que frequentavam, e talvez por isso eram tão bons", relembra o neto.

     

    Italvino foi o primeiro a descobrir a doença, em agosto do ano passado. Desde então, entre internações e altas, batalhava para permanecer ao lado da amada. Já neste ano, Diva recebeu o diagnóstico de câncer. Foi submetida a uma cirurgia em abril e deu início a um tratamento.

     

    Na última quarta (1), já internada no hospital, a matriarca chamou a família para uma reunião. "Ela sentiu que a hora estava chegando, pediu para ver parentes e meu avô foi ao hospital. Depois da conversa que eles tiveram, tanto ela ficou mais tranquila quanto ele, que lutava contra uma doença", conta Max.

     

    Italvino retornaria ao hospital na manhã de sexta-feira (4), após passar mal. Ele morreu por volta das 15h do mesmo dia. "Depois, minha tia falou no ouvido dela que meu avô tinha partido em paz. Ela ficou mais tranquila", contou.

     

    Contrariados pela perda de um casal tão amado, os familiares reconhecem que, no fundo, foi melhor assim. "Eles não iam aguentar a dor de ficar um sem o outro", cogita Max, ainda emocionado com uma história tão rara de amor. "Nunca vi nada parecido".

     

    CONTINUE LENDO


  • Auditora fiscal do Trabalho é denunciada por incitar ódio aos nordestinos nas redes sociais

    BN / por Cláudia Cardozo / Postagem foi feita depois do resultado das eleições

    O resultado das eleições à Presidência da República de2014 repetiu uma cena que foi vista nas eleições de 2010: uma enxurrada de postagens nas redes sociais que incitam o ódio aos nordestinos. Na época, a estudante Mayara Petruso foi denunciada pelo Ministério Público Federal (MPF) por discriminação e foi condenada a 1 ano e cinco meses de prisão pela Justiça Federal. Na noite deste domingo, diversos internautas denunciaram usuários de redes como Facebook e Twitter por incitar o ódio contra os nordestinos. E uma delas, Ingrid Berger, foi denunciada na Ouvidoria do Ministério Público do Trabalho (MTE) por postar em seu perfil no Facebook que o Nordeste “merecia uma bomba como Nagasaki, para nunca mais nascer uma flor nos próximos 70 anos”. A denúncia foi feita na esfera administrativa, pois a denunciada é auditora fiscal do Trabalho, aprovada em um concurso de 2013, está em estágio probatório, e por isso, ainda não tem o direito à estabilidade funcional dada aos servidores públicos. Atualmente, a servidora, que é formada em direito, está lotada Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Cuiabá, no Mato Grosso. A denúncia foi protocolada pelo advogado baiano Durval Saback. Ao Bahia Notícias, ele afirmou que recebeu a mensagem através de um colega pelo Whatsapp e checou a veracidade da informação, e, através de um colega, que também é auditor fiscal, confirmou que ela foi aprovada no concurso público. “A denúncia foi feita na ouvidoria do Ministério do Trabalho para apurar se ela cometeu infração que possa ferir o Código de Ética do Servidor, para instaurar um processo administrativo disciplinar. Somente depois é que se saberá se ela cometeu a infração, para ser demitida do serviço público ou não”, explica. Tempo depois, segundo o advogado, a conta de Ingrid Berger foi deletada, assim como a postagem. Mas o print da tela foi salvo. Mensagens de incitação ao ódio, discriminação e racismo postados em rede sociais ainda podem ser investigadas pelo MPF. A denunciada ainda pode ser investigada na esfera cível e penal. Denúncias parecidas podem ser feitas no site da Polícia Federal e da ONG Safernet.



  • Nordestinos são vítimas de racismo após apuração dos votos para Presidente neste domingo

    BN / Foto: Reprodução

    Com o resultado das eleições deste domingo (5), que colocam a presidente Dilma na frente de Aécio e leva o pleito ao segundo turno, as declarações racistas nas redes sociais dispararam. A petista ganhou com folga nos estados do Norte (50,52%) e Nordeste (59,58%), enquanto no Sul (36,32%), Sudeste (32,43%) e Centro Oeste (32,55%) teve votações menores que Aécio. "Esses nordestinos desgraçados parecem que não sabem que a culpa da falta de água é da lazarenta da Dilma", escreveu um internauta. “só aqueles nordertinos malditos que votam na dilma nossa espero que nunca mais chova la seca pra sempre" e “A votação da Dilma no Nordeste mostra o  quanto é importante para o PT a bolsa COME E DORME E FAZ FILHO dada aos nordestinos!”, disseram outros no twitter.

     



  • Dilma e Aécio decidirão eleição para presidente no segundo turno

    Dilma Rousseff e Aécio Neves durante seus pronunciamentos (Foto: Eraldo Peres/AP e Eugenio Savio/AP)

    Com 99,99% das urnas apuradas, Dilma tinha 41,59% e Aécio, 33,55%. No próximo dia 26, PT e PSDB disputarão 2º turno pela 4ª vez consecutiva.

    Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) decidirão em segundo turno, no próximo dia 26, quem será o futuro presidente do Brasil. Com 99,99% das urnas apuradas (acompanhe a apuração), a petista obteve 43.267.438 votos (41,59%) no primeiro turno e o tucano, 34.897.196 (33,55%), segundo números do Tribunal  Superior Eleitoral (TSE). Marina Silva (PSB) recebeu 22.176.613 votos (21,32%) e ficou em terceiro lugar, mesma colocação da eleição de 2010. O resultado ficou matematicamente confirmado às 19h56, segundo o TSE – até a última atualização desta reportagem, faltava somente a contabilização dos votos de duas seções eleitorais no Amazonas.

    Após a confirmação de que haverá segundo turno, Dilma e Aécio fizeram pronunciamentos em Brasília e em Belo Horizonte, respectivamente.

    A petista aproveitou a fala, para uma plateia de militantes do partido, e atacou o PSDB: "O povo brasileiro não quer de volta aqueles que viraram as costas para o povo, que acabaram com as escolas técnicas, esvaziaram o crédito educativo e elitizaram as nossas universidades federais, sucateando-as". Aécio afirmou que "o sentimento de mudança em todo o Brasil foi uma coisa surpreendente em todos os estados".

    A candidata do PSB declarou que decidirá com o partido quem apoiará no segundo turno e que não se considera uma "derrotada" por ficar fora da etapa decisiva da disputa pelo Palácio do Planalto.

    O ministro Gilberto Carvalho afirmou que o PT está disposto a convencer Marina Silva a apoiar Dilma no segundo turno, e que, para isso, o partido pode incorporar propostas do programa de candidata derrotada. Aécio, que no pronunciamento reverenciou Eduardo Campos, morto em agosto e de quem Marina era vice, declarou que aceitará o apoio de "todos os que tiverem contribuições a dar". Ele disse ter "enorme respeito" por Marina, mas que aguardará a decisão "sobre o caminho que ela achar mais adequado".

     

    Será a quarta vez consecutiva que candidatos de PT e PSDB disputarão o segundo turno – em 2002, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceu José Serra (PSDB); em 2006, Lula se reelegeu contra Geraldo Alckmin (PSDB); em 2010, Dilma superou Serra.

    Nesta eleição, Dilma venceu em 15 estados, Aécio em nove e no Distrito Federal, e Marina em dois. Veja o mapa e uma comparação com o desempenho dos candidatos de 2010.

    A campanha eleitoral passou por uma reviravolta após a morte em acidente aéreo, em 13 de agosto, de Eduardo Campos, de quem Marina era vice.

    Até então, as pesquisas indicavam uma situação de estabilidade, com Dilma à frente e Aécio em segundo. O tucano já havia enfrentado denúncias de suposta concessão irregular para um tio de um aeroporto na cidade de Cláudio (MG), mas a candidatura dele começou a perder fôlego após a morte de Campos.

    Primeira presidente mulher do Brasil, Dilma Vana Rousseff, 67 anos, nasceu em Belo Horizonte (MG) em 14 de dezembro de 1947. No regime militar, atuou em organizações de esquerda clandestinas, foi presa e torturada. Em 2001, filiou-se ao PT, após deixar o PDT. Antes de ser eleita presidente em 2010, Dilma nunca havia ocupado nenhum cargo eletivo.

    Formada em economia, foi secretária de estado no Rio Grande do Sul. Entre 2003 e 2005, ocupou o posto de ministra de Minas e Energia, durante o primeiro mandato do Lula. Em 2005, deixou a pasta e sucedeu José Dirceu na Casa Civil, que deixava o cargo após denúncia de envolvimento no escândalo do mensalão. 

    Em 2010, elegeu-se presidente no segundo turno com 56,05% dos votos válidos (55.752.483 votos), contra 43,95% (ou 43.711.162) do seu adversário, José Serra (PSDB). No início da campanha deste ano, sofreu pressão interna de parte do partido, que pretendia trocar a candidatura dela pela do ex-presidente Lula, no chamado movimento "Volta, Lula".


    Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) decidirão em segundo turno, no próximo dia 26, quem será o futuro presidente do Brasil. Com 99,99% das urnas apuradas, a petista obteve 43.267.438 votos (41,59%) no primeiro turno e o tucano, 34.897.196 (33,55%), segundo números do Tribunal  Superior Eleitoral (TSE). Marina Silva (PSB) recebeu 22.176.613 votos (21,32%) e ficou em terceiro lugar, mesma colocação da eleição de 2010. O resultado ficou matematicamente confirmado às 19h56, segundo o TSE – até a última atualização desta reportagem, faltava somente a contabilização dos votos de duas seções eleitorais no Amazonas.

    Após a confirmação de que haverá segundo turno, Dilma e Aécio fizeram pronunciamentos em Brasília e em Belo Horizonte, respectivamente.

    A petista aproveitou a fala, para uma plateia de militantes do partido, e atacou o PSDB: "O povo brasileiro não quer de volta aqueles que viraram as costas para o povo, que acabaram com as escolas técnicas, esvaziaram o crédito educativo e elitizaram as nossas universidades federais, sucateando-as". Aécio afirmou que "o sentimento de mudança em todo o Brasil foi uma coisa surpreendente em todos os estados".

    A candidata do PSB declarou que decidirá com o partido quem apoiará no segundo turno e que não se considera uma "derrotada" por ficar fora da etapa decisiva da disputa pelo Palácio do Planalto.

    O ministro Gilberto Carvalho afirmou que o PT está disposto a convencer Marina Silva a apoiar Dilma no segundo turno, e que, para isso, o partido pode incorporar propostas do programa de candidata derrotada. Aécio, que no pronunciamento reverenciou Eduardo Campos, morto em agosto e de quem Marina era vice, declarou que aceitará o apoio de "todos os que tiverem contribuições a dar". Ele disse ter "enorme respeito" por Marina, mas que aguardará a decisão "sobre o caminho que ela achar mais adequado".

     Será a quarta vez consecutiva que candidatos de PT e PSDB disputarão o segundo turno – em 2002, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceu José Serra (PSDB); em 2006, Lula se reelegeu contra Geraldo Alckmin (PSDB); em 2010, Dilma superou Serra.

    Nesta eleição, Dilma venceu em 15 estados, Aécio em nove e no Distrito Federal, e Marina em dois. Veja o mapa e uma comparação com o desempenho dos candidatos de 2010.

    Segundo a apuração parcial, Luciana Genro tinha 1.612.186 votos (1,55%), seguida de Pastor Everaldo (PSC), com 780.505 (0,75%); Eduardo Jorge (PV), com 630.099 (0,61%); Levy Fidelix (PRTB), com 446,878 (0,43%); Zé Maria (PSTU), com 91.209 (0,09%); Eymael (PSDC), com 61.250 (0,06%); Mauro Iasi (PCB), com 47.847 (0,05%); e Rui Costa Pimenta (PCO), com 12.324  (0,01%).

    A campanha eleitoral passou por uma reviravolta após a morte em acidente aéreo, em 13 de agosto, de Eduardo Campos, de quem Marina era vice.

    Até então, as pesquisas indicavam uma situação de estabilidade, com Dilma à frente e Aécio em segundo. O tucano já havia enfrentado denúncias de suposta concessão irregular para um tio de um aeroporto na cidade de Cláudio (MG), mas a candidatura dele começou a perder fôlego após a morte de Campos.

    Após o acidente que matou o ex-governador de Pernambuco, Marina Silva assumiu a condição de candidata e chegou a aparecer em situação de empate técnico com Dilma, deixando Aécio para trás. Mas, na última semana da campanha, ela começou a perder intenções de voto, e o tucano recuperou o segundo lugar nas pesquisas divulgadas na véspera do segundo turno.

    A campanha foi marcada pela troca de ataques entre os candidatos. A ascensão de Marina, logo após a comoção provocada pela morte de Campos, fez com que se tornassem mais duros os discursos dos adversários. Em eventos de campanha e na propaganda da TV, Dilma pedia com frequência aos eleitores que votassem contra o "retrocesso" e a favor das "conquistas sociais", ao que a campanha de Marina respondia dizendo que rival adotava “discurso do medo” e fazia “terrorismo eleitoral”.

    Uma das principais polêmicas se deu em torno da divulgação dos programas de governo. Primeira a apresentar suas propostas, Marina Silva foi alvo de críticas por ter alterado, no dia seguinte à divulgação do programa, o capítulo de políticas para a população LGBT, retirando o apoio à criminalização da homofobia. Ela também foi objeto de críticas de Dilma por defender a autonomia do Banco Central. Aécio também disparou contra a candidata do PSB, acusando-a de mudar frequentemente de posição.

    Os embates também envolveram Dilma e Aécio. O tucano explorou durante a campanha o tema "corrupção" na Petrobras, responsabilizando o atual governo pelos escândalos que envolveram a estatal e culminaram na prisão, pela Polícia Federal (PF), de um ex-diretor acusado de desviar dinheiro da empresa. Dilma se defendeu dizendo que a PF teve autonomia para investigar e os casos de corrupção não eram escondidos "debaixo do tapete".

    No campo da economia, a petista acusou os tucanos de terem "quebrado" o Brasil três vezes durante o governo de Fernando Henrique Cardoso e de terem intenção de privatizar a Petrobras. Aécio, por sua vez, repetia que o governo perdeu o controle da inflação e que o país parou de crescer na gestão Dilma.

    Os candidatos

    Primeira presidente mulher do Brasil, Dilma Vana Rousseff, 67 anos, nasceu em Belo Horizonte (MG) em 14 de dezembro de 1947. No regime militar, atuou em organizações de esquerda clandestinas, foi presa e torturada. Em 2001, filiou-se ao PT, após deixar o PDT. Antes de ser eleita presidente em 2010, Dilma nunca havia ocupado nenhum cargo eletivo.

    Formada em economia, foi secretária de estado no Rio Grande do Sul. Entre 2003 e 2005, ocupou o posto de ministra de Minas e Energia, durante o primeiro mandato do Lula. Em 2005, deixou a pasta e sucedeu José Dirceu na Casa Civil, que deixava o cargo após denúncia de envolvimento no escândalo do mensalão. 

    Em 2010, elegeu-se presidente no segundo turno com 56,05% dos votos válidos (55.752.483 votos), contra 43,95% (ou 43.711.162) do seu adversário, José Serra (PSDB). No início da campanha deste ano, sofreu pressão interna de parte do partido, que pretendia trocar a candidatura dela pela do ex-presidente Lula, no chamado movimento "Volta, Lula".

    Aécio Neves da Cunha, 54 anos, nasceu em 10 de março de 1960 também em Belo Horizonte (MG). Assim como Dilma, é formado em economia. Neto do ex-presidente Tancredo Neves, participou de diversos comícios ao lado do avô no início de sua vida pública.

    Elegeu-se deputado federal pela primeira vez em 1986, reelegendo-se por mais três vezes. Entre 2001 e 2002, presidiu a Câmara dos Deputados. Ainda em 2002, foi eleito governador de Minas Gerais, cargo que exerceu por dois mandatos, até 2010.

    Em 2010, o tucano elegeu-se senador por Minas Gerais. Em 2013, ganhou a disputa interna com José Serra pela candidatura a presidente da República e foi eleito presidente nacional do PSDB.

    CONTINUE LENDO


  • Candidatos a presidência votam na manhã deste domingo; Eduardo Jorge chega à seção de bicicleta

    BN / Foto: Reprodução

    Os três principais candidatos à Presidência da República já votaram na manhã deste domingo (5). O candidato a presidente, Aécio Neves (PSDB) votou na Escola Estadual Governador Milton Campos, no bairro Lurdes, em Belo Horizonte, Minas Gerais. O candidato afirmou que a sua virada nas pesquisas de intenção de voto sobre Marina Silva (PSB) não foi surpresa. "É uma coisa que vejo com naturalidade. Não foi algo surpreendente", declarou ao Estadão. Aécio ainda acompanhou o ex-governador Antonio Anastasia e o candidato ao governo de Minas pelo PSDB, Pimenta da Veiga, que também votam em Belo Horizonte. A presidente Dilma Roussef, que tenta a reeleição pelo PT, votou as 8h47 na Escola Estadual Santos Dumont, na Zona Sul de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Dilma estava acompanhada do governador Tarso Genro, que também tenta a reeleição. Dilma afirmou que tem trabalhado, em toda eleição, com a hipótese de “uma eleição em dois turnos”. A presidente preferiu não comentar se prefere ir para o segundo turno com Aécio Neves ou Marina Silva. A candidata Marina Silva votou em Rio Branco, no Acre, vestindo amarelo. A candidata pelo PSB deve acompanhar a apuração dos votos em São Paulo, onde dará uma coletiva de imprensa à noite. O candidato a Presidente Eduardo Jorge (PV), chegou ao local de votação de bicicleta, no bairro da Vila Madalena, em São Paulo, acompanhado do filho e do neto. No local, o verdista cantou o jingle de sua campanha para os jornalistas. Ele ainda tirou ‘selfies’ com repórteres de programa de humor Pânico, da TV Band. De lá, o candidato falou que levará o neto para um museu. A psolista Luciana Genro votou em Porto Alegre (RS) acompanhada do candidato ao governo do Rio Grande do Sul Roberto Robaina, no final da manhã deste domingo. Antes, ela se reuniu com militantes do PSOL para um café na sede do partido, e pela tarde, acompanhará a eleição da sede do PSOL. 



  • Cantor Frank Aguiar, Vice-prefeito e candidato a deputado, é investigado por ligação com tráfico

    Informações Folha de São Paulo / Foto: Reprodução

     O cantor Frank Aguiar, vice-prefeito de São Bernado do Campo (SP), região do ABC paulista e candidato a deputado federal pelo (PMDB) está sendo investigado pela Polícia Civil (PC) suspeito de ter ligações com um suspeito de "comandar rotas nacional e internacional de tráfico de drogas". As informações foram publicadas pelo jornal Folha de São Paulo, o qual afirma que as investigações começaram em 2011, depois da apreensão de 230 quilos de cocaína em Itu, no interior paulista. Ainda segundo a Folha Online, o inquérito também apura uma suposta rede de proteção para livrar Frank da investigação. Rede de proteção da qual teria participado o candidato a câmara dos deputados e ex-secretário de Segurança Pública do Município, Antônio Ferreira Pinto. De acordo com as informações publicadas pela Folha de São Paulo, o vice-governador e candidato a deputado federal, aparece em várias escutas telefônicas com Jailson Lopes de Souza, conhecido pelo apelido de ‘Jabá’, o qual é um velho conhecido da polícia, por tráfico de drogas internacional. O cantor e candidato afirmou ter amizade com Jabá, mas, negou ter conhecimento sobre o envolvimento do colega com o tráfico de drogas. Em relação ao ex-secretário, Frank Aguiar afirmou que ambos não se conheciam pessoalmente e concluiu ao dizer que a motivação da investigação é eleitoral. 



  • Istoé/Sensus: Dilma lidera com 37,5%; Marina tem 22,5% e Aécio, 20,6%

    BN / Foto: Ag. Haack

    Na pesquisa de intenções de voto Istoé/Sensus divugada nesta sexta-feira (3), Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB) aparecem tecnicamente empatados, com a margem de 2,2% para mais ou para menos.A socialista aparece com 22,5%, o tucano, com 20,6%. A presidente Dilma Rousseff (PT) lidera com 37,3% da preferência do eleitorado. Indecisos somam 14,4%; 9,4% não souberam ou não opinaram. Na simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a petista aparece com 44%, enquanto a ex-ministra obteve 37,6%. Indecisos, brancos e nulos somaram 18,5%.O Sensus também simulou um cenário de disputa entre Dilma e Aécio: ela conseguiu 45,8% das intenções de voto, enquanto o ex-governador mineiro tem 36,9%; indecisos, brancos e nulos somam 17,4%. 



  • Confrontos entre candidatos marcam debate tenso às vésperas do 1º turno

    G1/ (Foto: Reprodução / TV Globo)

    Sete candidatos protagonizaram um debate tenso e repleto de confrontos na noite desta quinta-feira (3) no estúdio da TV Globo, no Rio de Janeiro, no último encontro entre os presidenciáveis antes do primeiro turno da eleição, no próximo domingo (5). Em todos os blocos do debate, que durou duas horas e meia, os candidatos fizeram perguntas entre si, com tema livre (dois blocos) e com temas definidos por sorteio (outros dois). A cada pergunta, o candidato se levantava da cadeira, se dirigia até o centro do palco e chamava o adversário que desejava questionar. Os atritos envolveram Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB), que ocupam os primeiros lugares nas pesquisas de intenção de voto, e também os demais candidatos – Luciana Genro (PSOL),  Levy Fidelix (PRTB), Eduardo Jorge (PV) e Pastor Everaldo (PSC). Marina Silva chegou a discutir com Dilma fora do ar após o encerramento do tempo de uma das etapas, depois de a presidente, candidata à reeleição, ter afirmado que o diretor de Fiscalizaçao do Ibama durante a gestão da candidata do PSB no Ministério do Meio Ambiente foi "afastado no meu governo por crime de desvio de recursos". Marina respondeu dizendo que a adversária fala "de forma toda atrapalhada" e continuou a discutir com a presidente mesmo depois de o som do microfone ter sido cortado. Levy Fidelix também foi alvo de questionamento de Eduardo Jorge sobre o mesmo assunto. O candidato do PV disse que Fidelix "extrapolou todos os limites" e tinha de pedir perdão. "Você não tem moral nenhuma para me falar disso. O sr. propõe que o jovem use maconha, faz apologia ao crime", disse, em referência ao aborto. "Nós vamos nos encontrar na Justiça quando o MP abrir um processo e estaremos lá como testemunhas", disse Jorge. "Vire sua boca para lá", reagiu Fidelix.