BUSCA PELA CATEGORIA "BRASIL"

  • Ninguém acerta Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 30 milhões

    Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 1.705 da Mega-Sena realizado neste sábado (16), na cidade de Governador Lidemberg (ES). O próximo sorteio da loteria, que será realizado na quarta-feira (20), terá prêmio acumulado em  R$ 30 milhões, aproximadamente.

    Veja as dezenas sorteadas: 25 - 27 - 29 - 37 - 50- 51.

    A quina teve 60 apostas ganhadoras, que levaram prêmio de R$ 52.107,79 cada uma. Outros 6.095 bilhetes acertam a quarta e levaram R$ 732,79 cada.

    Para apostar
    A Caixa Econômica Federal faz os sorteios da Mega-Sena duas vezes por semana, às quartas-feiras e aos sábados. As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 2,50.



  • Condenado outras vezes, Beira-Mar pega mais 120 anos de prisão

    Traficante Fernandinho Beira-Mar à frente do advogado e das assistentes de defesa (Foto: Erbs Jr. / Frame / Estadão Conteúdo)

    O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, foi condenado a 120 anos de prisão na madrugada desta quinta-feira (14) no Rio. Ele era acusado de ter liderado uma guerra de facções, em 2002, dentro do presídio de segurança máxima Bangu I, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, e respondia pelo assassinato de quatro pessoas.

    Beira-Mar acumula agora penas que somam quase 320 anos de prisão - condenações anteriores de quase 200 anos de prisão, mais os 120 anos da sentença desta madrugada.

    Após mais de 10 horas de julgamento, a  sentença foi lida na madrugada desta quinta pelo juiz Fábio Uchoa. O traficante foi condenado por quatro homicídios duplamente qualificados, por motivo torpe e sem dar chance de defesa às vítimas, que são os detentos Ernaldo Pinto Medeiros (Uê), Carlos Alberto da Costa (Robertinho do Adeus), Wanderlei Soares (Orelha) e Elpídio Rodrigues Sabino (Pidi). Para cada crime pegou 30 anos de cadeia.

    Ao ser interrogado, Beira-Mar declarou inocência. “Eu cometi vários crimes. Nesse, eu sou inocente”, afirmou.

     

    Segundo a acusação, Beira-Mar teria conseguido abrir caminho dentro do presídio para invadir a ala. O réu negou e disse que ouviu a confusão de longe e foi chamado depois pelos agentes penitenciários para "negociar" a paz dentro da cadeia, por ser considerado "tranquilo".

    Ainda segundo o réu, ele ficava na ala A, junto com uma facção que também era distribuída pela ala C, de onde teria partido o ataque executado por 20 criminosos. Os quatro mortos, incluindo o traficante Ernaldo Pinto de Medeiros, o Uê, eram da segunda quadrilha, situada na ala D.

    "O problema era entre as galerias C e D. Ouvimos tiros e pensamos que era fuga. Sabíamos que tinham tomado a cadeia. Nisso, todos correram. Só entrei na galeria depois do fato. Os inspetores chegaram a me pedir ajuda porque sabiam que eu era um cara tranquilo. Nem cheguei a entrar e o Celsinho [da Vila Vintém] já estava saindo [da galeria]", contou.

    Acusação X defesa
    A ausência de provas que comprovassem ser Beira-Mar o mandante da rebelião e dos assassinatos permeou todo o debate. O promotor Braúlio e a assistente de acusação Fabíola Lima se esforçaram para convencer os jurados de que o fato de o traficante ter sido o mediador que deu fim ao motim era o indício que o incriminava.

    Fabíola Lima chegou a dizer aos jurados que “seria surpreendente que aqui tivesse uma testemunha que depusesse contra ele. Isso seria suicídio”, enfatizou a promotora, destacando o perfil violento do traficante.

    A defesa buscou desqualificar a acusação e chegou a debochar da atuação dos promotores. O advogado advertiu os jurados de que o Ministério Público se valia da “imagem construída pela mídia” sobre Beira-Mar. O defensor chegou a repetir que seu cliente é traficante assumido, mas que não teve participação no episódio ocorrido em Bangu.

    “Este homem não vai sair daqui e ir pra casa não. Ele vai voltar para a prisão e ficar lá mais 30 anos. Mas vocês vão condená-lo a mais 120 anos de prisão só porque ele é o Fernandinho Beira-Mar?”, indagou o advogado aos jurados.

    Testemunha é ex-rival
    Celso Luiz Rodrigues, o Celsinho, então traficante de uma facção dissidente à de Beira-Mar, foi interrogado como testemunha de defesa, antes de o réu ser chamado. Ele foi a única testemunha no júri. Ao ser inquirido, ele disse que tentou se proteger do ataque dos presos e que o Beira-Mar não estava junto. Ao ser encontrado, ouviu de traficantes rivais que não seria assassinado.

    “Vim aqui, como testemunha dele, para pagar a dívida, por terem me deixado vivo”, afirmou, sob olhar e sinais de concordância de Beira-Mar.

    Além de Uê, foram mortos na rebelião Carlos Alberto da Costa, o Robertinho do Adeus; Wanderlei Soares, o Orelha, e Elpídio Rodrigues Sabino, o Pidi.

    Celsinho ironizou a qualidade da penitenciária durante uma das perguntas, em que Bangu 1 foi citado como "presídio de segurança máxima". "Segurança máxima é brincadeira, né?”, debochou, provocando risos.

    CONTINUE LENDO


  • Mais de 110 concursos com inscrição aberta reúnem 15,6 mil vagas

    Salários chegam a R$ 30.471,11 no TCE do Ceará e TCM do Rio.
    Há cargos para todos os níveis de escolaridade.

    Pelo menos 114 concursos públicos no país estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (11) e reúnem 15.554 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 30.471,11 no Tribunal de Contas do Estado Ceará e no Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro.

    Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso.

    Os órgãos que abrem as inscrições nesta segunda-feira (11) para 1.664 vagas são os seguintes: Departamento Estadual de Trânsito do Mato Grosso (Detran-MT), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá (Ifap), Prefeitura de Arujá (SP), Prefeitura de Curvelo (MG), Prefeitura de Gaúcha do Norte (MT), Prefeitura de Itatiba (SP), Prefeitura de Jenipapo de Minas (MG), Prefeitura de Pauliceia (SP), Prefeitura de Patos de Minas (MG), Prefeitura de Porto Alegre, Prefeitura de Quintana (SP) e Prefeitura de Timóteo (MG).



  • Deputados apresentam requerimento para convocar Lula na CPI da Petrobras

    Ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva durante evento em comemoração ao Dia do Trabalho em São Paulo (Foto: Andre Penner/AP Photo)

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está na mira da CPI da Petrobras. Na terça-feira (5), os deputados federais Efraim Filho (DEM-PB) e Onyx Lorenzoni (DEM-RS) apresentaram uma proposta para convocar o petista para prestar esclarecimentos sobre o escândalo do petrolão. “Tanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quanto a então ministra-chefe da Casa Civil Dilma Vana Rousseff tiveram todas as condições de adotar medidas concretas no sentido de estancar a série de desvios de vultosas quantias que estavam ocorrendo no seio da Petrobras. Todavia, tudo leva a crer que optaram por manter a execução de obras sabidamente superfaturadas, o que terminou por causar estratosféricos prejuízos à companhia e, indiretamente, ao Erário”, diz o requerimento, que deverá ser colocado em pauta na reunião da comissão na quinta-feira (7).

    Segundo o deputado Efraim Filho, o pedido de convocação de Lula ganhou força após a última edição de ÉPOCA – que revelou com exclusividade que o ex-presidente do Brasil está sendo investigado pelo Ministério Público Federal por suspeita de tráfico de influência internacional em favor da construtora Odebrecht, investigada na Lava Jato e responsável por obras financiadas pelo BNDES em países africanos e latino-americanos. A relação entre Lula, Odebrecht e BNDES é retratada em documentos oficiais e telegramas internos do Itamaraty publicados na reportagem de ÉPOCA. “Depois que ele saiu do governo, Lula viajou como garoto propaganda para a Odebrecht fazer negócios com dinheiro do BNDES”, diz Efraim Filho, que diz que pedirá esclarecimentos sobre o suposto lobby feito por Lula em favor da construtora brasileira.

    Irritado com a repercussão da investigação do MPF, o ex-presidente Lula declarou no dia 1º de maio, em evento da Central Única dos Trabalhadores (CUT), que as revistas ÉPOCA e Veja são um “lixo e não valem nada”. "Peguem todos os jornalistas da Veja e da ÉPOCA e enfiem um dentro do outro que não dá 10% da minha honestidade neste país", disse Lula. A revelação feita por ÉPOCA ganhou destaque nos mais respeitados veículos internacionais, como os americanos CNN, New York Times, Wall Street Journal e Washington Post; os ingleses Guardian e BBC; o francês Groupe Le Monde; o espanhol El País; as agências de notícias Reuters, Bloomberg e AP; no português Correio da Manhã; no turco Finans Gündem; nos argentinos Clarín e La Nacion; no cubano Diario de Cuba.

    O núcleo de Combate à Corrupção do MPF do Distrito Federal, que confirmou a investigação, decidirá nos próximos 90 dias se abrirá um inquérito criminal contra o ex-presidente da República e um processo cível contra o BNDES se houver evidências de improbidade administrativa. A diligência está em fase inicial – e, portanto, as provas começarão a ser coletadas nos próximos dias. O Instituto Lula, em nota divulgada em seu site, negou as suspeitas relatadas em despacho do MPF, apresentadas em reportagem de ÉPOCA.  A Odebrecht e a BNDES também negaram que o ex-presidente Lula tenha feito tráfico de influência. (IÉpoca)

    CONTINUE LENDO


  • Ministro da Educação diz que recursos para o Fies estão esgotados

    À direita, Secretário - Executivo Luiz Claúdio. Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo.

    Balanço divulgado na tarde de segunda-feira (04) pelo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, aponta que 252.442 novos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) foram fechados este ano. O número representa cerca de 52% das adesões ao financiamento efetivadas no primeiro semestre do ano passado, de aproximadamente 480 mil. Para os novos contratos, o orçamento do MEC é de R$ 2,5 bilhões.

    — Esgotamos o recurso que estava destinado — disse Janine.

    O número de estudantes que tentaram o financiamento pela primeira vez este ano foi de cerca de 500 mil, segundo o MEC. Ou seja, um em cada dois alunos que pleitearam o Fies conseguiu em 2015. Até o ano passado, praticamente todos os pedidos eram atendidos. A redução é reflexo do ajuste fiscal feito pelo governo.

    Em relação aos 1,9 milhão de contratos existentes, só faltam 148.757 para serem aditados, segundo o MEC. A pasta vem afirmando, desde o início do ano, que todos os alunos com contratos vigentes do Fies em 2014 conseguirão renová-los. Apesar disso, o sistema continua apresentando problemas. Por isso, o prazo para os aditamentos, que terminava em 30 de abril, foi prorrogado até 29 de maio.

    Para os novos contratos, o prazo se encerrou em 30 de abril. A Justiça Federal de Mato Grosso, entretanto, determinou que o sistema para inscrição no Fies ficasse aberto sem prazo determinado. A decisão, proferida na noite da última quinta-feira, é válida para todo o país e foi dada em resposta a uma ação ajuizada pela Defensoria Pública da União em Mato Grosso.

    Janine afirmou, porém, que o MEC, assim que for notificado, recorrerá da decisão. No entanto, ele destacou que a decisão não terá efeito prático porque não há verbas disponíveis par fazer novos contratos.

    — Não havendo mais recursos, a abertura do sistema é inócua — afirmou o ministro. (Fonte: O Globo)



  • A mulher que não sente dor - e que pegou no sono quando dava à luz

    Marisa vive com a família em uma área rural e precisa viajar para ter o cuidado médico que precisa (Foto: BBC)

    Marisa de Toledo, de 27 anos, tem as mãos cobertas de cicatrizes e bolhas. No primeiro parto, uma cesariana, ela não precisou de anestesia e, durante o nascimento do segundo de seus três filhos, ela pegou no sono.

    A paulista de Angatuba também já teve que amputar um dedo do pé e até já perdeu o sentido do paladar pois queimou a língua várias vezes. Marisa sofre de um problema raro: a insensibilidade congênita à dor, ou analgesia congênita.

    Acredita-se que o problema afete menos de 50 pessoas no mundo todo. À primeira vista, não sentir dor pode parecer um benefício, mas a doença pode colocar a vida da pessoa em risco.

    Marisa contou à BBC que a mãe dela foi a primeira a notar que havia algo de diferente com a filha. "Eu caí, bati minha cabeça... Uma vez cortei minhas costas, mas nem chorei. Mas minha mãe nunca me levou no médico. Só depois que ela morreu que fui ao médico."

    "Quebrei meu tornozelo quando tinha sete anos e foi aí que o médico me falou que eu não sentia dor. Eu estava andando normal. Meu tornozelo estava inchado, mas eu andei o dia inteiro", afirmou.

    A doença de Marisa ainda não é totalmente compreendida e ela teve que sair da pequena cidade de Angatuba para fazer uma série de exames no Hospital das Clínicas, em São Paulo, conduzidos por pesquisadores.

    Marisa ainda tem o sentido do tato, mas o cérebro não consegue transmitir os sinais de perigo. "Ainda não entendo nada disso. Eu não sinto dor, e isto não é normal, não é? Se você sai por aí se machucando, quebrando ossos e não sente dor..."

    "Meu cérebro não manda os sinais, é o que o médico falou. Uma vez eles até fizeram um exame tirando um nervo da perna para ver o que era", disse. "Sinto quando está quente lá fora. Mas não sinto o fogo e água quente no chuveiro, essas coisas", acrescentou.

    Marisa afirmou que consegue sentir coisas frias, mas não sente o que é quente. "Uma vez, quando eu tinha uns dez anos, eu estava no sítio e sentei em frente ao fogão à lenha porque estava frio. Sentei de costas para o fogão e minhas costas ficaram cheias de bolhas, queimou."

    CONTINUE LENDO


  • Justiça determina prorrogação de prazo para novos contratos do Fies

    A Justiça Federal de Mato Grosso determinou nesta quinta-feira (30) que o prazo de inscrição do Programa de Financiamento Estudantil (Fies) do Governo Federal seja prorrogado por tempo indeterminado para os alunos que tentavam ingressar no programa pela primeira vez. Antes dessa decisão, a data havia sido encerrada para novas inscrições na quinta-feira. O Ministério da Educação (MEC) informou ao G1 que ainda não foi notificado sobre a decisão. Porém, afirmou que deve recorrer à Advocacia-Geral da União (AGU).

    (Correção: ao ser publicada, esta reportagem errou ao informar que a Justiça havia adiado a inscrição para novos contratos até o dia 29 de maio. Na verdade, o prazo foi prorrogado por tempo indeterminado. O erro foi corrigido às 10h17).

    A decisão, válida para todo o país, é do juiz Rafael de Almeida Carvalho, que atendeu a um pedido de liminar da Defensoria Pública da União em Mato Grosso.

    A Defensoria havia entrado com uma ação civil pública para que os problemas no sistema fossem solucionados ou que o prazo da inscrição fosse prorrogado para novos contratos até o dia 29 de maio. O órgão alegou que os estudantes tiveram os direitos violados, já que não conseguiam ingressar no programa. O Ministério da Educação havia prorrogado as inscrições apenas para os casos de aditamento e não para novas contratações.

    O juiz deferiu o pedido em parte e determinou a prorrogação do prazo de inscrição para novos contratos pelo Fies em todo o território nacional por tempo indeterminado. Ainda, a Justiça ordenou que o sistema do programa seja corrigido para que as novas contratações sejam feitas, ou que o governo disponibilize um outro meio para o ingresso no Fies.

    Na avaliação do magistrado, os alunos que não conseguiram se inscrever podem ter prejuízos para conseguir entrar em um curso superior e até eventuais constrangimentos nas instituições de ensino.

    Por fim, o juiz Rafael de Almeida Carvalho determinou multa diária de R$ 20 mil reais por descumprimento, caso o governo não prorrogue o prazo de inscrição. “O prazo para os novos contratos foi prorrogado até uma nova decisão judicial. A União e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação devem garantir que essas novas contratações possam ser realizadas porque o direito dos alunos à educação não pode ser sanado por falhas no sistema do Fies”, explicou Luciana Tieme Koga, defensora da União.

    CONTINUE LENDO


  • Polícia Federal terá concurso com 558 vagas e salários de R$17.203

    A Polícia Federal (PF) aguarda a autorização do Ministério do Planejamento para a realização do concurso com 558 vagas, sendo 491 para delegado e 67 para perito, ambos de nível superior, com remuneração inicial de R$17.203,85.

    De acordo com o Folha Dirigida, a expectativa é que a resposta do ministério seja divulgada em maio. 

    Para o cargo de delegado, é preciso ter bacharelado em Direito. A função também exige experiência mínima de três anos em atividades jurídicas ou policiais. No caso de perito, a formação necessária irá variar conforme a área de atuação.

    Para ambos os cargos, é exigida ainda a carteira de habilitação na categoria B ou superior. As contratações são pelo regime estatutário, que prevê estabilidade e benefícios, como o auxílio-alimentação, de R$373 (já incluído na remuneração informada). (Redação iBahia )



  • Pela primeira vez, Dilma não vai se pronunciar na TV no Dia do Trabalho

    Foto reprodução

    O ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, afirmou nesta segunda-feira (27) que a presidente Dilma Rousseff – pela primeira vez desde que assumiu a Presidência da República, em 2011 – não fará pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV em 1º de maio, Dia do Trabalhador.

    Dilma se manifestará por meio das redes sociais, informou o ministro, que nesta segunda participou com a presidente da reunião da coordenação política do governo, grupo formado pelos ministros mais próximos e que se reúne semanalmente para avaliar o cenário político e traçar estratégias.

    “Nós optamos, por meio de uma decisão coletiva, de toda a coordenação política – coletiva e unânime –, que ela [Dilma] deveria valorizar as redes sociais e dialogar com a sociedade brasileira por meio das redes sociais”, disse Edinho Silva.

    De acordo com o ministro, a presidente não precisa, necessariamente, convocar cadeia nacional de rádio e TV para se pronunciar sobre o 1º de Maio. Segundo Edinho Silva, a decisão é uma forma de "valorizar outros modais de comunicação".

    "A presidenta vai dialogar com os trabalhadores, com a sociedade brasileira, pelas redes sociais. Em cadeia nacional [de rádio e TV], não. Será um diálogo por meio das redes sociais, porque, primeiro, é uma forma de valorizarmos outros modais de comunicação. Segundo, porque a presidenta não precisa, necessariamente, se manifestar apenas por meio das cadeias nacionais", completou. (Fonte: G1)



  • Padre embriagado é flagrado em blitz após bater em motocicleta da PM

    Padre conversa com policial militar depois do acidente (Foto: Reprodução/TV Globo)

    Um padre foi flagrado embriagado em uma blitz, na madrugada deste sábado (25), depois de ter batido em uma motocicleta da Polícia Militar, no bairro Ouro Preto, na Região da Pampulha em Belo Horizonte. O religioso foi detido depois de passar por um teste de bafômetro. O exame apontou 0,44 mg/l de álcool no sangue. Acima de 0,34 mg/l é considerado crime de trânsito.

    De acordo com a PM, o padre Erli Lopes Cardoso, de 41 anos, dirigia próximo a uma blitz, realizada em dois pontos da Avenida Fleming, zona boêmia da Pampulha. O religoso, que dirigia um veículo modelo Fox, acabou se chocando contra uma moto da PM.

    No boletim de ocorrência consta que Cardoso assumiu que ter bebido "duas cervejas e uma dose de pinga". De acordo com a PM, o padre disse que se distraiu enquanto conversava com uma pessoa que estava no banco do carona, quando bateu na moto. Ele disse que tentou frear, mas não conseguiu evitar o acidente.

    Durante a abordagem, ficou constatado que o condutor estava com visíveis sinais de embriaguez. O padre teve a carteira de habilitação recolhida. Depois de ser ouvido pela Polícia Civil e pagar fiança de R$ 1.000, ele foi liberado.

    O G1 entrou em contato com o padre Eli Lopes Cardoso, que assumiu ter sido abordado pela blitz. Em nota, a congregação Pequena Obra da Divina Providência, à qual pertence o religioso, disse estar "pesarosa e consternada" pelo o acontecimento. Também informou que  está tomando as providências necessárias para que tudo seja resolvido dentro da legalidade.



  • Gugu visita Templo de Salomão e mostra detalhes da área interna

    Foto reprodução

    A Rede Record é a única emissora de TV que pode entrar dentro do Templo de Salomão. Pelas regras da igreja, nenhuma outra pessoa com aparelhos de captura de sons e imagens podem entrar na área interna da megaigreja construída no bairro do Brás, em São Paulo. Com capacidade para receber 10 mil pessoas, o templo da Igreja Universal do Reino de Deus foi destaque no Programa do Gugu desta quarta-feira (22) que foi o primeiro apresentador a poder mostrar a grandiosidade da construção. Gugu e sua produção visitaram cada um dos espaços que fazem parte do Templo de Salomão, sendo orientado por Miguel, o guia que contou toda a história não só da construção da IURD, mas também sobre os hebreus e sobre os simbolismos existentes em cada ponto da obra. O apresentador conheceu a história do Tabernáculo de Moisés, da construção de Salomão, da construção de Herodes e de outras histórias bíblicas até chegar na construção da Igreja Universal que já atrai milhares de pessoas todos os dias. Foram mais de 40 minutos de reportagem, todos os espaços do Templo de Salomão foram mostrados, inclusive a área interna onde acontecem os cultos. A visita guiada pode ser realizada por qualquer pessoa. Para fazer o tour no Templo de Salomão é preciso agendar através do telefone (11) 3573-3535, ou através do e-mail: [email protected]



  • Homem mata esposa grávida a facadas porque ela não quis fazer jantar

    Uma mulher grávida foi assassinada dentro de casa pelo próprio marido na segunda-feira (20) em Eirunepé, no Amazonas. Márcia Xavier de Lima, 21 anos, estava grávida de dois meses. Ela foi atacada pelo marido, José Anderson da Silva de Souza, 24, que a esfaqueou e fugiu depois do crime. Segundo a polícia, José partiu pra cima da esposa porque ela não queria fazer o jantar da família. Ele foi preso depois do crime e autuado em flagrante por feminicídio.

    Vizinhos ouviram a briga do casal na manhã de ontem e chegaram a chamar a polícia depois de ouvirem ameaças por parte do marido. Uma viatura foi até o local, mas já achou Márcia caída no chão de casa, onde a faca também foi deixada. Em busca pelo local, os policiais localizaram o suspeito, que foi tentou fugir pulando cercas e invadindo casas, mas foi preso pouco depois. Em depoimento, José disse que o crime foi acidental pois ele não tinha intenção de matar a mulher. Mas o delegado Jony Leão, da Delegacia Interativa de Polícia (DIP), disse ao Extra que testemunhas ouviram José ameaçar a própria mãe, que estava na casa, antes do crime. "Esta pessoa nos informou que o homem estava com a voz alterada e com uma faca nas mãos. Para evitar a violência contra as duas mulheres, a testemunha chegou a entrar na casa de José com um pedaço de madeira, mas o homem já havia perfurado a jovem", contou. José já havia sido preso anteriormente por violência doméstica e estava solto respondendo em liberdade. Ele também já tem passagens por tentativa de homicídio e dano ao patrimônio público.
    CONTINUE LENDO


  • 19 de abril, dia em que se comemora o Dia do Índio no Brasil

    No último dia 14 de abril índios se ajuntaram em frente ao Congresso para se manifestarem contra o PEC 215. Foto: Fabiano Neves / Destaquebahia.com.br

    No dia 14 deste mês, Índios e quilombolas se juntaram ao acampamento dos trabalhadores sem terra da Frente Nacional de Luta (FNL) em frente ao Congresso, para se manifestarem contra o PEC 215, que tira do Executivo e passa para o Legislativo a responsabilidade de demarcar terras indígenas e quilombolas, e a favor da demarcação das terras de seus povos e da reforma agrária.

    História do Dia do Índio

    Comemoramos todos os anos, no dia 19 de Abril, o Dia do Índio. Esta data comemorativa foi criada em 1943 pelo presidente Getúlio Vargas, através do decreto lei número 5.540. Mas porque foi escolhido o 19 de abril?

    Origem da data

    Para entendermos a data, devemos voltar para 1940. Neste ano, foi realizado no México, o Primeiro Congresso Indigenista Interamericano. Além de contar com a participação de diversas autoridades governamentais dos países da América, vários líderes indígenas deste contimente foram convidados para participarem das reuniões e decisões. Porém, os índios não compareceram nos primeiros dias do evento, pois estavam preocupados e temerosos. Este comportamento era compreensível, pois os índios há séculos estavam sendo perseguidos, agredidos e dizimados pelos “homens brancos”.

    No entanto, após algumas reuniões e reflexões, diversos líderes indígenas resolveram participar, após entenderem a importância daquele momento histórico. Esta participação ocorreu no dia 19 de abril, que depois foi escolhido, no continente americano, como o Dia do Índio.



  • Facebook desbloqueia foto de índia com seios expostos após polêmica

    Imagem do casal de índios botocudos bloqueada pelo Facebook. (Foto: Reprodução)

    A assessoria do Facebook informou neste sábado (18) que desbloqueou na rede social a fotografia, de 1909, que mostra uma índia botocuda com os seios expostos. A imagem, que faz parte do acervo do Portal Brasiliana Fotográfica, havia sido bloqueada pela empresa norte-americana após ser utilizada pelo Ministério da Cultura para divulgar o lançamento do site fotográfico.

    A fotografia polêmica do casal de índios botocudos foi fartamente compartilhada ao longo da semana nas redes sociais para promover o portal organizado pela Fundação Biblioteca Nacional, ligada ao Ministério da Cultura, e pelo Instituto Moreira Salles. O site, que conta com mais de 2 mil imagens históricas dos séculos 19 e 20, foi lançado oficialmente nesta sexta (17), às vésperas do Dia do Índio, que será celebrado neste domingo (19).

    “Não é fácil encontrar o equilíbrio ideal entre permitir que as pessoas se expressem criativamente e manter uma experiência confortável para a nossa comunidade global e culturalmente diversa. Respeitamos leis locais e, assim como qualquer outra mídia, temos limitações com nudez. Estamos sempre abertos a feedback e ao debate para melhorar nossos Padrões da Comunidade”, disse ao G1 a assessoria do Facebook.

    Nesta sexta (17), o ministério anunciou que iria processar o Facebook em razão do bloqueio. Na visão da pasta, a rede social promoveu uma "censura" ao bloquear a imagem.

    Segundo o ministro da Cultura, Juca Ferreira, a companhia dos Estados Unidos feriu a Constituição brasileira, o marco civil da internet, o Estatuto do Índio e a Convenção da Unesco sobre Proteção e Promoção da Diversidade e das Expressões Culturais. Ferreira destacou ainda que a medida do Facebook também desrespeitou a cultura, a história e a dignidade do povo brasileiro.

    "Se os índios não podem aparecer como são, o recado que fica é que precisam se travestir de não-indígenas para serem reconhecidos. Isso é de uma crueldade sem fim", disse nesta sexta o ministro da Cultura.



  • Petrobras obtém financiamento de R$ 9,5 bilhões com BB, Caixa e Bradesco

    Plataforma da Petrobras - Agência O Globo

    A Petrobras anunciou em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) financiamentos com Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Bradesco. Somando todas as linhas, os recursos disponíveis para a estatal são de R$ 9,5 bilhões. A empresa fez ainda acordo com o banco Standard Chartered para vender plataformas no valor de US$ 3 bilhões (cerca de R$ 9,12 bilhões). A informação sobre um novo empréstimo foi antecipada nesta semana pelo colunista Ancelmo Gois.

    Segundo a Petrobras, a companhia obteve um financiamento de R$ 4,5 bilhões com o Banco do Brasil (BB). Segundo a estatal, os recursos são na “modalidade de nota de crédito à exportação, através da subsidiária BR Distribuidora, pelo prazo de seis anos”. Além disso, obteve um financiamento pré-aprovado de R$ 2 bilhões e prazo de cinco anos com a Caixa e de outros R$ 3 bilhões com o Bradesco.

    A Petrobras informou ainda um acordo de cooperação com o banco Standard Chartered, para uma operação de “Venda com Arrendamento e Opção de Recompra” (sale and leaseback) de plataformas de produção, no valor de até US$ 3 bilhões e prazo de 10 anos. Com base na cotação do dólar de hoje, o acordo soma cerca de R$ 9,112 bilhões. É como se a Petrobras vendesse esses ativos e passasse a alugá-los, dizem especialistas.

    A companhia anunciou, recentemente, financiamento de US$ 3,5 bilhões (cerca de R$ 10,64 bilhões) com o China Development Bank (CDB). Assim, os empréstimos somam ao todo cerca de R$ 20,14 bilhões, além do acordo financeiro de R$ 9,112 bilhões com o Standard Chartered.

    “Essas operações, somadas a outras já executadas neste ano, atendem às necessidades de financiamento da Companhia para 2015. A Petrobras continuará avaliando oportunidades de financiamento visando antecipar parte das necessidades de 2016. Adicionalmente, conforme anunciado em 02/03/2015, a Petrobras aprovou um plano de desinvestimento de US$ 13,7 bilhões para o biênio 2015 e 2016”.

    PARA ANALISTAS, DECISÃO É POLÍTICA

    Para o analista João Augusto Salles, da consultoria Lopes Filho & Associados, a decisão de conceder novas linhas de financiamento à Petrobras, que ainda não publicou balanços auditados e está no centro das investigações da Operação lava Jato, é eminentemente política. Para ele, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal têm o o governo federal como principal acionista, o que facilita as coisas. E o Bradesco também é próximo ao governo. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, era superintendente da Bradesco Asset Management (Bram) antes de assumir o posto.

    Conceder novos empréstimos à Petrobras é uma decisão política, que dá menos peso aos critério técnicos que levam em conta o risco da operação - avalia Salles.

    Além disso, lembra o analista, a Petrobras produz um efeito de 'arrasto' na economia, movimentando outros setores, como construção civil, gás, energia, petroquímico. Injetar capital novo na estatal, diz o analista, significa dar fôlego também a estes setores.

    Luiz Miguel Santacreu, analista de bancos da Austin Rating, lembra que para uma análise mais precisa sobre o risco que os bancos estão correndo com a aprovação de novos empréstimos para a Petrobras depende das condições dessas operações. No entanto, em linhas gerais, o especialista afirma que as instituições financeiras, na ausência de um balanço financeiro auditado, devem ter levado em conta os dados operacionais da empresa.

    — A Petrobras é uma empresa que tem produção e ativos. A empresa com certeza vai ter uma redução de lucro por conta das fraudes ocorridas, mas não vai deixar de existir. É diferente das empresas do Eike Batista, que não eram operacionais — avaliou.

    O analista lembrou ainda que, ao conceder o empréstimo, os bancos precisam cumprir as determinações do Banco Central, que impõe limites de exposição de crédito por grupo econômico.

    — O BC tem uma regra em relação à exposição por grupo econômico e, se os bancos aprovaram o empréstimo, era porque ainda havia margem - acrescentou.

    O Bradesco é um dos bancos que têm interesse em assessorar a Petrobras no processo de venda de ativos da estatal — o que costuma render comissões significativas às instituições financeiras. Na semana passada, em evento promovido pelo banco para investidores, o vice-presidente do Bradesco, Sergio Clemente, disse que a instituição poderia ter um papel relevante nesses negócios.

    — Os ativos que a Petrobras tem e que podem ser colocados à venda são de muito valor. Queremos ser assessores relevantes da Petrobras nesse processo — afirmou o executivo.

    Um dia antes, Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do Bradesco, ao confirmar que o banco assessorava a estatal na formulação de possibilidades de negócio para a venda de parte do capital da BR Distribuidora à iniciativa privada, descartou a possibilidade de compra desses ativos, mas justificou:

    — Somos banqueiros da Petrobras e estamos avaliando (opções para a BR Distribuidora) para ajudar a Petrobras. Como ativo para o Bradesco, não interessa.

    CONTINUE LENDO