BUSCA PELA CATEGORIA "CACULÉ"

  • Homem provoca acidente com veiculo e ameaça policiais no momento da ocorrência

    Fonte: Informe Cidade/ Foto: Aloísio Costa.

    A Polícia Militar de Caculé foi informada de um acidente ocorrido na Av. Dr. Antônio Muniz, onde um automóvel, CR-V da Honda, Placa EIK-9805 de São Carlos – São Paulo, chocou-se em uma residência.
     

    Os policiais plantonistas, Sd. PM Júlio e Sd. PM Vagno estiveram no local e registraram a ocorrência. O condutor do veículo, Danilo Alves de Souza, 22 anos, natural de Jacaraci – Bahia, se exaltou com a presença da polícia e durante a o registro da ocorrência chegou a ameaçar os agentes policiais. No automóvel estavam mais três pessoas e nenhuma delas tiveram ferimentos.
     

    O condutor foi encaminhado para a Delegacia de Polícia de Caculé onde se encontra detido. Danilo, ao ser levado pelos policiais militares ao Hospital Nossa Senhora Aparecida para ser examinado, se recusou a ser atendido. Imagens feitas com o celular de um dos policiais mostram o completo estado de descontrole do jovem que apresentava fortes sinais de embriaguez.
     

    Segundo informações da Polícia o condutor, que declarou responder pelo crime de receptação no estado de São Paulo, não apresentou a CNH – Carteira Nacional de Habilitação e nem os documentos do veículo, que foi levado para o pátio da DP em Caculé. A polícia também contatou que o automóvel estava com chassi adulterado e investiga agora qual a sua origem.
     

     



  • SUSPEITO CONFESSA TER ASSASSINADO MENOR DESAPARECIDO

    Suspeito confessa ter matado o jovem a facadas / Foto: Aloísio Costa / Informe Cidade

    Após o corpo do jovem caculeense, João Batista Amorim, 16 anos, ter sido encontrado no quintal da casa de um vizinho, a Polícia Civil prendeu o principal suspeito que foi encontrado na Fazenda Lagedo, em Caculé, que confessou a autoria do assassinato. Luiz Prates Lopes, 47 anos, proprietário do imóvel onde o corpo foi encontrado, era vizinho e amigo da vítima.

    O crime chocou toda a cidade que está perplexa e questiona que razões poderiam levar alguém a cometer um crime tão bárbaro. Em seu depoimento o assassino conta com tudo aconteceu e diz que a motivação do crime seria uma dívida que João Batista tinha com ele.

    Em seu depoimento Luiz Prates Lopes disse que era amigo de João Batista e que ele sempre frequentava a sua casa. Na noite da última terça-feira, 21, por volta das 22:00 horas, João Batista havia lhe procurado em casa para pedir-lhe dinheiro emprestado. O acusado disse à vítima que não tinha nenhum dinheiro em casa e que ele (João Batista) já o devia muito. Luiz Prates Lopes relata que discutiu com João Batista por conta dessa dívida e o acusou de ter subtraído uma quantia de R$10,00 (dez reais) em um momento de distração do acusado e que durante a discussão o celular da vítima foi quebrado. Em um dado momento o acusado teria tomado posse de uma faca e deferido alguns golpes em João Batista, golpes suficientes para causar a sua morte.

    O assassino conta que depois de ver que João Batista estava morto tentou jogar o corpo pelo muro em um terreno que fica ao lado da casa, mas não conseguindo deixou o corpo no quintal. Em seguida lavou a casa para retirar as marcas de sangue e cobriu o corpo com um lençol que estava no sofá. Na manhã seguinte, por volta das 06:00 horas, saiu para o trabalho, retornou a casa no horário do almoço e logo depois foi para o trabalho novamente, agindo como se nada tivesse acontecido.

    Luiz ressaltou em seu depoimento que não é portador de nenhum distúrbio mental e que não faz e nunca fez uso de nenhum medicamento controlado ou alguma substância entorpecente. O acusado também declarou que não possuía nenhum tipo de relacionamento com a vítima que não fosse somente amizade. Com base no que diz o acusado e nas possíveis testemunhas que serão ouvidas a Polícia Civil seguirá nas investigações até que se conclua o inquérito, não descartando a possibilidade de um crime passional.

    O corpo de João Batista Amorim foi sepultado na noite desta sexta-feira, 25, no Cemitério Municipal de Caculé.



  • Jovem desaparecido é encontrado morto na casa do vizinho

    Casa onde o corpo foi encontrado fica a cerca de 30m da casa da vítima. Foto: Aloísio Costa / Fonte: Informe Cidade

    Menos de trinta metros separavam a dor de uma família, que buscava informações sobre o paradeiro de João Batista Amorim, 16 anos, e a casa onde o corpo do rapaz foi encontrado no início da tarde desta sexta-feira, 25, sessenta horas depois do seu desaparecimento. Toda agonia e ansiedade dos amigos e familiares da vitima chegou ao fim da maneira mais trágica e desesperadora possível.

    No início da tarde desta sexta-feira, um vizinho, após sentir um mal cheiro em seu quintal, subiu no muro pra ver se poderia ser algum animal morto na caixa d’água, com isso viu um corpo no quintal da casa ao lado, semi coberto com um pano branco com marcas de sangue. A polícia foi até o local e depois de arrombar a porta da casa constatou que o corpo era do rapaz desaparecido no início da semana. 

    O morador da casa, Luiz Prates Lopes, 47 anos, não estava no local, mas já foi encontrado pela polícia e está na DP prestando esclarecimentos sobre o caso. Segundo vizinhos a vítima era amiga Luiz Lopes e por várias vezes os dois já foram vistos conversando em frente à residência. A polícia disse ter encontrado dentro da casa um aparelho celular que pertencia a João Batista. Em uma das paredes da casa havia uma inscrição feita a lápis com o nome: “João Batista Amorim”. Luiz Lopes é lavrador, solteiro e morava sozinho na residência localizada na Rua João Gomes, nº30 Bairro Alto do Cruzeiro.

     

     



  • Família continua busca por jovem desaparecido

    João Paulo, 16 anos, está desaparecido desde a noite da última terça-feira.

    Está desaparecido desde a noite da última terça-feira, 22, o jovem João Batista Amorim de 16 anos. Segundo informações de familiares o jovem saiu de casa na noite desta terça-feira, por volta das 23 horas e desde então não deu notícias.

    A família segue na busca por informações que possam ajudar a encontra o jovem ou saber o que realmente aconteceu. Em declaração ao Informe Cidade a mãe de João Batista, visivelmente abalada e desesperada com o sumiço do filho, disse não entender o que pode ter ocorrido. Ela ressalta que o seu filho é um rapaz de poucas amizades e não é muito de sair com os amigos. É muito caseiro, não bebia e nunca teve nenhum envolvimento com drogas. Indagada sobre a possível ocorrência de algum atrito na família que pudesse levar seu filho a sair de casa, ela disse que ele tinha uma boa convivência com os familiares e desconhece qualquer razão que fizesse o filho tomar tal atitude. “Ele chegou do colégio por volta de umas 22:30 horas, deixou o material aqui e foi na casa da minha irmã aqui mesmo na rua, depois voltou e logo saiu novamente dizendo para a avó: ‘vou ali e já volto’. Desabafou a mãe que completou: “Quanto percebemos sua demora tentamos entrar em contato pelo celular, chamava, chamava, mas ninguém atendia. Agora a gente liga e nem chama mais. Ele não tinha motivos pra sumir, alguma coisa aconteceu com ele.”

    Familiares e amigos fizeram ronda por alguns lugares da cidade na esperança de encontrar o rapaz ou alguma informação que pudesse identificar o seu paradeiro ou de fato descobrir o que realmente aconteceu. A Polícia foi acionada e segue nas investigações. Qualquer informação que possa levar ao paradeiro de João Batista Amorim, 16 anos, pode ser dada, ainda que anonimamente, entrando em contato pelos telefones: (77)3455-1261 Delegacia de Polícia de Caculé ou (77)8110-2727 Polícia Militar.