BUSCA PELA CATEGORIA "ECONOMIA"

  • Crédito ao consumidor sairá mais caro a partir de hoje

    Nesta quarta-feira (21), foi publicado pelo Governo no Diário Oficial da União, o decreto que aumenta a alíquota do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF), em empréstimo bancário para pessoas físicas. A medida entra em vigor a partir desta quinta-feira (22).

    Esta é uma das quatro decisões anunciadas pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, na última segunda-feira. “O pacote busca “atingir o reequilíbrio fiscal” e ” atingir a meta do superávit primário de 1,2% do PIB em 2015”.

     



  • Energia elétrica, transporte e alimentos ficam mais caros na passagem para 2015

    Tarifa de energia vai sofrer um acréscimo de R$ 3 a cada 100 kWh consumidos Getty Images

    Inflação oficial pode começar o ano acima da meta estabelecida pelo governo

    A economia brasileira não conquistou os resultados esperados ao longo de 2014. A combinação entre inflação alta e crescimento baixo deve continuar assombrando o governo durante 2015, e os reflexos do enfraquecimento econômico do País já atingem o bolso do consumidor.

    Segundo economistas, a inflação oficial, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), pode ser de 1% já no mês de janeiro. Caso confirmado, o resultado fará o índice romper a barreira de 7% em 12 meses, valor 0,5% maior que o teto da meta do governo.

    A alta é prevista pela volta do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) sobre veículos, de 3% para 7% e da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) sobre a gasolina, além do reajuste das passagens de ônibus e da energia elétrica.



  • Salário mínimo será arredondado para R$ 790 em 2015

    O relator do projeto de lei do orçamento de 2015, senador Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou, na quarta-feira (10), que o valor do salário mínimo previsto para vigorar no ano que vem será arredondado para R$ 790. O estabelecido na proposta orçamentária encaminhada pelo Executivo era de R$ 788,06. Esse incremento, disse Jucá, terá impacto de R$ 1,2 bilhão nas contas do governo. “É exatamente para facilitar a vida dos trabalhadores, das empresas e para garantir um ganho real no reajuste”, afirmou Jucá. O número exato do salário mínimo de 2015 só será conhecido, no entanto, com um decreto editado pela presidente Dilma Rousseff no final do ano. O valor do salário mínimo brasileiro é calculado a partir de uma forma que leva em conta a inflação do ano anterior e o crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. “Se houver alguma mudança na questão da inflação ou do crescimento, o salário mínimo é o resultado dessa equação. Se houver um número surpresa, o salário (mínimo) poderá ser ajustado até o fim da votação (do Orçamento)”, concluiu Jucá.([email protected])