BUSCA PELA CATEGORIA "Educação"

  • Sisu: termina hoje prazo de matrícula em instituições de ensino

    Hoje (4) é o último dia para que os estudantes selecionados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) façam matrícula nas instituições de ensino. Os estudantes devem verificar os horários e locais de atendimento definidos pelas instituição em edital próprio.

    Quem tiver o interesse e preencher os requisitos pode pleitear assistência estudantil para cobrir custos como transporte e moradia. Segundo o Ministério da Educação (MEC), os programas de assistência estudantil são implementados diretamente pelas instituições, por isso, os candidatos devem buscar informações na própria instituição de ensino.

    O resultado do Sisu está disponível desde o dia 28, na página do programa. O período de matrícula começou no último dia 30.

    Os estudantes que não foram aprovados em nenhuma das opções de curso podem integrar, até amanhã (5), a lista de espera do programa. A adesão pode ser feita na página do Sisu. Os candidatos podem escolher entrar na lista de espera para a primeira ou para a segunda opção de curso feita na hora da inscrição. Os alunos na lista serão convocados pelas próprias instituições de ensino a partir do dia 7 de fevereiro.

    A partir desta edição do Sisu, os estudantes selecionados em qualquer uma das duas opções não poderão participar da lista de espera. Até o ano passado, os selecionados na segunda podiam ainda participar da lista e ter a chance de ser escolhido na primeira opção.Ao todo, o Sisu oferece, nesta edição, 235.461 vagas em 129 instituições públicas de todo o país. Puderam se inscrever no programa os estudantes que fizeram o Enem 2018 e obtiveram nota acima de zero na prova de redação. Segundo o MEC, mais de 1,8 milhão de candidatos se inscreveram. Com informações da Agência Brasil.



  • Brumado: EAD Unicesumar está com inscrições abertas para Vestibular Nacional

    Com inscrições gratuitas, as provas acontecem no dia 02/02 em mais de 500 polos em todo o Brasil

    A Educação a Distância da Unicesumar está com inscrições abertas para o Vestibular Nacional, que acontece no próximo sábado (02/02). O processo seletivo ocorre em todos os mais de 500 polos da EAD espalhados pelo Brasil, em dois horários: às 10h e às 14h.
     

    Os candidatos terão até duas horas para realizar a prova, composta por 20 questões objetivas de múltipla escolha.

    Além da inscrição gratuita, todos os candidatos que participarem do processo neste sábado, podem ter acesso a bolsas de estudos com desconto especiais, conforme pontuação obtida na prova.

    As inscrições podem ser feitas nos polos, via 0800 600 6360 ou pelo site www.unicesumar.edu.br/ead

    Sobre a Unicesumar

    Idealizada em 1990 para oferecer ensino de qualidade, a Unicesumar vem ampliando a estrutura física e aperfeiçoando a qualidade no atendimento. Possui quatro campi de ensino presencial nas cidades de Maringá, Curitiba, Londrina e Ponta Grossa/PR, mais de 500 polos de educação a distância por todo o Brasil e 120 mil alunos. O corpo docente é formado por mais de 800 professores, sendo 80% mestres e doutores. A Unicesumar obteve nota 4 no Índice Geral de Cursos (IGC) pelo oitavo ano consecutivo, em uma escala de avaliação de 1 a 5, o que a coloca em posição de excelência em educação. A instituição também está entre os dez maiores grupos educacionais privados do país.
     

    O Polo da Unicesumar em Brumado, fica localizado na Rua Tibúrcio da Silva Leite, 70, centro.Telefone: 77 99934-8556
    E-mail: [email protected]

    CONTINUE LENDO


  • ProUni oferece 243.888 bolsas de estudo a partir de amanhã

    Foto: Reprodução

    O Programa Universidade para Todos (ProUni) vai oferecer 243.888 bolsas de estudo em 1.239 instituições particulares de ensino. Dessas, 116.813 são integrais, e 127.075, parciais. O sistema foi aberto hoje (30) para a consulta de vagas. As inscrições começam amanhã (31), na página do programa.

    As inscrições vão até as 23h59 do dia 3 de fevereiro, seguindo o horário oficial de Brasília. A consulta pública de bolsas do ProUni está disponível na página do programa na internet. O estudante pode pesquisar as bolsas ofertadas por curso, instituição ou município.

    O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições de educação superior privadas. Em contrapartida, o programa oferece isenção de tributos às instituições que aderem ao programa.

    Os estudantes que forem selecionados podem pleitear ainda Bolsa Permanência, para ajudar nos custos dos estudos, e podem também usar o Fundo de Financiamento Estudantil para financiar parte da mensalidade não coberta pela bolsa do programa.







  • Começa o prazo para participar da lista de espera do Sisu

    Foto: Reprodução

    Os estudantes que não foram aprovados em nenhuma das opções de curso pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) podem, a partir de hoje (29), integrar a lista de espera do programa. O prazo para que isso seja feito vai até o dia 5 de fevereiro.

    A adesão pode ser feita na página do Sisu. Os candidatos podem escolher entrar na lista de espera para a primeira ou para a segunda opção de curso feita na hora da inscrição. 
    Os alunos na lista serão convocados pelas próprias instituições de ensino a partir do dia 7 de fevereiro.

    A partir desta edição do Sisu, os estudantes que foram selecionados em qualquer uma das duas opções não poderão participar da lista de espera. Até o ano passado, aqueles que eram selecionados na segunda podiam ainda participar da lista e ter a chance de ser escolhido na primeira opção.

    O resultado do Sisu está disponível desde ontem (28). Aqueles que foram selecionados devem fazer a matrícula nas instituições de ensino, no período de 30 de janeiro a 4 de fevereiro.

    CONTINUE LENDO






  • Resultado do Sisu já está disponível na internet

    Foto: Reprodução

    O resultado da única chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) está disponível e pode ser consultado na página do programa na internet e pelo aplicativo. Os estudantes que não foram selecionados podem participar da lista de espera a partir de amanhã (29).

    Aqueles que foram selecionados devem fazer a matrícula nas instituições de ensino, no período de 30 de janeiro a 4 de fevereiro. Os estudantes devem ficar atentos aos dias, horários e locais de atendimento definidos por cada instituição em seu edital próprio.

     

    Quem não foi selecionado pode ainda participar da lista de espera. A adesão pode ser feita na página do Sisu, a partir desta terça-feira (29), até o dia 5 de fevereiro. Esses alunos serão convocados pelas próprias instituições de ensino a partir do dia 7 de fevereiro.

    A principal novidade deste ano é que os estudantes que forem selecionados em qualquer uma das duas opções feitas na hora da inscrição não poderão participar da lista de espera. Até o ano passado, aqueles que eram selecionados na segunda opção podiam ainda participar da lista e ter a chance de ser escolhido na primeira opção.

    CONTINUE LENDO






  • Ministério da Educação adia inscrições do ProUni e do Fies

    Foto: Reprodução

    Após adiar o período de inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o Ministério da Educação (MEC) adia também as inscrições do Programa Universidade para Todos (ProUni) e do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). As alterações foram publicadas hoje (25) no Diário Oficial da União.

    O ProUni, que abriria inscrições no dia 29, teve o início do prazo adiado para o dia 31. Os estudantes poderão se inscrever, pela internet até o dia 3 de fevereiro.

    Com relação ao Fies as inscrições ficarão abertas de 7 a 14 de fevereiro. O prazo anterior era de 5 a 12 de fevereiro.



  • Enem: Unicesumar oferece bolsas de até 100%

    Para quem quer começar o ano matriculado na faculdade, uma oportunidade é ingressar por meio da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).  A Unicesumar, melhor instituição de Educação a Distância (EAD) dentre os dez maiores grupos educacionais do país, oferece descontos que podem ser uma forma de fazer as mensalidades caberem no orçamento.
    As bolsas de estudos variam de acordo com a nota obtida pelo candidato no Enem. Os descontos são progressivos, começando em 40% e podendo chegar a 100%.  Os interessados podem escolher entre 59 opções de cursos superiores, nas modalidades de Ensino a Distância (EAD) ou metodologia Híbrida, nas áreas de Educação, Tecnologia, Engenharias, Bem-Estar, Gestão, entre outras.

    Dados do Censo do Ensino Superior, divulgados pelo Instituto Anísio Teixeira (Inep), apontam que apenas 18% dos brasileiros com idade entre 18 a 24 anos estão matriculados no Ensino Superior. Para o diretor comercial da Educação a Distância (EAD) da Unicesumar, José Henrique Saviani, os números são alarmantes. “É fundamental que as instituições de ensino trabalhem com programas e projetos que ajudem a população a iniciar uma graduação. Esse é um dos passos para mudarmos este cenário”, destaca.

    Para concorrer a uma das bolsas oferecidas pela instituição, é necessário não ter zerado na redação e comprovar a nota obtida no 

    Enem. A campanha é válida de 18 de janeiro a 10 de fevereiro.

    Mais informações sobre a campanha e os cursos podem ser obtidas pelo site www.unicesumar.edu.br/ead/enem/ ou pelo telefone 0800 600 6360.

    A Unicesumar Polo Brumado-BA está localizada na Rua Tibúrcio da Silva Leite, N° 70, centro.

    Telefone: 77 99934-8556 ou e-mail [email protected]

    Entre em contato ou faça-nos uma visita!

    CONTINUE LENDO


  • Prazo de inscrição do Sisu 2019 é prorrogado até domingo, diz MEC

    Foto: Divulgação

    O prazo final para inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2019 foi prorrogado pelo Ministério da Educação (MEC), segundo comunicado divulgado na tarde desta quinta-feira (24). Em vez de se encerrar no dia 25 de janeiro, conforme previam as regras, irá até as 23h59 de domingo (27). A divulgação do resultado segue mantida para a segunda-feira (28).

    A decisão foi tomada porque o site apresentou instabilidades e falhas desde o primeiro dia do processo seletivo.

    Candidatos tiveram dificuldade para concluir a inscrição e alterar as opções de curso já feitas - o sistema não carregava e, quando abria, exibia uma tela de login com problemas. Além disso, alguns participantes relataram que, mesmo digitando o número de inscrição e a senha corretos, foram levados a páginas de usuários desconhecidos.



  • Gestão Bolsonaro promete liberar ensino domiciliar por medida provisória

    O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) incluiu na lista de metas para os cem primeiros dias do governo a regulamentação do ensino domiciliar por meio de medida provisória.

    A prática havia sido considerada ilegal no final do ano passado pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Na ocasião, a maioria dos ministros entendeu que, por falta de regulamentação, ela não poderia ser considerada um meio lícito para os pais garantirem o direito dos filhos à educação.

    Com a medida provisória, irá se regularizar a situação das famílias que ensinam seus filhos em casa. Segundo estimativa divulgada no ano passado pela Associação Nacional de Educação Domiciliar (Aned), elas somavam cerca de 7.500 na ocasião.

    Parte delas é composta por pessoas que discordam da linha educacional oferecida nas escolas por motivos religiosos.

    Já educadores contrários à medida citam a frequência a instituições educacionais como um direito da criança e enfatizam a escola como um espaço importante de socialização.

    A Aned afirmou nesta quarta-feira que ajudou a construir o texto da medida provisória junto com o governo Bolsonaro.

    A entidade diz ter procurado em dezembro o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, para a edição da MP. Posteriormente, assessores da pasta teriam afirmado que o tema teria mais relação com a área de direitos humanos e família do que com a educação formal.

    Por isso, a medida ficou a cargo da área da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

    A Aned diz ter feito uma proposta de redação, que está sob análise da pasta e da Casa Civil. "Estamos trabalhando para que essa tramitação seja rápida", diz a entidade, que sugere que o texto pode ser um aval provisório enquanto o Congresso não aprova um projeto de lei.

    "Apenas para constar, a MP tem total força de lei [e] vai nos deixar tranquilos, no mínimo, durante o primeiro semestre de 2019. Enquanto isso, estaremos buscando as articulações necessárias para garantir que se torne definitivamente regulamentada a educação domiciliar, devolvendo à família brasileira a liberdade de escolher como educar seus filhos", diz o texto da organização.

    ENSINO DOMICILIAR NO SUPREMO

    A educação domiciliar ganhou adeptos a partir de 2016, quando o ministro do STF Luís Roberto Barroso suspendeu todas as decisões judiciais que impediam os pais de educar seus filhos em casa.

    Na votação do STF, motivada por um pedido de uma família do município de Canela (RS), ele foi o único a deliberar pela legalidade da prática.

    A família da cidade gaúcha gaúcha foi à Justiça após a Secretaria de Educação do município negar um pedido para que a menina, à época com 11 anos, tivesse aulas em casa.

    Barroso argumentou que crianças educadas em casa tem outras oportunidades de socialização e que, segundo pesquisas, não teriam deficiência na formação intelectual.

    O ministro Alexandre de Moraes abriu a divergência na votação e foi acompanhado por sete magistrados: Rosa Weber, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Marco Aurélio, Dias Toffoli e Cármen Lúcia. Eles consideraram que, para que a opção pelo ensino em casa fosse válida, teria de estar prevista em lei.

    Desse grupo, Fux e Lewandowski foram além: para eles, o "homeschooling" seria inconstitucional mesmo que houvesse lei para regulamentá-lo.

    Lewandowski destacou a importância da escola para a convivência com a diversidade. "Quando se formam bolhas nas quais ecoam as mesmas ideias, o que é comum nas redes sociais, o entendimento mútuo se torna cada vez mais difícil, contribuindo para a fragmentação da sociedade, para a polarização e para o extremismo", disse.

    Já Edson Fachin divergiu parcialmente, e propôs dar um ano para o Congresso legislar sobre o assunto, mas foi vencido. Celso de Mello não participou da sessão.

    CONTINUE LENDO


  • Sisu abre inscrições para mais de 235 mil vagas

    Foto: Divulgação

    Começam hoje (22) as inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que vão até sexta-feira (25) na internet. Ao todo, serão ofertadas 235.461 vagas em 129 instituições públicas de todo o país.

    Podem concorrer às vagas os estudantes que fizeram o Enem 2018 e obtiveram nota acima de zero na prova de redação. Os candidatos poderão se inscrever no processo seletivo em até duas opções de vaga, especificando, em ordem de preferência, as suas opções em instituição de educação superior participante, com local de oferta, curso e turno, e a modalidade de concorrência.

    O resultado será divulgado no dia 28 de janeiro. A matrícula dos selecionados deve ser feita de 30 de janeiro a 4 de fevereiro.

    Do dia 28 de janeiro ao dia 4 de fevereiro, os estudantes que não foram selecionados na chamada regular, em nenhuma das opções, podem manifestar o interesse em participar da lista de espera. Esses alunos serão convocados pelas próprias instituições de ensino a partir do dia 7 de fevereiro.

    A principal novidade deste ano é que os estudantes que forem selecionados em qualquer uma das duas opções não poderão participar da lista de espera. Até o ano passado, aqueles que eram selecionados na segunda opção podiam ainda participar da lista e ter a chance de ser escolhido na primeira opção.

    CONTINUE LENDO






  • Notas do Enem já estão disponíveis na internet

    As notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) estão disponíveis na internet, na Página do Participante  e no aplicativo oficial do Enem. Mais de 4,1 milhões de estudantes podem acessar o resultado individual em cada uma das provas: linguagens, ciências humanas, ciências da natureza, matemática e redação.

    Para acessar os resultados individuais, é preciso usar a senha criada na hora da inscrição. Caso o participante não se lembre da senha, basta clicar no campo Esqueci minha senha. O estudante deverá, então, confirmar o e-mail cadastrado no sistema para receber uma senha temporária. Quem esqueceu a senha e também não tem acesso ao e-mail cadastrado tem a opção de informar novos contatos para receber a senha temporária.



  • Inep divulga notas do Enem na sexta-feira

    Nesta sexta-feira (18), mais de 4,1 milhões de estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no ano passado terão acesso às notas das provas. O resultado será divulgado na internet, na Página do Participante, e no aplicativo oficial do Enem.

    Os participantes terão acesso a quanto obtiveram em cada uma das provas: linguagens, ciências humanas, ciências da natureza, matemática e redação. A nota dos treineiros, aqueles que ainda não concluíram o ensino médio e fizeram a prova apenas para testar os conhecimentos, será divulgada apenas em março, 60 dias depois dos demais participantes.

    A nota do Enem é calculada usando a chamada teoria de resposta ao item (TRI), que não estabelece previamente um valor fixo para cada questão. O valor varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item.

    Assim, se a questão tiver grande número de acertos será considerada fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. O estudante que acertar um item com alto índice de erros, por exemplo, ganhará mais pontos por ele.

    CONTINUE LENDO






  • Piso salarial para professores do magistério é reajustado em 4,17%

    Foto: Reprodução

    Desde o dia 1º, o piso salarial do magistério está em R$ 2.557,74, o que representa um aumento de 4,17%, segundo o Ministério da Educação MEC).

    O valor corresponde ao vencimento inicial dos profissionais do magistério público da educação básica, com formação de nível médio, modalidade normal, jornada de 40 horas semanais.

    De acordo com o MEC, esse formato para correção do piso salarial é utilizado desde o ano de 2010.



  • Ninguém vai impedir Bolsonaro de ver o Enem antes, diz futuro ministro da Educação

    O futuro ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, afirmou nesta segunda-feira (26), em Londrina (PR), que dará aval para a consulta prévia das provas do Enem pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), caso seja o desejo dele. "Se o presidente se interessar, ninguém vai impedir. Ótimo que o presidente se interesse pela qualidade das nossas provas".

    Vélez referiu-se à afirmação do presidente eleito, após a primeira prova deste ano, de que "vai tomar conhecimento da prova antes" da realização do Enem pelos estudantes, o que confronta critérios técnicos e de segurança do exame.

    A polêmica surgiu com uma questão da prova que tratava do "dialeto secreto" utilizado por gays e travestis.

     

    A declaração de Vélez, ocorreu em um encontro oferecido pela direção da Faculdade Positivo, onde leciona, em que foi homenageado por colegas professores.

    Segundo ele, o exame poderia ser preparado por profissionais e instituições isentas. "Precisamos preparar a prova com muito carinho, para que não se torne um veículo de disseminação de determinadas posições ideológicas ou doutrinárias", afirmou.

    "Tem que ser uma prova que a avalie os conhecimentos e que não obrigue o aluno a assumir determinada posição com medo de levar 'pau'".

    Vélez também afirmou que a reforma do ensino médio ficou incompleta e que o nome do Ministério da Educação deve sofrer mudanças — embora a reformulação completa da pasta, que deve abrigar outras como a da Cultura, ainda não esteja clara.

    "Em princípio [reforma do ensino médio], foi bem encaminhada mas ficou incompleta. O aluno tem que sair do segundo grau pronto para o mercado de trabalho. Nem todo mundo quer fazer uma universidade. É bobagem pensar na democratização da universidade, nem todo mundo gosta", afirmou Vélez.

    "O segundo grau teria como finalidade mostrar ao aluno que ele pode colocar em prática os conhecimentos e ganhar dinheiro com isso. Como os youtubers, ganham dinheiro sem enfrentar uma universidade".

    Vélez disse se alinhar às ideias de Bolsonaro, e que o valor que considera fundamental é o de servir as pessoas. "Não podemos ficar reféns de uma doutrinação de cunho marxista que terminou prevalecendo em muitas universidades. Precisamos abrir a mente e o espírito para a compreensão de outras formas de ensino e educação".

    Para o futuro ministro, é necessário voltar-se a dar mais atenção às escolas municipais. Questionado sobre as verbas para as universidades, Vélez afirmou apenas que é preciso uma gestão mais eficiente dos recursos humanos e criticou a presença dos sindicatos nas administrações.



  • Termina nesta sexta prazo para renovação de contratos do Fies

    SÃO PAULO - Estudantes universitários que adquiriram empréstimos por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) no segundo semestre de 2018 devem ficar atentos, pois o prazo para a renovação dos contratos acaba nesta sexta-feira, 23. Não haverá prorrogação, de acordo com o Ministério da Educação. Devem fazer o aditamento pelo sistema SisFies os estudantes que contrataram o financiamento até 31 de dezembro de 2017, destacou a pasta.

    O prazo já foi estendido, pois originalmente seria encerrado em 16 de novembro. “Em virtude do feriado do dia 15 de novembro, decidimos dar mais prazo para que todos consigam concluir o processo de aditamento no sistema”, afirmou o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação que gerencia o Fies, Silvio Pinheiro.

    Os estudantes que aderiram ao Novo Fies e contrataram o financiamento em 2018 devem seguir o cronograma da Caixa Econômica Federal, que, conforme a Lei nº 13.530, de 7 de dezembro de 2017, é o agente operador de sistema. Os contratos do Fies precisam ser renovados todo semestre, lembrou o ministério. A pasta estima que cerca de 890 mil contratos devem ser renovados através do SisFies no segundo semestre de 2018.

    O pedido de aditamento é inicialmente feito pelas instituições de ensino superior para depois as informações serem validadas pelos estudantes. Caso o aditamento tenha alguma alteração nas cláusulas contratuais, o estudante precisa levar a nova documentação ao Banco do Brasil ou à Caixa Econômica Federal para finalizar a renovação, explicou o ministério. Já nos aditamentos simplificados, a renovação é formalizada a partir da validação do estudante no sistema.(Estadão)