BUSCA PELA CATEGORIA "ESPORTES"

  • Brumadense se consagra vice-campeão no Sul-Americano de Fisiculturismo realizado no Perú

    Alípio Júnior, à direita. Foto: Divulgação.

    O baiano, da cidade Brumado, Alípio Júnior, obteve a segunda colocação no Capeonato de Fisiculturismo Sul-americano, ocorrido no último sábado (14), em Lima no Perú.

    O brumadense já havia participado em outras edições; mas, desta vez, alcançou o seu melhor resultado. Pelas redes sociais, amigos e conterrâneos parabenizaram o atleta.



  • Jogos Escolares mobilizam estudantes da capital e do interior da Bahia

    Foto: Divulgação

    No sábado (24) estudantes da rede pública e privada participaram do último dia da etapa estadual dos Jogos Escolares da Bahia 2019. O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, acompanhou a realização de jogos nas diversas modalidades, no Ginásio Poliesportivo de Cajazeiras, em Salvador, e no SESI/Fieb, de Simões Filho. Além disso, o gestor estadual assistiu, no Ginásio de Municipal de Lauro de Freitas, as apresentações de ginástica rítmica.

    Na oportunidade, conferiu também, no local, a realização da etapa do Circuito Brasileiro de Skate Profissional, que tem apoio do Governo do Estado. O secretário esteve acompanhado, durante toda a agenda, pelo coordenador de Projetos Estratégicos da SEC, Marcius Gomes.
     







  • Secretaria discute fortalecimento das práticas esportivas nas escolas

    Foto: Ilustração

    A Secretaria da Educação do Estado promoveu, na noite desta quinta-feira (22), um encontro com os articuladores dos Jogos Estudantis da Rede Pública (JERP), de 16 Núcleos Territorias de Educação (NTE), em Salvador.  Na atividade, que teve a participação do secretário da Educação do Estado (SEC), Jerônimo Rodrigues, foram discutidos avanços e perspectivas para os jogos estudantis, bem como o impacto do esporte no processo de aprendizagem e transformação social dos alunos. Além disso, foram abordadas estratégias de fortalecimento do esporte como política de educação articulada ao currículo escolar.

    Os educadores estão acompanhando 1.090 estudantes, de 82 escolas públicas e privadas da capital, da Região Metropolitana e do interior do Estado, durante a etapa estadual dos Jogos Escolares da Bahia (JEB), que acontece até sábado (24). ?(Secom)



  • Brasil bate recorde de medalhas no Pan e fecha em segundo após 56 anos

    Os Jogos Pan-Americanos de Lima terminaram no domingo (11) com um resultado histórico para o Brasil.

    Foram 171 medalhas, com 55 de ouro, 45 de prata e 71 de bronze. E mais: Com vitórias no Pan, atletas brasileiros garantem mais nove vagas olímpicas em Tóquio 2020.



  • Atleta baiana conquista prata nos Jogos Pan-Americanos

    Foto: Setre

    Na prova de BMX dos Jogos Pan-americanos, disputado em Lima, no Peru, a baiana Paola Reis conquistou, na sexta-feira (9), a medalha de prata. O ouro ficou com a colombiana Mariana Pajon, bicampeã olímpica, e o bronze para a venezuelana Stefany Hernandez.

    “Pratico o esporte desde os 11 anos e não é fácil chegar a essa medalha. Fiquei feliz demais hoje. Meu objetivo era ficar com ouro ou prata, mas logo na descida tive uma fechada e fiquei pra trás. Vim recuperando durante o percurso. Agradeço a todos que torceram por mim”, disse a baiana, que completa 20 anos no próximo dia 15.

    Oriunda de projetos sociais apoiados pela Superintendência de Desportos do Estado (Sudesb), Paola recebe o apoio do Programa Estadual de Incentivo ao Esporte Amador Olímpico e Paralímpico (FazAtleta). 

    Coordenado pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), em parceria com a Secretaria da Fazenda (Sefaz), o FazAtleta já concedeu apoio a mais de 70 projetos de atletas e de eventos esportivos em 2019, com um investimento de aproximadamente R$ 3,4 milhões.

     



  • Pan: Brasil conquista quatro ouros em dia de mais de 10 medalhas

    Este domingo foi bastante positivo para o Brasil no Panamericano deste ano, disputado em Lima, no Peru. Os atletas conseguiram garantir mais de 10 medalhas em diversas categorias, do atletismo ao surf, passando pela canoagem. Até o começo da noite deste domingo (4), os triunfos do dia haviam contabilizado quatro medalhas de ouro, duas de prata e cinco de bronze.

    Com isso, a representação verde e amarela consolidou a segunda colocação na classificação geral, com 21 ouros, 16 pratas e 32 bronzes. O país fica atrás apenas dos Estados Unidos, com 52 ouros. Nas posições seguintes do ranking estão México (19 ouros), Canadá (17), Colômbia (14), Cuba (14) e Argentina (12).

    Na canoagem slalom, o Brasil subiu duas vezes ao posto mais alto do pódio: com Ana Sátila na canoa feminina e com Pedro “Pepê” Gonçalves no Caiaque masculino. Com isso Sátila conquistou o bi-campeonato, já que havia vencido também no Pan de Toronto, em 2015.

    Além deles, Felipe Borges chegou em terceiro e obteve o bronze na prova de canoa masculina. Na canoa feminina, Omira Estácia fez tempo para a prata, mas foi requalificada e não alcançou o pódio.

    A nadadora Ana Marcela subiu no topo do pódio na prova de maratona aquática feminina, de 10 quilômetros. Nesta categoria, Viviane Jungblut chegou em terceiro e garantiu o bronze. Ainda nas águas, Chloé Calmon também subiu mais alto, mas no longboard. Já Nicole Pacelli foi a terceira na categoria de Stand Up Paddle (SUP) feminino.

     

    Caio Bonfim (Brasil) é medalha de prata nos 20km da marcha atlética nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019. - Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

    No atletismo, Caio Bonfim ficou com a prata na marcha de 20 quilômetros masculina e Érica Rocha de Sena levou o bronze na mesma categoria, mas no feminino.

    Já no hipismo, o Brasil conquistou a prata na disputa por equipes e assegurou o bronze na categoria individual com Carlos Parro.(Agência Brasil)

    CONTINUE LENDO


  • Polícia Militar realiza VII Corrida da Coppa neste domingo

    Foto: Ilustração

    A Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (Coppa) realiza no domingo (4), a partir das 7h, no Parque Metropolitano de Pituaçu, em Salvador, a VII Corrida da Copa - Guardiões do Meio Ambiente. A competição terá duas distâncias (em trilhas), com largadas simultâneas em dois lugares diferentes.

    O percurso de 14,5 quilômetros terá largada e chegada no estacionamento interno do Parque Metropolitano do Pituaçu, dando uma volta completa das trilhas do parque no sentido horário. Já no trajeto de 6,5 quilômetros, os atletas largarão na parte posterior (atrás) do Estádio de Futebol do Pituaçu, chegando no estacionamento interno do Parque Metropolitano do Pituaçu.

    Com mais de mil participantes entre homens e mulheres, os competidores disputarão três categorias diferentes: geral, policiais militares e demais militares (Bombeiros Militares. Marinha e Exército). A corrida terá duração máxima de 2h30.

    A VII Corrida da COPPA tem como objetivo incentivar a prática de atividades físicas como meio de saúde e socialização, propiciando uma melhor qualidade de vida. (Secom)

     



  • Pan: Ginástica do Brasil tem mais 4 medalhas

    Foto: rededoesporte.gov.br

    Nos Jogos Pan-Americanos de Lima, o Brasil encerrou a noite de terça-feira (30), sétimo dia de competições , com mais duas medalhas, uma de ouro e uma de bronze – no decorrer do dia, os brasileiros já tinham conquistado sete.

    O ouro veio do handebol feminino, após um clássico de tirar o fôlego entre Brasil e Argentina. As brasileiras confirmaram a hegemonia na modalidade vencendo as argentinas de virada, por 30 a 21, diante de um ginásio lotado. Além de faturar o ouro e o hexacampeonato no handebol, as brasileiras asseguraram presença nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.



  • Ouro e prata! Caio Souza e Arthur Nory fazem dobradinha inédita na ginástica artística do Pan

    Caio Souza crava a série da barra fixa e quase chora mesmo antes de receber a nota nesta segunda-feira. Sabia que o trabalho tinha sido bem feito e que a medalha ficaria no seu peito no individual geral da ginástica artística. Veio o ouro e com direito a dobradinha inédita. Arthur Nory abria o sorriso largo a cada apresentação, porque também brilhou em Lima e ficou com a prata. O Brasil conquistou o ouro e a prata do individual geral nos Jogos Pan-Americanos.

    No Pan de Toronto 2015, Caio Souza havia ficado no quase. A quarta colocação já era a melhor de um brasileiro no individual de um Pan. A medalha veio em Lima. Não apenas o primeiro pódio brasileiro na história da prova, mas um pódio em dobro. O canadense Cory Paterson ficou com o bronze, somando 82,200 pontos em todos os aparelhos, abaixo do campeão Caio (83,500) e do vice Nory (82,950).

    Ouro e prata! Caio Souza e Arthur Nory fazem dobradinha inédita na ginástica artística do Pan

    O título do individual geral foi especial para Caio Souza não apenas por conseguir a medalha que escapou em 2015, mas também porque ele quase ficou fora do Pan de Lima. O ginasta passou por uma cirurgia no tornozelo há pouco mais de dois meses, mas conseguiu recuperar quase todos os seus elementos em tempo. Ainda pode crescer rumo ao Mundial de Stuttgart, em outubro.

    - Foi um alívio. Foram dois meses e meio desde a minha cirurgia (no tornozelo). Tudo que passei, de fortalecimento, tudo o que ralei para estar aqui... Nem sei o que falar, só agradecer a todo mundo. A gente só põe para fora o trabalho de muita gente - disse Caio, agradecendo a comissão técnica e médica do Brasil por deixá-lo em condições de conquistar o ouro no Pan.

    Bronze no solo da Olimpíada do Rio 2016, Nory também confirma a boa forma depois de temporadas seguidas lidando com lesões. Foi a primeira vez desde a Rio 2016 que ele apresentou os seis aparelhos em uma competição. E já levou uma prata.

    - Essa medalha estava engasgada. A última vez competi seis aparelhos foi na Olimpíada. É uma competição puxada. Eu chorei no canto com meu técnico no fim. Havia uma incerteza se eu viria ao Pan por causa do meu joelho. Depois que descobrimos o problema (ele tem condromalácia, um problema crônico degenerativo na cartilagem), uma força-tarefa foi feita. Só tenho a agradecer a todos. A gente não está sozinho - disse Nory.

    Notas do Top 3 do individual geral

    Ginasta Solo Cavalo Argolas Salto Paralelas Barra fixa Geral
    Caio Souza (BRA) 13,600 12,950 14,250 14,600 13,700 14,400 83,500
    Arthur Nory (BRA) 14,050 12,950 13,050 14,650 13,850 14,400 82,950
    Cory Paterson (CAN) 13,650 13,050 13,350 14,050 14,350 13,750 82,200

    ouro por equipes do domingo e a dobradinha inédita do individual geral desta segunda-feira reafirma o crescimento da equipe masculina do Brasil. Sétima colocado no Mundial do ano passado, o Brasil vai buscar no Mundial de Stuttgart uma das nove vagas para a Olimpíada de Tóquio 2020 - China, Rússia e Japão já estão garantidos. Cada vez mais o Brasil ganha moral, algo importante em um esporte com toques de subjetividade como a ginástica artística.

    Nory ainda volta ao Ginásio Villa El Salvador para disputar três finais por aparelhos. Na terça-feira, a partir das 15h (de Brasília), briga por mais uma medalha no solo. Na quarta, no mesmo horário, luta pelo pódio nas barras paralelas e na barra fixa. Nas paralelas ele vai ter como maior concorrente justamente Caio Souza, que também disputa a final das argolas na terça, com a participação do campeão olímpico Arthur Zanetti.

    A final prova por prova

     

    Primeira rotação - solo
    Coube a Caio Souza abrir a disputa no solo. Justamente ele que tinha sofrido uma queda neste aparelho na classificatória. Mas desta vez ele conseguiu uma boa série. Só deu um passo para fora do tablado e tirou 13,600, quase um ponto a mais do que na classificatória, ficando na terceira posição entre os favoritos. O melhor do grupo de elite foi Arthur Nory. Medalhista olímpico de bronze no solo, ele fez uma série praticamente cravada, muito limpa e conseguiu 14,050 pontos. Nory só não liderou a primeira rotação porque três atletas se apresentaram no salto, aparelho que dá mais pontos, passaram o brasileiro: o peruano Daniel Aguero (14,450), o argentino Daniel Villafañe (14,400) e o equatoriano Israel Chiriboga (14,150).

    Segunda rotação - cavalo com alças
    Aparelho que mais costuma derrubar os brasileiros, o cavalo com alças foi domado por Nory e Caio. Os dois tiveram problemas na classificatória. Caio inclusive sofreu uma queda. Desta vez os dois comemoram muito passar sem falhas grandes e conseguiram 12,950. Foi o suficiente para manter Nory na dianteira do grupo favorito. Caio ainda estava atrás dos canadenses Cory Paterson e René Cournoyer. No geral, Nory fechou a rotação na terceira posição com 27,000 pontos, atrás apenas de dois ginastas que já haviam passado pelo salto, aparelho que dá mais pontos: o argentino Daniel Villafañe (27,300) e o venezuelano Jostyn Fuenmayor (27,050).

    Terceira rotação - argolas
    Nory teve um pouco de dificuldade nas argolas e cometeu alguns balanços, mas ainda tirou 13,050 pontos. Acabou caindo para a terceira posição dentro do grupo favorito. O novo primeiro colocado foi Caio Souza. Reserva na final das argolas do último Mundial, o brasileiro fez uma grande série e se emocionou ao cravar a saída. Com 14,250 pontos, assumiu a liderança geral, somando 40,800 pontos. O canadense René Cournoyer estava na cola, com 40,675.

    Quarta rotação - salto
    Era a vez do salto, um aparelho forte dos brasileiros. Nory dificultou mais seu salto em relação à classificatória, trocando o yurchenko com dupla pirueta por um com dupla pirueta e meia. Foi quase cravado e conseguiu 14,650 pontos, melhor salto da final que o lançou para a vice-liderança geral com 54,700 pontos. Ele só ficou atrás de Caio. Finalista do salto no último Mundial, Caio também apresentou um yurchenko com dupla pirueta e meia e conseguiu 14,600 pontos. Com 55,400 pontos, ele abriu vantagem na liderança. Os canadenses René Cournoyer (54,750) e Cory Paterson (54,100) continuaram na cola dos brasileiros.

    Quinta rotação - barras paralelas
    Na classificatória, os brasileiros tiveram as maiores notas das barras paralelas. Caio Souza foi o primeiro a se apresentar e teve algumas falhas grandes no seu principal aparelho. Ainda assim, a nota 13,700 o manteve na liderança, com 69,100 pontos. Nory também teve pequenos problemas, mas conseguiu se recuperar bem para tirar 13,850 e manter a vice-liderança, com 68,550. Só que o canadense Cory Paterson conseguiu 14,350 nas paralelas e encostou, com 68,450 na somatória.

    Sexta rotação - barra fixa
    A decisão ficou para o último aparelho. Cory foi o primeiro a se apresentar na barra fixa e conseguiu 13,750 colocando pressão. Só que Caio Souza veio na sequência e fez uma série quase perfeita e tirou 14,400 pontos. Somando 83,500 pontos, a medalha já era certa para Caio. Só restava saber qual. O canadense René Cournoyer também ficou para trás. Quarto colocado na barra fixa do Mundial de 2015, Nory também voou alto no aparelho e também conseguiu 14,400 pontos para somar 82,950 pontos. Selando a dobradinha brasileira.(G1)

    CONTINUE LENDO


  • Prefeita de Anagé, Elen Zite apoia evento de Pesca Esportiva na Prainha de Anagé

    Foto: Prefeita de Anagé, Elen Zite participa de premiação I Destaque Bahia

    Aconteceu em Anagé, na Prainha, o 2° Torneio de pesca esportiva e a segunda etapa do circuito baiano, no último sábado (27), realizado pela Associação de Pescadores Esportivos de Brumado e Microrregião.

    A prefeita da cidade, Elen Zite esteve apoiando o evento que reuniu mais de 150 participantes de várias partes da Bahia e do Brasil, como Ilhéus, Feira de Santana e Manaus.

    Segundo Zite, sediar o evento em Anagé foi de muita satisfação. A gestora agradeceu aos idealizadores do torneio por terem procurado a prefeitura que acolheu o esporte de destaque nacional.

    Com o apoio da prefeita a economia e o turismo local foram movimentados.

    Os peixes pescados após serem medidos e filmados, pois são avaliados pela comissão através da filmagem, foram devolvidos em seguida para as águas.

    Elen Zite participou das premiações.  



  • Trio baiano busca vaga em Tóquio no Mundial de esportes aquáticos

    Ana Marcela, Allan do Carmo e Victor Colonese são os nadadores baianos que disputarão a maratona aquática no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, a partir desta sexta-feira (12), em Gwangju, na Coreia do Sul. O evento é classificatório para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. O trio equivale a metade da delegação brasileira na modalidade.

    No total, o Brasil terá 60 atletas disputando a 18ª edição do Mundial até o dia 28 de julho, quando 76 medalhas de ouro terão sido distribuídas em seis modalidades: maratona aquática, natação, nado artístico (antigo nado sincronizado), polo aquático, saltos ornamentais e salto em grandes alturas.

    Trio baiano busca vaga em Tóquio no Mundial de esportes aquáticos

    Viviane, Ana, Allan e Victor vão tentar vaga na Olimpíada através do Mundial (Foto: Satiro Sodré / SSPress / CBDA)

    Líder do ranking após vencer três das quatro etapas do Circuito Mundial na temporada, Ana Marcela é a única do país favorita a conseguir a vaga olímpica na maratona aquática, garantida aos 10 primeiros colocados da prova de 10km. O currículo fala por ela: a dona de dez medalhas é a mulher brasileira com mais pódios em Mundial, entre todos os esportes - Cesar Cielo, que não disputa este Mundial, tem 19 medalhas na soma das sete em piscina longa e 12 em piscina curta.

    Tricampeã mundial nos 25km, a baiana de 27 anos vai nadar as três distâncias possíveis (a outra é de 5km), mas deixa claro que o foco está em obter vaga para sua terceira participação nos Jogos Olímpicos. Ela esteve em Pequim-2008 e Rio-2016.

    “Todo o planejamento desta temporada foi traçado com foco para o Mundial. Conseguimos alcançar tudo que foi planejado até aqui, que era subir no pódio em todas as etapas do Circuito Mundial”, afirma Ana, que conquistou o ouro em Doha (Catar), Setúbal (Portugal) e Balatonfured (Hungria) e a prata em Seychelles. “Certamente isso dá confiança e mostra que estamos no caminho certo, mas preciso manter o foco para garantir uma das dez vagas na seletiva olímpica e, é claro, nossa meta continua sendo o pódio. Sem dúvida a prioridade é a prova de 10km, que é a seletiva olímpica. As seguintes, 5km e 25km, nessa ordem, serão encaradas passo a passo”, explica. O calendário com as datas das competições está no final do texto.

    A disputa feminina acontece no sábado, às 20h (horário de Brasília; domingo às 8h na Coreia do Sul) e terá outra representante brasileira, a gaúcha Viviane Jungblut, de 23 anos, que busca a primeira classificação para uma Olimpíada.

    Antes promessa e agora uma realidade da nova geração, Viviane se firmou como a segunda melhor nadadora de águas abertas do país após a aposentadoria de Poliana Okimoto, que ela já havia desbancado em 2017. Na ocasião, a jovem gaúcha levou a melhor na seletiva para o Mundial de Budapeste e deixou a medalhista de bronze no Rio-2016 de fora. Em Gwangju, ela vai nadar também na piscina, nas provas de 800m e 1.500m livre – um feito inédito para o Brasil que será compartilhado com Diogo Villarinho nos 1.500m.

    A prova masculina dos 10km será disputada na segunda-feira (15), às 20h (de Brasília), e tem Allan do Carmo, 29 anos, como o brasileiro mais experiente. Este é o 10º Mundial dele. Assim como a amiga Ana Marcela, Allan também esteve nos Jogos de Pequim-2008 e Rio-2016. Victor Colonese, 27 anos, disputará o campeonato pela quarta vez e tentará a classificação para a sua primeira Olimpíada. 

    Allan está confiante: "Me sinto pronto. Foram dias intensos de treinamento e a expectativa é sempre de ter um bom desempenho. Estive um pouco gripado nos últimos dias, mas já me sinto 100%. Espero sim conquistar essa vaga olímpica, conto com a torcida de todos. Darei o meu melhor", garante o nadador, que na reta final da preparação viajou para os Estados Unidos, onde fez um treinamento em altitude junto com Colonese.

    Além da seletiva de 10km, Victor Colonese nadará a distância de 25km. Será a última da programação da maratona aquática, no dia 18. Allan do Carmo se concentrará apenas nos 10km.

    O Mundial de Gwangju é a única chance de um país conseguir duas vagas na Olimpíada, porque a segunda seletiva, no ano que vem, será apenas para países que não tiverem obtido a classificação.

    O goiano Diogo Villarinho, 25 anos, e o gaúcho Fernando Ponte, 26, são os outros representantes do Brasil na maratona aquática. Disputarão a prova de 5km, que abre as competições da modalidade às 20h de sexta (12), pelo fuso de Brasília, e não integra o programa olímpico.

    As provas de natação, em piscina longa, começarão no dia 20. As eliminatórias de saltos ornamentais e nado sincronizado abriram o Mundial com disputas antes mesmo da cerimônia de abertura, marcada para as 8h desta sexta.

    Calendário da maratona aquática no Mundial (horário de Brasília):

    12 de julho, às 20h
    5km masculino: Diogo Villarinho e Fernando Ponte

    13 de julho, às 20h
    10km feminino: Ana Marcela e Viviane Jungblut

    15 de julho, às 20h
    10km masculino: Allan do Carmo e Victor Colonese

    16 de julho, às 20h
    5km feminino: Ana Marcela e Viviane Jungblut

    17 de julho, às 20h
    Revezamento misto 5km: equipe a ser definida

    18 de julho, às 20h
    25km: Ana Marcela e Victor Colonese(o correio)

    CONTINUE LENDO


  • Peru dribla fama de saco de pancadas e volta à final após 44 anos

    De azarão a surpresa da Copa América, o Peru desbancou favoritos para chegar à decisão do próximo domingo (7) contra o Brasil, no Maracanã. A seleção comandada pelo técnico argentino Ricardo Gareca tem mostrado uma evolução surpreendente nos últimos anos e conta com uma das gerações mais talentosas da sua história.

    Antes saco de pancadas no continente ao lado de Bolívia e Venezuela, agora o Peru virou um time emergente. Nos últimos dez anos, a equipe subiu 35 posições no ranking da Fifa e ocupa hoje o 21º lugar. No ano passado, o time foi à Copa do Mundo da Rússia depois de 36 anos de ausência.

    O principal expoente dessa geração peruana é Paolo Guerrero, que atua no Brasil desde 2012. O goleador já passou por Corinthians e Flamengo e agora defende o Internacional. Ele é o maior artilheiro da Copa América em atividade com 13 gols. 

    O meia Cueva, ex-São Paulo, está no Santos e o lateral Trauco joga no Flamengo. O técnico Ricardo Gareca também tem ligações com o país e já trabalhou no Palmeiras.

    Sem craques de destaque nos grandes clubes da Europa, a força do Peru está no jogo coletivo e na organização tática da equipe. Esses, inclusive, foram os pilares do time nas vitórias contra os favoritos Uruguai, nos pênaltis, e Chile nas quartas de final e semifinal, respectivamente.

    Gareca comanda a seleção peruana há quatro anos e possui um sistema de jogo bem definido. O time se fecha na defesa e explora os contra-ataques. A estratégia não deu certo contra o Brasil na primeira fase e o Peru foi goleado por 5 a 0 na Arena Corinthians. O resultado, inclusive, fez com que a descrença sob a seleção crescesse, mas o time reagiu na fase mata-mata e conseguiu dois resultados contra Uruguai e Chile considerados históricos no país que recolocaram a seleção na final da Copa América depois de 44 anos.

    O Peru foi campeão em 1935 e 1975. No seu último título, a seleção peruana contou literalmente com a sorte para eliminar o Brasil nas semifinais: depois de vencer por 3x1 no Mineirão, levou 2x0 em Lima e a decisão da vaga na final foi para o sorteio. Os peruanos ganharam na moeda.

    Já o Brasil vai buscar seu nono título (1919, 1922, 1949, 1989, 1997, 1999, 2004 e 2007). Brasil e Peru somam 44 confrontos na história. O Brasil 31 vitórias. Também foram 9 empates e 4 triunfos dos peruanos.

    Apesar do retrospecto favorável do Brasil, o Peru impôs uma dura derrota à seleção na última Copa América, em 2016. O Peru venceu por 1 a 0 com um gol de mão de Ruidíaz, validado pela arbitragem. O Brasil foi eliminador ainda na primeira fase e o técnico Dunga foi demitido.

    CONTINUE LENDO


  • Seleção defende liderança do Grupo C contra a Austrália

    Foto: Divulgação CBF

    Depois de derrotar a Jamaica por 3 a 0, no Estádio dos Alpes, em Grenoble, no jogo de estreia da Copa do Mundo na França, nesse domingo (9), a seleção brasileira viaja na tarde desta segunda-feira (10) para a cidade de Montpellier, onde faz a sua segunda partida contra a Austrália, na quinta-feira (13), às 13h.

    Com os 3 a 0 sobre as jamaicanas, o Brasil chegou à oitava vitória no jogo de estreia em oito edições de Copa do Mundo, segundo a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A vitória deu à seleção a liderança do Grupo C pelo saldo de gols. Em segundo lugar está a Itália, que venceu as australianas por 2 a 1.

    Para a manhã de hoje, o treinador Vadão (Oswaldo Fumeiro Alvarez) programou um treino, no Estádio Paul Bourgeat, em Grenoble, para as jogadoras que não atuaram ontem ou entraram no segundo tempo da partida.

    De acordo com Vadão, a vitória no primeiro jogo da Copa foi merecida. “Fizemos um bom jogo, vencemos bem, é só o começo, não tem essa empolgação porque não ganhamos nada, mas arrancamos bem. Vai ser um jogo muito difícil agora com a Austrália”.

    O treinador também falou sobre a participação da atacante Cristiane, que marcou três gol na Jamaica, transformando-se na segunda maior goleadora da seleção brasileira em mundiais, com dez gols, ficando atrás apenas de Marta, com 15 gols.

    “Eu acho que uma atleta como a Cris, depende muito do restante do grupo, porque ela é uma especialista dentro da área, mas para fazer os gols, a bola precisa chegar dentro da área. A bola chegou e ela fez”, disse Vadão.

    Ao falar sobre a possibilidade de Marta retornar ao time na partida contra a Austrália, o treinador disse, logo após o jogo contra a Jamaica, que essa é uma questão do departamento médico, que acompanha as condições clínicas da atleta.

    A atacante que, nesse domingo, acompanhou a vitória do Brasil do banco de reservas, sofreu uma lesão muscular na coxa esquerda. Ela continua no trabalho fisioterápico, mas já em fase de transição para atividades no campo.

    CONTINUE LENDO


  • Com parceria da Prefeitura, será realizado em Brumado o Campeonato de Veteranos

    Foto: Divulgação

    O Futebol de Brumado irá ter uma grande celebração no mês de julho com a realização do Campeonato de Veteranos, que terá a participação de grandes nomes da categoria. Um desses grandes nomes é o ala-atacante Ney Rocha, o “Ney da Contabilidade” que teve um encontro na última sexta-feira (10) no gabinete municipal com o prefeito Eduardo Vasconcelos e com a secretária de Educação e Esportes, professora Ednéia Ataíde. Na oportunidade ele apresentou os detalhes do torneio que se iniciará em julho e irá até novembro, tendo como palco do Estádio “Gilbertão”. A parceria foi estabelecida com a Prefeitura Municipal, em mais uma ação pelo esporte brumadense. Os jogos terão entrada fraca e na grande final será cobrado um quilo de alimento não perecíveis para ser feita a doação à entidades sociais.







  • Vítima de Massacre na Escola de Suzano,  garoto natural  de Maetinga poderá realizar o sonho de entrar no estádio com jogadores do Corinthians na grande final deste domingo

    Anderson e o seu pai Rogério

    Depois de ter ficado 22 dias internado, após ter sofrido graves ferimentos durante o ataque ocorrido na Escola de Suzano, interior de São Paulo, no dia 13 de março deste ano, onde foram contabilizados 10 mortes e 11 feridos, o garoto Anderson, natural de Maetinga / Ba, poderá realizar um grande sonho neste domingo (21) –  entrar no estádio com os jogadores do Corinthians.
    A possibilidade foi confirmada por seu pai,  Rogério Ferraz. Em contato com nossa reportagem, Rogério disse que só está sendo aguardado o laudo médico a ser emitido pelo Hospital, atestando, ou não, as suas condições de saúde para participar do evento. Mas, ainda de acordo com Rogério, a diretoria do Corinthians se colocou a disposição e, caso não seja possível no jogo de domingo, assim que tiver a autorização da equipe médica que acompanha a recuperação de Anderson, o seu sonho será realizado na primeira oportunidade de um jogo da equipe principal.
    Rogério disse que o seu filho Anderson está muito feliz e, mesmo ainda não tendo superado por completo os momentos que vivenciou na escola, com essa atitude da diretoria do Corinthians, o seu filho terá ainda mais motivos para seguir em frente.
    Anderson, depois de ter passado por cirurgia, fez uma campanha nas suas redes sociais atraindo novos doares de sangue para o Hospital onde estava internado, o resultado foi muito positivo, e sabendo o time do coração de Anderson, a equipe do banco de sangue procurou o clube, contou a história do garoto para a diretoria, que se sensibilizou e se colocou a disposição para concretizar o seu sonho.