BUSCA PELA CATEGORIA "MUNDO"

  • Intérprete para surdos-mudos da cerimônia de Mandela era um impostor

    Homem acusado de ser impostor gesticula durante discurso dHomem acusado de ser impostor gesticula durante discurso de Obama / Foto:10.12.2013/Evan Vucci/AP

    A cerimônia de homenagem a Nelson Mandela deixou indignados os surdos-mudos da África do Sul que, nesta quarta-feira (11), denunciaram o intérprete dos discursos como um impostor que não conhecia a linguagem dos sinais.

    "A comunidade de surdos-mudos da África do Sul está ofendida", afirmou o Delphin Hlungwane, intérprete oficial da Federação de Surdos da África do Sul.

    — Ele gesticulava e movia suas mãos em todos os sentidos. Não tinha gramática, não utilizava qualquer estrutura. Não conhecia nenhuma regra da linguagem. Não traduziu nada.

    "Não sabemos de quem se trata, ninguém o conhece. Ele apareceu nesta ocasião e não sabemos como", disse Hlungwane.

    O caso do falso intérprete provocou polêmica na África do Sul e inúmeras interrogações. Os serviços de comunicação prometeram dar uma resposta a respeito.



  • Mandela 'inspirou a luta no Brasil e na América do Sul', diz Dilma em tributo

    Dilma Rousseff discursou na África do Sul no tributo em homenagem a Nelson Mandela (Foto: Pedro Ugarte/AFP) / G1 Mundo

    Sob os olhares de cerca de 80 mil pessoas, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira (10), durante discurso em tributo ao ex-presidente sul-africano Nelson Mandela no estádio Soccer City, em Johanesburgo, que o exemplo do líder negro inspirou o Brasil e a América do Sul. Segundo Dilma, Mandela foi "a personalidade maior do século 20".

     

    "Trago aqui o sentimento de profundo pesar do governo e do povo brasileiro e, tenho certeza, [também] de toda a América do Sul pela morte desse grande líder Nelson Mandela. O apartheid que Mandela e o povo derrotaram foi a forma mais elaborada e cruel de desigualdade social e política que se tem notícia nos tempos modernos. [Mandela] Inspirou a luta no Brasil e na América do Sul. 'Madiba', como carinhosamente vocês o chamam, constituiu exemplo de referência para todos nós, pela histórica paciência com que suportou o cárcere e o sofrimento", disse Dilma.

     

    Falando em nome do continente sul-americano, a presidente brasileira foi a segunda chefe de Estado – depois de Obama – a discursar na cerimônia, que lotou o Soccer City, palco da final da Copa do Mundo de 2010, onde Mandela fez sua última aparição pública. O ato na arena de futebol marca o início dos cinco dias de homenagens ao líder sul-africano, que morreu na quinta-feira (5), em Pretória, aos 95 anos.

     

    Os tributos devem durar até seu funeral, previsto para este domingo (15). Símbolo da luta contra a discriminação racial e vencedor do Prêmio Nobel da Paz de 1993, Mandela será enterrado, de acordo com seu desejo, na aldeia de Qunu, localizada na província pobre do Cabo Leste, onde ele cresceu.

     

    A homenagem a Mandela no Soccer City foi transmitida em telões instalados em outros três estádios de Johanesburgo e em mais 150 locais em toda a África do Sul. O ato também foi veiculado pela televisão para dezenas de países.

    Ato falho
    A presidente brasileira discursou durante 8 minutos, com o auxílio de um tradutor. Em meio à manifestação de pesar pela morte de Mandela, Dilma cometeu um ato falho, referindo-se aos sul-africanos como "sul-americanos".

     

    "O governo e o povo brasileiro se inclinam diante da memória de Nelson Mandela. Transmito à senhora Graça Machel [viúva de Mandela], aos seus familiares, ao presidente [Jacob] Zuma e a todo o povo 'sul-americano', sul-africano, nosso profundo sentimento de dor e de pesar. Viva Mandela para sempre!", confundiu-se Dilma.

     

    A presidente do Brasil começou a discursar pouco antes das 14h (10h pelo horário de Brasília). Ao se posicionar no púlpito coberto, Dilma foi intensamente aplaudida pelo público. Ela destacou no pronunciamento que a nação brasileira, que traz com "orgulho" o sangue africano nas veias, "chora e celebra" o exemplo do líder que "faz parte do panteão da humanidade.

     

    "Sua luta [de Mandela] transcendeu suas fronteiras nacionais e inspirou homens e mulheres, jovens e adultos, a lutarem por sua independência e pela justiça social. Deixou lições não só para seu querido continente africano, mas para todos aqueles que buscam a liberdade e a justiça e a paz no mundo", destacou.



  • Descontração de Obama durante cerimônia de adeus a Mandela causa polêmica

    R7 / Foto: AFP PHOTO/ROBERTO SCHMIDT

    Nem mesmo grandes líderes de governo, que comandam as grandes potências mundiais, conseguem resistir as selfies (fotos tiradas de si mesmo).

     

    O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e primeiros-ministros do Reino Unido, David Cameron, e da Dinamarca, Helle Thorning Schmidt, foram flagrados registrando sua presença na cerimônia de despedida de Nelson Mandela, nesta terça-feira (10).

     

    As imagens, que mostram os três sorrindo e posando para fotografias, geraram polêmica nas redes sociais. Muitos internautas fizeram críticas e ironizaram o momento, que consideraram inoportuno, de descontração e brincadeira dos líderes.

     

    Um internauta identificado como @tancredipalmeri ironizou no Twitter: “Grande imagem. A bela líder dinamarquesa Tiraselfie com Obama e Cameron. Olhem para seus rostos. Agora olhem para o de Michelle”.

     

     

    Já McKay Coppins, usou a rede para expressar sua indignação com a imagem, dizendo que “isto é bizarro. A primeira-ministra tirando selfies com Obama e Cameron”.



  • Na China, homem vive há 20 anos em bueiro para pagar estudos dos filhos

    G1 Mundo / Chinês vive há 20 anos em bueiro para pagar estudos dos filhos (Foto: Reprodução/OnTV)

    As autoridades de Pequim, na China, descobriram que um homem passou cerca de duas décadas vivendo debaixo da terra, com uma tampa de bueiro como única porta, com o objetivo de economizar dinheiro e pagar os estudos de seus filhos, informou neste domingo (8) a rede de televisão estatal "CFTV".

     

    O homem, de sobrenome Wang e de 53 anos, praticamente faliu com as altas multas que teve que pagar ao governo por violar a política do filho único vigente no país (ele tem três filhos) e decidiu se mudar do campo para a capital Pequim e ganhar a vida lavando carros.

     

    Para reduzir ao mínimo suas despesas e poder investir todo o seu modesto salário nos filhos, Wang viveu em um sistema de esgoto a dois metros da superfície, junto de encanamentos e tendo como bens um saco de dormir, cobertores e uma garrafa térmica.

     

    O caso de Wang chegou às autoridades da cidade, que selaram a tampa de esgoto pela qual o homem entrava em sua 'casa' e lhe ofereceram um alojamento temporário, advertindo a população que viver nestas precárias instalações debaixo da terra pode ser muito perigoso.

     

    Embora o caso de Wang chame atenção pelo longo período de tempo em que ele viveu em condições sub-humanas, boa parte da imprensa da China destacou que não se trata de um caso único no país, e que muitas pessoas sem recursos vivem no subsolo das cidades chinesas.



  • Sul-africanos rezam por Mandela em todo o país

    Bahia Noticias / Foto: Carl de Souza / AFP

    Os sul-africanos encheram templos religiosos de todo o país neste domingo (8) para um dia nacional de orações e reflexões em homenagem a Nelson Mandela. No interior da igreja Regina Mundi, localizada perto do epicentro do da revolta de Soweto, em 1976, o padre Sebastian J. Rossouw descreveu Mandela como o "luar" e disse que ele foi um guia de luz para a África do Sul. Centenas de pessoas participaram da missa. "Madiba não duvidava da luz", disse Rossouw. "Ele abriu o caminho para um futuro melhor, mas não pôde fazer isso sozinho", disse ele, chamando o ex-presidente por seu nome de clã.

     

    Durante o serviço religioso, os fiéis fizeram orações especialmente para o líder contra o apartheid e acenderam uma vela em sua homenagem em frente ao altar. Do outro lado da igreja havia uma fotografia em branco e preto de Mandela, que morreu na quinta-feira, aos 95 anos. A ex-mulher de Mandela, Winnie Madikizela-Mandela, participou, junto com um de seus netos, Mandla Mandela, e do presidente sul-africano Jacob Zuma, de um serviço religioso em uma igreja metodista de Johanesburgo. "É importante que tenhamos um dia no qual todos nós, sul-africanos, estejamos unidos e oremos pelo primeiro presidente democrático e refletir sobre o seu legado", afirmou Zuma. "Mas também orar por nossa nação...orar para que não nos esqueçamos de alguns dos valores pelos quais ele lutou", disse.

     

    Em um subúrbio predominantemente branco da capital Pretória, fiéis rezaram por Mandela em um local que já foi frequentado por líderes empresariais e pessoas ligadas ao governo do apartheid. Eles rezaram em silêncio enquanto uma imagem de Mandela era colocada na parede acima púlpito da igreja, cena que mostra as enormes mudanças vividas pelo país. Um serviço religioso também foi realizado da catedral St. George, na Cidade do Cabo, onde uma oração foi feita para o homem cuja jornada de prisioneiro a presidente inspirou o mundo. Uma cerimônia nacional para o homem que, como o primeiro presidente negro do país, fez da África do Sul uma democracia multirracial, será realizada no estádio de Johanesburgo na terça-feira. O corpo de Mandela permanecerá em Union Buildings, sede do governo em Pretória, de quarta a sexta-feira, e será enterrado na vila de Qunu, no domingo.



  • Morre Nelson Mandela, ícone da luta pela igualdade racial

    Presidente da África do Sul entre 1994 e 1999, ele tinha 95 anos / Fonte: G1 Mundo Foto: Reprodução

    O ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela morreu aos 95 anos em Pretória, anunciou nesta quinta-feira (5) o atual presidente, Jacob Zuma. Mandela ficou internado de junho a setembro devido a uma infecção pulmonar. Ele deixou o hospital e estava em casa. “Ele partiu, ele se foi pacificamente na companhia de sua família”, afirmou o presidente. “Ele descansou, ele agora está em paz. Nossa nação perdeu seu maior filho. Nosso povo perdeu seu pai.” O funeral de Mandela deve durar 12 dias.

     

    Conhecido como “Madiba” na África do Sul, ele foi considerado um dos maiores heróis da luta dos negros pela igualdade de direitos no país e foi um dos principais responsáveis pelo fim do regime racista do apartheid, vigente entre 1948 a 1993.

     

    Foram quatro internações desde dezembro. Em abril, as últimas imagens divulgadas do ex-presidente mostraram bastante fragilidade – ele foi visto sentado em uma cadeira, com um cobertor sobre as pernas. Seu rosto não expressava emoção. Em março de 2012, o ex-presidente sul-africano havia sido hospitalizado por 24 horas, e o governo informou, na ocasião, que Mandela tinha sido internado para uma bateria de exames rotineira.

     

    Em dezembro, porém, ele permaneceu 18 dias hospitalizado, em decorrência de uma infecção pulmonar. No fim de março de 2013, ele passou 10 dias internado, também por uma infecção pulmonar, provavelmente vinculada às sequelas de uma tuberculose que contraiu durante sua detenção na prisão de Robben Island (ilha de Robben), onde ficou 18 anos preso, de 1964 a 1982.

     

    Ficou preso durante 27 anos e ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1993. Foi eleito em 1994 o primeiro presidente negro da África do Sul, nas primeiras eleições multirraciais sul-africanas. Mandela é alvo de um grande culto no país, onde sua imagem e citações são onipresentes. Várias avenidas têm seu nome, suas antigas moradias viraram museu e seu rosto aparece em todos os tipos de recordações para turistas.

     

    Mandela nasceu em 18 de julho de 1918 no clã Madiba no vilarejo de Mvezo, no antigo território de Transkei, sudeste da África do Sul. Seu pai, Henry Gadla Mphakanyiswa, era chefe do vilarejo e teve quatro mulheres e 13 filhos - Mandela nasceu da terceira mulher, Nosekeni. Seu nome original era Rolihlahla Mandela.



  • Traficante contratou Roberto Carlos para fazer show

    Por: Redação Bocão News / Foto: Reprodução / Fonte: Folha

    Sem limites para extravagâncias, Pablo Escobar enviou o seu avião particular ao Rio de Janeiro apenas para buscar mulheres e, segundo o irmão, contratou Roberto Carlos para cantar em Medellín. "Roberto Carlos veio a Medellín para um show trazido por nós, mas em uma discoteca", disse Roberto Escobar, irmão mais velho do traficante, à reportagem da Folha.
     
    Foi numa rápida conversa durante o tour em sua casa --em troca de uma entrevista exclusiva, seu guia de turismo havia pedido US$ 5.000. Fanático por Roberto Carlos, Escobar tinha em sua fazenda uma jukebox apenas com canções do brasileiro, conforme relatado no livro "Killing Pablo" (matando Pablo), de Mark Bowden.
     
    O Rei fez dois shows em Medellín em fevereiro de 1988. O primeiro ocorreu no luxuoso hotel Intercontinental, alvo de um carro-bomba dois anos depois. Procurada pela Folha, a assessoria de imprensa de Roberto informou que ele "está em turnê pelo Nordeste e, por esse motivo, não será possível fazer esta consulta".
     
    A reportagem também perguntou a Roberto Escobar sobre uma passagem do seu livro, "Mi Hermano, el Patrón Escobar". Ali, descreve uma festa com "cinco hermosas garotas", escolhidas "por meio de um amigo no Brasil". "É um famoso cirurgião plástico brasileiro", disse. A fascinação com as brasileiras começou em 1982, quando Escobar e outros dez integrantes da cúpula do Cartel de Medellín passaram o Carnaval no Rio.
     
    Segundo o livro "La Parábola de Pablo", de Alonso Salazar, o grupo gastou US$ 500 mil durante a estadia. De volta, Escobar ordenou que o seu piloto fosse ao Rio buscar "garotas". A ordem foi cumprida em 15 horas. Mas surgiu um problema: a mulher de Escobar, Victoria, estava chegando de helicóptero à fazenda. "Quando a sua mulher chegou, tudo estava em ordem. E quando finalmente partiu, Pablo ordenou que o avião, que havia dado voltas por três horas sobre os céus da [fazenda] Nápoles com as cabareteiras, aterrissasse de novo".



  • Homem é preso com doze beija-flores na cueca

    Bocão News / Foto: Reprodução

    Um homem foi pego em flagrante com doze beija-flores dentro da cueca no aeroporto de Rochambeau, na Guiana Francesa.  Ele apresentava um comportamento suspeito no momento do embarque. Um grupo decidiu obrigá-lo a participar de uma revista íntima. Ao tirar as calças, os oficiais descobriram o motivo do incômodo do homem e encontraram os bichos. Os pássaros estavam amarrados individualmente com pedaços de pano. O traficante de aves, que portava documentos da Holanda, foi preso e aguarda para ser julgado.

     



  • Mandela segue 'muito doente' e não consegue falar, diz ex-mulher

    Foto: Divulgação

    O ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, permanece "muito doente" e está incapaz de falar por causa dos tubos em seus pulmões, disse neste domingo (17) sua ex-mulher a um jornal sul-africano. "Ele continua muito sensível a qualquer germe, por isso tem que ser mantido, literalmente, estéril. O quarto [em sua casa no subúrbio de Johanesburgo] é como uma UTI", comparou Winnie Madikizela-Mandela ao Sunday Independent. "Ele tem 95 anos de idade e é difícil para ele, por causa de todos os tubos que estão em sua boca para limpar seus pulmões e prevenir uma infecção recorrente", completou. Segundo Winnie, o ex-líder antiapartheid tem se comunicado apenas por expressões faciais. Mandela está em cuidados médicos intensivos desde 1º de setembro, quando recebeu alta após quase três meses de internação em um hospital da capital Pretória, por conta de uma infecção pulmonar recorrente.
     



  • Jovem anuncia suicído no Facebook

    Jovem mexicana anuncia seu suicídio no Facebook (Foto: Reprodução) / Fonte: Pragmatismo Político

    Por conta de uma desilusão amorosa, a estudante mexicana Gabriela Hernández Guerra, de 22 anos, se matou e, antes disso, anunciou o suicídio com fotos no Facebook. Nas imagens, nota-se que a garota estava em uma grande crise de choro no momento.
     

     

    “Adeus a todos, não tenho nada, nada, não tenho nada. Julio, te amo, nunca se esqueça do meu sorriso, fruto da felicidade que você me deu. Peço desculpas a minha família”, escreveu a jovem em texto que acompanhou as fotos.

     
     
    De acordo com informações das autoridades mexicanas, o namoro de Gabriela nunca chegou a se consumar, acontecendo apenas pela internet. O jovem a que ela se refere, Julio, é equatorianos e, por conta da distância havia pedido diversas vezes para que a relação terminasse.
     
     
    Após confirmado o suicídio, a página do Facebook de Gabriela foi inundada de mensagens, grande parte delas com piadas feitas por usuários. A família da jovem agora busca meios para tirá-la do ar.



  • Papa envia questionário sobre união homoafetiva para paróquias

    Foto: Gregorio Borgia /AP / Destaque Bahia

    O Vaticano incluiu perguntas sobre casamento homoafetivo e divórcio no questionário enviado às Conferências Episcopais para o documento preparatório da Assembleia Geral Extraordinária do Sínodo de Bispos que será realizada em outubro de 2014. O porta-voz da Santa Sé, Federico Lombardi, explicou que estas perguntas foram formuladas por causa do documento preparatório que sempre é feito antes do Sínodo, e que mais detalhes serão dados em entrevista coletiva que será realizada no Vaticano na próxima terça-feira (5). Esse documento mostra que na bateria de perguntas tem um tópico dedicado exclusivamente aos casamentos entre pessoas do mesmo sexo e a visão que os fiéis católicos têm deles em suas Dioceses e como a Igreja pode abordar estas uniões. “Qual é a atitude das Igrejas locais para o estado como promotor de uniões civis entre pessoas do mesmo sexo e com as pessoas que as protagonizam? Que atendimento pastoral se pode dar aos que decidiram viver sob este tipo de uniões?”, pergunta o documento. Em caso de adoções por parte de casais do mesmo sexo, “o que pode ser feito pastoralmente para transmitir a fé?”, prossegue o questionário, que dedica também um tomo à educação das crianças nos chamados “casamentos irregulares” e a forma na qual seus pais se aproximam da Igreja. Segundo a Veja, também há espaço para “certas situações maritais difíceis”, com separados e divorciados, cuja comunhão será abordada no próximo Sínodo, depois que o papa Francisco mostrou abertura neste assunto, ao destacar a necessidade de estudá-lo e ressaltar a importância de melhorar a atenção espiritual para aqueles que voltaram a casar.



  • Flagrante: Motorista de ônibus impede um suicídio nos EUA

    A menina parecia querer pular da ponte / Foto Reprodução

    Imagens de uma câmera de segurança de um ônibus registraram o momento em que o motorista para e desce do veículo para impedir uma menina que parecia querer pular de uma ponte, na cidade de Buffalo, no Estado de Nova York.

     

    Darnell Barton percebeu a jovem na beira da ponte enquanto passava pela via expressa. Preocupado, ele saiu do ônibus e conseguiu convencer a menina a desistir de pular.


    Barton disse que ela estava fora de si quando segurou seu braço e perguntou se ela não queria passar para o outro lado da grade. Os passageiros esperaram pacientemente enquanto Barton conversava com a jovem e dizia que tudo ficaria bem.



    Veja o video:

     

     

     



  • A Terra que não deveria existir

    Concepção artística do planeta Kepler-78b, de composição similar à terrestre

    Astrônomos pela primeira vez conseguiram determinar tanto a massa como o diâmetro de um planeta de porte similar ao da Terra fora do Sistema Solar. E o mais interessante de tudo: sua densidade é praticamente idêntica à do nosso planeta, indicando uma composição similar.

    O que faltou para ser um gêmeo da Terra foi uma órbita similar. Na verdade, o mundo Kepler-78b gira tão perto de sua estrela que, em tese, nem deveria existir.

    O Mensageiro Sideral já o mencionou previamente, no momento em que sua descoberta havia sido anunciada pela equipe responsável pelo defunto satélite Kepler. Mas a técnica usada pela espaçonave para detectar planetas — que mede a redução de brilho da estrela causada pela passagem de mundos circundantes à frente dela — só permite estimar o diâmetro deles.

    Agora, dois grupos independentes obtiveram estimativas da massa. Andrew Howard, da Universidade do Havaí em Manoa, e sua equipe usaram o Hires, espectrógrafo instalado no Observatório Keck. Já Francesco Pepe, da Universidade de Genebra, e seus colegas usaram o recém-instalado Harps-N, uma réplica do Harps que está instalado em La Silla, no Chile, voltada para o céu do hemisfério Norte.

    Esses instrumentos permitem medir o puxão que o planeta provoca em sua estrela pela ação gravitacional, o que dá a possibilidade de estimar a massa. O primeiro grupo estimou a massa em 1,69 vez a da Terra. O segundo, em 1,86 vez. Os dois números são suficientemente próximos para que um sirva como confirmação de outro. Ambos foram publicados em artigos separados que saem na edição da amanhã do periódico científico “Nature”.

    DENSIDADE GÊMEA

    Ao dividir massa sobre volume, os cientistas obtêm a densidade. Como já sabiam o diâmetro (1,2 vez o da Terra) e agora obtiveram a massa, puderam calculá-la. O primeiro grupo chegou a 5,3 gramas por centímetro cúbico. O segundo, 5,57 gramas por centímetro cúbico. A densidade da Terra é de 5,52 gramas por centímetro cúbico.

    Moral da história: temos aqui um planeta muito similar ao nosso, rochoso e com um núcleo predominantemente composto por ferro, orbitando uma estrela muito similar ao Sol — Kepler-78 é uma anã amarela, tipo G.

    O que nos deixa apenas com o gosto amargo da órbita curta. Kepler-78b completa um ano em apenas 8h30. Para que se tenha uma ideia do que isso significa, durante o dia, sua estrela ocupa metade do céu, do horizonte até o zênite. E o calor acachapante inviabiliza a presença de vida.

    Aliás, a órbita é tão curta que os astrônomos nem sabem explicar como o planeta pode ter ido parar lá. E estimam que ele não vá durar para sempre. As forças de maré produzidas pela estrela continuarão a encurtar sua órbita e a estressá-lo fisicamente, até que ele seja engolido pela estrela.  Os especialistas estimam que isso vá levar uns 3 bilhões de anos. A Terra, para efeito de comparação, tem 4,7 bilhões de anos de idade.

    Kepler-78 fica a 400 anos-luz da Terra, na constelação de Cisne, e apesar de ser um planeta infernal traz boas notícias consigo: planetas com o mesmo perfil de composição da Terra devem ser bem comuns no Universo. O que anima os pesquisadores a buscar mundos similares em órbitas mais largas, que permitissem temperaturas amigáveis à vida.

    Eu não duvidaria se até o final da década tivéssemos um punhado desses candidatos prontos para ter sua atmosfera sondada pelo Telescópio Espacial James Webb, o sucessor do Hubble, que deve ser lançado em 2018.

    O melhor ainda está por vir!               (POR Salvador Nogueira )



  • 'Síndrome do celibato': por que os jovens do Japão não fazem mais sexo?

    Japoneses hoje preferem investir na carreira a casar ou ter um relacionamento; pesquisa mostra que, no Japão, um terço das pessoas com menos de 30 anos nunca teve qualquer tipo de experiência amorosa.

    Japoneses com menos de 40 anos de idade parecem estar perdendo o interesse nos relacionamentos convencionais. De acordo com reportagem publicada pelo jornal britânico "The Guardian", a mídia do Japão tem tratado o fenômeno como "síndrome do celibato".

    Para o governo japonês, essa síndrome pode significar uma catástrofe iminente. O Japão já tem uma das menores taxas de natalidade do mundo, e a atual população de 126 milhões de pessoas --que vem diminuindo nos últimos dez anos-- pode ser reduzida em 30% até 2060, segundo projeções feitas no país.

    Milhões de japoneses não estão sequer namorando, e o número de pessoas solteiras atingiu seu recorde. Uma pesquisa realizada em 2011 constatou que 61% dos homens e 49% das mulheres com idade entre 18 e 34 anos não mantinham qualquer tipo de relação romântica com outra pessoa. Outra pesquisa mostrou que um terço das pessoas com menos de 30 anos nunca havia tipo uma experiência amorosa --na vida.

    Dados oficiais mostram, ainda, que o número de bebês nascidos no Japão em 2012 é o menor de que se tem registro. Além disso, com o aumento da população de idosos, as vendas de fraldas geriátricas ultrapassaram as de fraldas para bebês pela primeira vez em 2012. Para Kunio Kitamura, da Associação de Planejamento Familiar, a crise demográfica é tão grave que o Japão "pode eventualmente acabar em extinção".

    Nesse cenário, surgiu, então, o profissional que trabalha como conselheiro de sexo e relacionamento, a fim de tentar curar a chamada "síndrome do celibato". Ai Aoyama, 52 --que cerca de 15 anos atrás ganhou a vida como dominatrix profisisonal-- é uma dessas conselheiras.  Ela diz que, hoje, seu trabalho é muito mais desafiador.


     

    "Recebo mais homens, mas a presença das mulheres está aumentando", disse Aoyama, que trabalha em Tóquio. "Eu uso terapias como ioga e hipnose para relaxá-los e ajudá-los a entender o modo como o corpo do ser humano real funciona", disse ela, que às vezes --por uma taxa extra-- pode ficar nua para seus clientes do sexo masculino, a fim de guiá-los fisicamente em torno da forma feminina. "Mas sem absolutamente qualquer relação sexual", afirma. Como exemplo, ela cita um cliente de 30 anos, virgem, que só fica excitado quando vê robôs femininos em games, algo semelhante àqueles da série Power Rangers.

    Aoyama afirma que, além do sexo casual, vê o crescimento da procura por pornografia online e "namoradas virtuais". Ou então, opina, estão substituindo o sexo por outras formas de relaxamento e diversão.

    A pressão para se conformar ao modelo de família anacrônico do Japão --marido assalariado que trabalha 20 horas por dia e mulher dona de casa-- permanece forte, e talvez essa seja uma das explicações para o fenômeno do celibato. Ironicamente, o sistema que produziu papéis conjugais segregados também criou o ambiente ideal para aqueles que querem ficar só, sem qualquer incômodo, como costumam falar. "As pessoas não sabem para onde ir. Elas vêm até mim porque pensam que, por querer algo diferente, há algo de errado com elas", conta Aoyama.

    Família X Trabalho

    Embora as mulheres japonesas sejam cada vez mais independentes e ambiciosas, no mundo corporativo japonês é quase impossível que a mulher consiga combinar carreira e família. Assim, as mulheres japonesas hoje encaram o casamento como o "túmulo" da carreiras conquistada --cerca de 70% das mulheres japonesas deixam seus empregos depois de seu primeiro filho, e o Fórum Econômico Mundial classifica o Japão como um dos piores países do mundo para a igualdade de gênero no trabalho.

    Eri Tomita, 32, trabalha no departamento de recursos humanos de um banco francês --e adora. Fluente no idioma francês e com dois diplomas universitários, ela evita relacionamentos românticos para poder se concentrar no trabalho. "Um namorado me pediu em casamento há três anos, e eu recusei quando percebi que se preocupava mais com o meu trabalho. Depois disso, perdi o interesse em namoro." Tomita diz ainda que às vezes tem "uma noite só" com homens que conhece em bares, mas afirma que sexo não é uma prioridade para ela.

    Mas esse modelo de sociedade também tem afetado os homens. Em meio à recessão e à crise dos salários, os homens têm sentido a pressão da responsabilidade de sustentar uma família. Satoru Kishino, 31, pertence a uma tribo de homens com menos de 40 anos que estão envolvidos em uma espécie de rebelião passiva contra masculinidade tradicional japonesa. Para eles, sustentar mulher e família como guerreiros é algo fora da realidade.

    "É muito preocupante. Eu não ganho um salário enorme e não quero essa responsabilidade do casamento", diz Kishino, que se define como "um homem heterossexual para quem relacionamentos e sexo não são importantes".

    Futuro

    O Japão está oferecendo uma visão do futuro de todos nós? Muitas das mudanças constatadas lá vem ocorrendo em outros países avançados também: no outro lado urbano da Ásia, na Europa e na América as pessoas estão se casando mais tarde, taxas de natalidade têm caído e famílias de uma pessoa só estão em ascensão. No entanto, para o demógrafo Nicholas Eberstadt, é um conjunto de fatores que caba acelerando essa tendências no Japão: falta de autoridade religiosa que pregue o casamento e a família, o alto custo de vida e a precária geografia do país, localizado em zona com frequentes abalos sísmicos, o que gera sentimentos de inutilidade.

    "Aos poucos, mas inexoravelmente, o Japão evolui para um tipo de sociedade cujos contornos só foram contemplados na ficção científica", escreveu Eberstadt no ano passado.

    Voltando à ex-dominatrix Ai Aoyama, ela se diz determinada a educar seus clientes sobre o valor daquilo que chama de "pele a pele", "coração a coração". "Não é saudável que as pessoas sejam tão desconectados umas das outras fisicamente", diz. "Sexo com outra pessoa é uma necessidade humana que produz sensação de bem estar e ajuda as pessoas a encarar melhor a vida cotidiana."