publicidade
 
publicidade
 
publicidade
 
comentários
Pedro Miguel em:
Jovem guajeruense de 18 anos morre após colidir moto contra trem em Malhada de Pedras
 
 
Carlos em:
Grave acidente deixa uma vítima fatal em estrada vicinal de Malhada de Pedras
 
 
Ana paula em:
A caminho do Paraguai, Cézar Paulo 'Cézar de Lim', acusado da morte de Camarão acaba de ser preso
 
 
regiana em:
Mais uma pessoa morre após ficar três dias no Hospital de Brumado aguardando vaga numa UTI em Conquista
 
 
 
curta nossa fanpage
Resultado da busca pela categoria "politica":
 
03.06.2014 - POLÍTICA
 
José Ribeiro Neves sairá, ou não, como candidato a deputado?
 
José Ribeiro Neves sairá, ou não, como candidato a deputado?
José Ribeiro Neves. Foto: Fabiano Neves / Destaquebahia.com.br
 

José Ribeiro Neves sairá, ou não, como candidato a Deputado Estadual? Essa é uma pergunta que ecoa nos bastidores da política brumadense, e que, pelo jeito, em breve terá sua resposta.
O vereador não confirma, porém, as especulações de que o seu nome é o mais provável á concorrer a uma vaga no Legislativo Estadual não param de ganhar força.
Nas redes sociais, nos papos de esquinas, as pessoas comentam sobre o a assunto. Já no terceiro mandato como vereador, e um dos que mais têm se destacado pela forma como cobra, fiscaliza e aponta os problemas e, as suas possíveis soluções, José Ribeiro Neves, dentre os outros nomes que se cogitam, talvez seja o que tenha mais aceitação, diante das recentes manifestações populares.
O cenário já está pronto, agora é aguardar para ver, quem realmente será o personagem principal dessa história, onde, o povo é quem decide como será final.

 

 
     
     
 
02.06.2014 - POLÍTICA
 
Wagner diz que obras
 
Wagner diz que obras
Foto: A.Souza / Destaquebahia.com.br
 

O governador Jaques Wagner (PT) não acredita que eventuais protestos vão empanar o brilho da Copa do Mundo em Salvador e no país. Em entrevista exclusiva, destaca que a recente pequisa do Ibope sobre a  sucessão estadual revelou que 86% dos pesquisados ainda não têm candidato e que Rui Costa (PT) reúne condições de fazer um melhor governo do que o seu.

P - Como o senhor avalia o cenário político da Bahia, a partir desta última pesquisa do Ibope?

R - Nossa chapa é mais competitiva, tem mais unidade que a de lá (DEM/PMDB/PSDB) - que inclusive foi formada a cotoveladas -, tem um guarda-chuva de projetos mais consistente, não vejo o que a oposição pode oferecer à Bahia. Repito o que já falei 150 vezes: pesquisa neste período do ano semelhante a essa quando desemboca na urna não tem nada a ver. Não é porque está errada, é que não dá todos os dados. A pesquisa, hoje, de voto espontâneo não passa de 14%. Quando se pergunta, vai votar em quem? 86% dizem que não sabem. Dos 14% ainda aparece quem diz que votará em mim. Arrisco dizer que o melhor colocado na espontânea  não passa de 6%. O candidato da oposição é mais conhecido. Mas Rui (Costa) tem 2%. Esse é o dado do voto consolidado. O jogo só vai começar a ser jogado no final de julho, início de agosto. Hoje estamos todos concentrados, esquentando as turbinas.

P - Os protestos contra a Copa lhe causam preocupação, de afetar a campanha de Dilma e Rui?

R - Evidentemente para quem está no poder toda notícia boa afeta. Se é ruim, a mesma coisa. Por exemplo, nos protestos do ano passado todo mundo que estava sentado num governo saiu com uma bala. Depois desses protestos, a sociedade ficou mais exigente. É um novo momento se configurando de outra forma. Nós incluímos muita gente, colocamos milhares nas universidades e escolas técnicas. As pessoas querem mais porque melhoraram. Quando cheguei à Bahia era peão, ganhava um salário mínimo e meio. No dia que eu podia parar no posto de gasolina da Suburbana para comer uma moqueca de siri-mole, que era meu prato preferido, e tomar uma cerveja, era um banquete. Hoje posso comer sem maiores problemas. Ou seja, as coisas melhoraram, criaram-se mais demandas.

P - E a Copa?

R - É bom o Brasil ganhar a Copa? Claro. O clima é positivo para todo mundo e para quem está no governo. Agora, é uma questão de bom senso. Você pode dizer que concordava ou discordava, mas a decisão foi tomada, o investimento foi feito, então vamos tirar proveito, mostrar o Brasil bem lá fora. Se jogar pedra, o prejuízo é maior. Acho que pode ter protesto, mas não algo impeditivo. Quando a bola começar a rolar, coração verde e amarelo ninguém segura. O problema é que se criou um ambiente que vai na contramão de uma Copa. Quando tem uma Copa todo mundo fica "minha paixão, meu patriotismo". A gente ficou salgando, trabalhando negativamente isso. Acho que você pode dizer que foi negativo a administração. Mas de ter a Copa aqui ser negativo? Eu não acho. Faz 64 anos que ocorreu uma Copa no Brasil, um país que tem o maior número de campeonatos. A relação com a Fifa poderia ser mais bem pensada antes? Acho que sim. Mas é que todo mundo levou um pouco na boa-fé e depois as deficiências, os detalhes vão aparecendo. Na minha opinião, a Copa vai ser muito boa.

P - E a segurança durante o evento?

R - Recentemente tive reunião com o ministro da Justiça, representantes da Marinha, da Aeronáutica, do Exército, da Polícia Federal. Óbvio que a gente está preparando (a segurança), até porque vão estar aqui, no jogo da Alemanha, a (primeira-ministra) Angela Merkel e a presidente Dilma. As tropas vão ficar aquarteladas. Esse pessoal não vai fazer segurança, a não ser coisas específicas: Marinha vai guardar o mar, Aeronáutica  cuidar dos aeroportos aqui e Porto Seguro, os que vão ter mais movimento. E o Exército é mais força que eles chamam de contingência. O cara vai ficar lá, e se tem um problema são chamados. Agora tem áreas que atuarão diretamente. A equipe de armas químicas, biológicas.

P - Mas para controlar os protestos, só Polícia Militar e forças nacionais?

R - Isso. Eles (Forças Armadas) só entrariam em campo se houvesse uma carência em função de um evento mais significativo. Fora disso, devem estar tomando conta de subestação, radar de aeroporto, essas coisas estratégicas. A presidente enviou para os governadores a oferta de efetivo para outros setores se nós acharmos necessário. Falei com Maurício Barbosa  e ele disse que vai fazer um balanço com sua equipe para saber se requisito alguma coisa mais do Exército.

P - Qual o legado da Copa para Salvador?

R - O metrô terá o primeiro trecho inaugurado com 7,6 quilômetros, que vai até o Retiro. Sempre disse, e vocês são testemunhas, que ficaram empacotando o legado. Na verdade, o grande legado é para quem tinha estádio obsoleto como o nosso, surgiu um equipamento novo que permite grandes shows, como Elton John. O aeroporto está com a nova torre construída e o estudo final da segunda pista, acho que tem um receptivo que aumentou um pouco para a área internacional. O porto já vai receber cruzeiros agora. Querendo ou não, se fez um porto turístico aqui em função da Copa. Atrasou, pois era para maio do ano passado, mas de qualquer forma quando passar a Copa nós vamos ter porto turístico em Salvador. Como o aeroporto vai ficar pronto depois. O legado que deixa, na verdade, é a exposição do país lá fora, é o turista que vem aqui e o evento que será assistido por um bilhão e meio de pessoas nas redes de TV.

P - A Copa acabou sendo um indutor de novos investimentos...

R - É inevitável. Até na nossa casa não é assim? O filho vai casar, você manda fazer terno novo, pinta a casa. A gente vive de nossa normalidade e de eventos.

P - Quais jogos da Copa  o senhor vai assistir?

R - Só os jogos daqui. Recebi convite, mas não vou nem para a abertura, nem para a final. Vou ficar no meu canto aqui.

P - A oposição fala muito de "clima de mudança", o senhor identifica desgaste nos governos do PT?

R - Vocês da mídia sabem que existe uma espécie de venda de baixo-astral que acho impressionante. Não estou dizendo que é sem motivo. Mas você pode pegar um motivo e reverberar ele a mil. Não vou tirar os erros nossos que houve. Cada besteirol que alguém faz lá em Brasília, pago um preço. Meu eleitor fica dizendo: "Como é que é, olha aí seu partido, seu povo". Óbvio que tem também o desgaste do poder. Quem está no poder agrada e desagrada. Eu acho que as pesquisas até agora não apontam um perfil mudancista. Ao contrário, alguns analistas, como Marcos Coimbra, do Vox Populi, dizem que desde 1990 nunca teve tamanha paradeira nos números. Ou seja, desde julho de 2013 até agora, a Dilma gira em torno de 40%. O mesmo ocorre com os outros, seus percentuais estão estáveis. Alguns empresários acham que devem fazer ajustes na economia. Olhando para os três candidatos não vejo nenhum mais preparado que Dilma para conduzir essas mudanças. Mesmo que queiram mudanças, não querem dar um grande salto, acham que ela tem capacidade para fazer. O povo pressiona, mas quer que o próprio governante promova as mudanças.

P - E a candidatura de Rui?

R - Rui tem um tino melhor que o meu. Até porque é mais jovem, é economista. Acho que a gente parte de uma base boa. Digo sempre que a gente não ganha eleição vivendo do passado, mas comparações serão inevitáveis. O adversário já foi governador oito anos, vice quatro. É um cidadão mais constante na política baiana desde 1982, quando foi secretário de João Durval. Isso revela também que não foram capazes de criar novos quadros nas hostes deles. Então, não é tão simples quem passou tanto tempo no poder vender terra na Lua. Ninguém ganha eleição com relatório do passado, mas esse relatório dá mais ou menos credibilidade para aquilo que se aponta para o futuro. Se eu tivesse aqui, não fizesse estrada nenhuma e dissesse que iria fazer cinco mil quilômetros, a pessoa  vai retrucar: vocês ficaram oito anos e não fizeram um, como agora vão fazer cinco? Se fiz cinco e anunciar mais oito, o eleitor vai acreditar. Agora, entreguei a Via Expressa, que não é pouca coisa. Quando o metrô rodar, meu projeto político ganha credibilidade. Vão dizer: os caras trouxeram cinco universidades, mais de vinte escolas técnicas, então isso vai dar, na palavra de Rui, credibilidade. E aí é que vale comparação. Por exemplo, eu vi o ex (governador Paulo Souto) dizer na TV que o problema de segurança é que preciso ter meta. Ora, nunca teve isso quando eles governaram a Bahia. Qual o planejamento de segurança que eles fizeram? Quem fez planejamento fui eu. Eu paguei em abril prêmio de desempenho policial. Antes não havia, como hoje, uma estatística de dados dia a dia acompanhando o crime.

P - A oposição diz que a segurança piorou...

R - Não piorou, o crime é que aumentou. A segurança de hoje é muito melhor que a de antigamente, pergunte a qualquer policial. Tem um fator aqui que ninguém está falando que na campanha vai aparecer. Nos governos até 2006 não tinha crack. E o crack hoje é o elemento disparado de maior responsabilidade por esse inferno que a juventude está passando. Cocaína era coisa servida em bandeja de prata em casa de barão. Crack você encontra em qualquer esquina, as pedras custam R$ 2, R$ 3.   Volto a dizer, a primeira vez que a curva de homicídios na Bahia declinou foi 2013. Subia nos governos deles todo ano e não tinha crack, o  acelerador da criminalidade. Eu contratei mais 14 mil policiais, temos agora 31 mil, você não vê mais policial empurrando viatura quebrada, o armamento não é mais revólver calibre 38, é pistola ponto 40. Tem muito mais colete, inteligência, centro de comunicação. Agora a marginalidade aumentou, o tráfico virou um negócio milionário. Mas, insisto, estamos no caminho certo. (Fonte: Portal A Tarde )

 
     
     
 
31.05.2014 - POLÍTICA
 
'Wagner foi o governador mais incapaz da história da Bahia' disse Arthur Maia.
 
'Wagner foi o governador mais incapaz da história da Bahia' disse Arthur Maia.
Em seu discurso Arthur Maia deixou claro que Léo Vasconcelos sairá candidato a prefeito em 2016
 

Em uma reunião na residência do casal Vasconcelos em Brumado, na noite desta sexta-feira (30), o Deputado Federal Artur Maia em companhia dos seus parceiros de campanha, foi categórico ao dizer: Vagner foi o governador mais incapaz da história da Bahia.

      
Após atacar de forma verbalmente o atual governo petista, o deputado fez uma retrospectiva de sua carreira política ao público presente,  pouco mais de 40 pessoas, e dentre as muitas coisas que dissera em cerca de 40 minutos, o deputado enfatizou que Léo Vasconcelos estará concorrendo as eleições para prefeito em 2016 “Estarei no palanque do companheiro Léo para contribuir com a sua vitória para prefeito desta cidade” disse Maia.  

 
     
     
 
26.05.2014 - POLÍTICA
 
Lula está preocupado com racha no PMDB
 
Lula está preocupado com racha no PMDB
Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Rocha Lobo/Futura Press/Folhapress)
 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva anda preocupado com a convenção do PMDB que definirá a posição do partido na eleição presidencial. Mais de 60% dos deputados federais do PMDB estão dispostos a levar o partido para a oposição ou, no mínimo, a criar um embaraço para a presidente Dilma Rousseff e o vice Michel Temer. A interlocutores, Lula disse que o desinteresse de Dilma em relação ao Congresso empurrou alas do PMDB para a oposição e deu poder ao líder do partido na Câmara, Eduardo Cunha (RJ).

 
     
     
 
22.05.2014 - POLÍTICA
 
Supremo absolve deputado Marco Feliciano do crime de estelionato
 
Supremo absolve deputado Marco Feliciano do crime de estelionato
O deputado Marco Feliciano (PSC-SP), em audiência na Câmara (Foto: Gabriela Korossy/Câmara )
 

Denúncia afirmou que pastor firmou contrato para culto, mas não compareceu.
STF avaliou que caso não é crime e só poderia haver punição na área cível.
 

O parlamentar, que é pastor evangélico, foi acusado de firmar contrato para ministrar um culto religioso e não comparecer. Os ministros do Supremo entenderam que não ficou configurado o cometimento de crime e, caso seja necessária punição, deverá ser discutida na área cível e não na área criminal.

Feliciano presidiu a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados no ano passado. O mandato dele à frente da comissão foi marcado por embates com grupos de militantes em defesa de homossexuais. Ele recebeu acusações de racismo e se manifestou publicamente contra a união de pessoas do mesmo sexo. No Supremo, ainda responde a outro processo por homofobia.
 

A denúncia do MP do Rio Grande do Sul é de 2009, amtes de Feliciano se tornar deputado, e foi recebida pela Justiça do estado. O MP acusou o deputado de obter para si a vantagem ilícita de R$ 13.362,83 simulando um contrato "para induzir a vítima a depositar a quantia supramencionada na conta bancária fornecida". A ação penal foi remetida ao STF em razão do foro privilegiado.

No processo, a defesa de Feliciano classificou o episódio de "desacordo comercial" e afirmou que ele não pôde ir ao culto em razão de outros compromissos e, inicialmente, tentou devolver os valores recebidos, mas os organizadores não quiseram receber. Posteriormente, diz a defesa, os valores foram ressarcidos.

A Procuradoria Geral da República opinou pelo arquivamento. O relator do processo, ministro Ricardo Lewandowski, disse que "não há como condenar" o deputado. "Todos nós, professores, ficamos impossibilitados eventualmente de comparecer a compromissos agendados. É uma temeridade dar prosseguimento à ação penal desta natureza", afirmou o ministro.

 
     
     
 
19.05.2014 - POLÍTICA
 
'Nunca fui pré-candidato a vice', diz Serra sobre eleições
 
'Nunca fui pré-candidato a vice', diz Serra sobre eleições
José Serra (D) negou ser candidato a vice na chapa do PSDB que tem Aécio Neves (C) na cabeça. Foto: Leco Viana / Futura Press
 

O Tucano José Serra usou o seu perfil no Facebook para negar que tenha intenção de ser candidato a vice-presidente da República, na chapa do PSDB que terá o senador Aécio Neves na cabeça. O texto, onde diz que foi "literalmente atropelado pela suposta informação" foi publicado na noite de domingo. "Há coisas que chegam a ter a sua graça, talvez involuntária. (...) Nunca fui pré-candidato a vice. Também inexistem “interlocutores” atuando em meu nome. Da minha boca, nunca ninguém ouviu nada a respeito. Já disse mais de uma vez que quem fala o que penso sou eu mesmo", escreveu.

Serra também garantiu que será candidato a um cargo no Legislativo Federal (Câmara ou Senado). "No mais, estarei junto com o meu partido no esforço para vencer esta estranha mistura de atraso e inércia que tomou conta do País", avisou.

O ex-ministro também criticou a imprensa. Existe o jornalismo informativo, o interpretativo e o opinativo, não sendo raros os textos que fundem essas três vertentes. Com humor, observo que a afirmação de que “Serra e os serristas pressionam para ter o lugar de vice” não se encaixa em nenhuma dessas categorias: isso já faz parte do chamado “jornalismo criativo”, que, entendo, pertence ao terreno da ficção", postou. "Sempre que alguém for escrever a respeito, peço que se atenha ao que vai aqui. Vamos em frente! O Brasil quer mudar", completou.

     

 
     
     
 
16.05.2014 - POLÍTICA
 
Atuação do vereador Weliton Lopes é condecorada com medalha Tiradentes
 
Atuação do vereador Weliton Lopes é condecorada com medalha Tiradentes
foto divulgação
 

O trabalho que vem sendo desenvolvido pelo vereador Weliton Lopes (SDD) à frente do legislativo municipal brumadense tem sido motivo de muitos elogios por parte de toda população, tanto da zona rural como da urbana, em razão do comprometimento e dedicação com que busca melhorias para o Município.

O envolvimento em causas importantes que garantem direitos, assim como a conquista de obras de grande relevância, faz parte do currículo deste parlamentar que em razão da seriedade com a missão de representante do povo, ofereceu a grata satisfação de ser condecorado com a medalha “Tiradentes”.

 
     
     
 
07.05.2014 - POLÍTICA
 
Aécio Neves receberá título de cidadão honorário de Salvador
 
Aécio Neves receberá título de cidadão honorário de Salvador
Aécio Neves (PSDB-MG) (Foto: Pedro França / Agência Senado)
 

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) receberá o título de cidadão honorário de Salvador pela Câmara Municipal da capital baiana na próxima segunda-feira (12). A honraria será entregue pelo vereador Leo Prates, líder do DEM na casa e amigo próximo do prefeito de Salvador, ACM Neto. Este será o primeiro ato político que  Aécio participará na Bahia depois do anúncio da chapa de oposição no Estado, que une DEM, PSDB e PMDB. (Felipe Patury)

 
     
     
 
15.04.2014 - POLÍTICA
 
Souto e Geddel vão trabalhar para unificar campanha de DEM e PMDB
 
Souto e Geddel vão trabalhar para unificar campanha de DEM e PMDB
O presidenciável Aécio Neves, entre Paulo Souto, ACM Neto e Geddel, discursa no lançamento da chapa da oposição na Bahia: unidade (Foto: Marina Silva)
 

Após a aliança, a busca pela unidade. A união das oposições numa única chapa à disputa pelo governo do estado foi oficializada, ontem, em ato no Hotel Sheraton da Bahia, que contou com a presença do presidenciável senador Aécio Neves (PSDB-MG). Nos discursos para uma plateia de prefeitos e candidatos a deputado do interior, a evidente necessidade de afirmar que o grupo só vencerá se permanecer unido na campanha.

“Me permitam uma palavra exclusiva aos peemedebistas que aqui estão. Nesta largada, partilhem do mesmo sentimento que tenho, não existe mais Geddel, mas Paulo Souto e Geddel”, disse o ex-ministro Geddel Vieira Lima, presidente estadual do PMDB, pré-candidato a senador.
 

Após agradecer e elogiar o peemedebista por abrir mão da disputa em favor da união das oposições, Paulo Souto (DEM), pré-candidato a governador, endossou o compromisso de fazer que seus eleitores votem em Geddel.

“Queria agradecer e dizer que sua candidatura ao Senado é a minha candidatura, que vou defender em todos os pontos da Bahia. Vou pedir a cada um de nossos partidários que nos acompanhem, porque essa campanha é uma só. Não pode ter distinção do candidato ao governo e o candidato ao Senado. Se nós começamos tão bem, devemos acabar bem essa união”, disse. (Fonte: Correio)

Souto e Geddel se referiam indiretamente a possíveis infidelidades de prefeitos que, apesar de integrarem partidos do bloco oposicionista, possam ser tentados a apoiar candidatos governistas – seja o caso de prefeitos do PMDB que poderiam apoiar Rui  Costa (pré-candidato do PT a governador) ou de integrantes do DEM e PSDB com ligações com  Otto Alencar (do PSD, que disputará) ao Senado.

“Nós trabalhamos muito para chegar até aqui. É preciso que essas coisas fiquem muito claras. Sabemos exatamente da importância dessa aliança partir absolutamente fortalecida”, justificou Souto, em entrevista.

 
     
     
 
21.01.2014 - POLÍTICA
 
ACM Neto quer chapa com Souto ao governo e Geddel ao Senado
 
ACM Neto quer chapa com Souto ao governo e Geddel ao Senado
O prefeito de Salvador, ACM Neto (Foto: Renato Araújo/ABr)
 

O prefeito de Salvador, ACM Neto, trabalha para montar uma chapa de oposição para disputar o governo da Bahia. Ela seria encabeçada pelo ex-governador Paulo Souto, do DEM. A vaga de vice ficaria com o empresário João Gualberto ou com o deputado Antonio Imbassahy, ambos do PSDB. O candidato ao Senado seria o ex-deputado Geddel Vieira Lima, do PMDB. O prefeito acredita que esse é o time mais forte para derrubar os petistas, que comandam o estado há sete anos. A oposição pretende definir a chapa até o dia 31 de janeiro. (época)

 
     
     
 
12.01.2014 - POLÍTICA
 
Dentre outros senadores, Silas Malafaia orienta evangélicos a não votarem em Walter Pinheiro
 
Dentre outros senadores, Silas Malafaia orienta evangélicos a não votarem em Walter Pinheiro
Senador Walter Pinheiro (PT-BA) foto divulgação
 

Pastor Silas Malafaia orienta evangélicos a nunca mais votarem em senadores que não apoiaram o fim do PLC 122, entre eles o evangélico Walter Pinheiro.
 

No Programa Vitória em Cristo desse sábado, 11 de janeiro, o pastor Silas Malafaia comentou sobre o “sepultamento” do PLC 122 e o apensamento das propostas presentes no projeto ao projeto do Novo Código Penal. Durante o programa, Malafaia listou também todos os senadores que não votaram pelo fim do PLC ou que se ausentaram da votação, dando destaque aos parlamentares evangélicos.

O pastor começou comentando sobre a aprovação do PLC 122 em 2006 que, segundo ele, aconteceu “na calada da noite” e tinha como objetivo conceder privilégios para “uma casta” da sociedade em detrimento do restante da população. Afirmando que o andamento do projeto foi uma “verdadeira guerra”, Malafaia elogiou o senador evangélico Magno Malta (PR-ES) por sua atuação contra o projeto de lei.

O “sepultamento” do PL 122 se deu após o senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) propor que o debate sobre as propostas do texto fossem incluídas nas discussões do Novo Código Penal, que o Senado vem elaborando com a consultoria de juristas renomados. Malafaia comemorou o apensamento, afirmando que com isso “não vai ter privilégio para ninguém”.

Malafaia elogiou Lopes por sua iniciativa e parabenizou o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, por ter colocado o apensamento em votação. De acordo com o pastor, Calheiros tomou tal atitude “contrariando um monte de interesses e pressão”.

- Eu não quero privilégio para ninguém, nem para homossexual, nem para heterossexual, nem para religioso – afirmou o pastor.

Ressaltando a importância do voto dos evangélicos nas próximas eleições, Malafaia listou os nomes de todos os senadores que votaram contra ou a favor da proposta e também daqueles que se abstiveram. Ele disse ainda que a lista ficaria disponível em seu site até as eleições de 2014 para consulta.

- Durante muito tempo os evangélicos ficaram alienados, eram só seres espirituais. E muita gente na sociedade quer nos alienar. Nós somos cidadãos com direito a votar e ser votado. (…) Sabe por que o PLC caiu? A pressão legal e democrática de evangélicos e de católicos bombardeando senadores através de e-mails – afirmou Malafaia, ressaltando sua opinião sobre a importância da participação dos religiosos na política.

Ao listar os nomes dos parlamentares de acordo com sua posição em relação ao projeto, pastor orientou seus espectadores a anotar o nome daqueles que votaram pela manutenção do projeto e dos que se abstiveram, para que nunca mais votem neles. Ele criticou, principalmente, o senador Walter Pinheiro (PT-BA), membro da Igreja batista em Salvador, que se ausentou do plenário no momento da votação.

- O senador Walter Pinheiro, evangélico, do PT da Bahia, caiu fora do plenário. Eu já citei o nome dele aqui e já apoiei ele (sic). Lamento, fico triste. Para que alguém evangélico vai para o Senado, e na hora do voto entre a ideologia e a fé ele fica com a ideologia – criticou o pastor, ressaltando que a ideologia do PT era pela manutenção do projeto.

Malafaia disse ainda que o povo evangélico da Bahia deveria guardar o nome do parlamentar, para nunca mais dar seu voto a ele, afirmando que o senador foi mais a favor da ideologia de seu partido do que dos princípios cristãos. ( Por Dan Martins )

 
 
     
     
 
28.12.2013 - POLÍTICA
 
Dilma exonera Geddel da vice-presidência da Caixa
 
Dilma exonera Geddel da vice-presidência da Caixa
Deputado do PMDB-BA havia cobrado exoneração pelo Twitter (Foto: Roosewelt Pinheiro / ABr)
 

A presidente Dilma Rousseff assinou decreto, publicado nesta sexta-feira (27) no Diário Oficial da União, com a exoneração de Geddel Vieira Lima da vice-presidência da Caixa Econômica Federal. Pelo Twitter, ele pediu à Dilma Rousseff que agilizasse sua demissão do banco estatal. 'Cara presidenta Dilma, por gentileza, determine publicação de minha exoneração da função que ocupo, e cujo pedido já se encontra nas mãos de Vossa Excelência", publicou no microblog.

Em postagem anterior, Geddel chegou a dizer que tinha apelado ao presidente da Câmara para ajudar na sua saída do governo: "Acabo de fazer novo e dramático apelo, agora ao presidente da Câmara, para que agilize a publicação da minha exoneração. O que está havendo?"

Segundo fontes do governo, Dilma ficou extremamente irritada com a forma encontrada pelo vice-presidente da Caixa para pedir afastamento do cargo, tornando pública sua insatisfação com o governo pelo Twitter.

Geddel Vieira Lima é filiado ao PMDB e foi eleito deputado federal cinco vezes consecutivas. Ex-ministro da Integração Nacional no governo Lula, Geddel é hoje inimigo do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), e planeja disputar a sua sucessão, em 2014.
                                                   ( Fonte: REDAÇÃO ÉPOCA, COM ESTADÃO CONTEÚDO E AGÊNCIA BRASIL)

 
     
     
 
23.12.2013 - POLÍTICA
 
ITABUNA: boato de ex - prefeito teria morrido se espalhou pela cidade
 
ITABUNA: boato de ex - prefeito teria morrido se espalhou pela cidade
, “Estou vivo e sou candidato, eles vão ter que me engolir”.
 

"Notícia ruim chega rápido" esse é um ditado que faz jus ao nome, pois, realmente é notório de que, quando se trata de uma má noticia, ela alcança os mais longínquos lugares a depender do grau de importância.
Foi o que aconteceu em Itabuna – Ba; O boato de que o ex – prefeito  Capitão Azevedo teria morrido foi rumores em muitos lábios itabunense, causando preocupação e curiosidade até tudo fosse esclarecido.
Ainda não se sabe de onde ou de quem partiu o boato, mas, só depois do pronunciamento do Capitão Azevedo em uma rádio local é que a população pôde entender que tudo não passou de um mero boato mentiroso. , “Estou vivo e sou candidato, eles vão ter que me engolir”. disse em uma das suas palavras o ex - prefeito.
Redação: Destaquebahia.com.br

 
     
     
 
eventos
04.07.2017
São Pedro de Guajeru 2017
 
30.05.2017
Transmissão de comando da 34ª CIPM
 
 
publicidade
 
publicidade
 
Entre Gospel Destaque Bahia © 2017 - Todos os direitos reservados. Hospedagem e Desenvolvimento: HD Soluções