BUSCA PELA CATEGORIA "POLÍTICA"

  • ACM Neto quer chapa com Souto ao governo e Geddel ao Senado

    O prefeito de Salvador, ACM Neto (Foto: Renato Araújo/ABr)

    O prefeito de Salvador, ACM Neto, trabalha para montar uma chapa de oposição para disputar o governo da Bahia. Ela seria encabeçada pelo ex-governador Paulo Souto, do DEM. A vaga de vice ficaria com o empresário João Gualberto ou com o deputado Antonio Imbassahy, ambos do PSDB. O candidato ao Senado seria o ex-deputado Geddel Vieira Lima, do PMDB. O prefeito acredita que esse é o time mais forte para derrubar os petistas, que comandam o estado há sete anos. A oposição pretende definir a chapa até o dia 31 de janeiro. (época)



  • Dentre outros senadores, Silas Malafaia orienta evangélicos a não votarem em Walter Pinheiro

    Senador Walter Pinheiro (PT-BA) foto divulgação

    Pastor Silas Malafaia orienta evangélicos a nunca mais votarem em senadores que não apoiaram o fim do PLC 122, entre eles o evangélico Walter Pinheiro.
     

    No Programa Vitória em Cristo desse sábado, 11 de janeiro, o pastor Silas Malafaia comentou sobre o “sepultamento” do PLC 122 e o apensamento das propostas presentes no projeto ao projeto do Novo Código Penal. Durante o programa, Malafaia listou também todos os senadores que não votaram pelo fim do PLC ou que se ausentaram da votação, dando destaque aos parlamentares evangélicos.

    O pastor começou comentando sobre a aprovação do PLC 122 em 2006 que, segundo ele, aconteceu “na calada da noite” e tinha como objetivo conceder privilégios para “uma casta” da sociedade em detrimento do restante da população. Afirmando que o andamento do projeto foi uma “verdadeira guerra”, Malafaia elogiou o senador evangélico Magno Malta (PR-ES) por sua atuação contra o projeto de lei.

    O “sepultamento” do PL 122 se deu após o senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) propor que o debate sobre as propostas do texto fossem incluídas nas discussões do Novo Código Penal, que o Senado vem elaborando com a consultoria de juristas renomados. Malafaia comemorou o apensamento, afirmando que com isso “não vai ter privilégio para ninguém”.

    Malafaia elogiou Lopes por sua iniciativa e parabenizou o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, por ter colocado o apensamento em votação. De acordo com o pastor, Calheiros tomou tal atitude “contrariando um monte de interesses e pressão”.

    - Eu não quero privilégio para ninguém, nem para homossexual, nem para heterossexual, nem para religioso – afirmou o pastor.

    Ressaltando a importância do voto dos evangélicos nas próximas eleições, Malafaia listou os nomes de todos os senadores que votaram contra ou a favor da proposta e também daqueles que se abstiveram. Ele disse ainda que a lista ficaria disponível em seu site até as eleições de 2014 para consulta.

    - Durante muito tempo os evangélicos ficaram alienados, eram só seres espirituais. E muita gente na sociedade quer nos alienar. Nós somos cidadãos com direito a votar e ser votado. (…) Sabe por que o PLC caiu? A pressão legal e democrática de evangélicos e de católicos bombardeando senadores através de e-mails – afirmou Malafaia, ressaltando sua opinião sobre a importância da participação dos religiosos na política.

    Ao listar os nomes dos parlamentares de acordo com sua posição em relação ao projeto, pastor orientou seus espectadores a anotar o nome daqueles que votaram pela manutenção do projeto e dos que se abstiveram, para que nunca mais votem neles. Ele criticou, principalmente, o senador Walter Pinheiro (PT-BA), membro da Igreja batista em Salvador, que se ausentou do plenário no momento da votação.

    - O senador Walter Pinheiro, evangélico, do PT da Bahia, caiu fora do plenário. Eu já citei o nome dele aqui e já apoiei ele (sic). Lamento, fico triste. Para que alguém evangélico vai para o Senado, e na hora do voto entre a ideologia e a fé ele fica com a ideologia – criticou o pastor, ressaltando que a ideologia do PT era pela manutenção do projeto.

    Malafaia disse ainda que o povo evangélico da Bahia deveria guardar o nome do parlamentar, para nunca mais dar seu voto a ele, afirmando que o senador foi mais a favor da ideologia de seu partido do que dos princípios cristãos. ( Por Dan Martins )



  • Dilma exonera Geddel da vice-presidência da Caixa

    Deputado do PMDB-BA havia cobrado exoneração pelo Twitter (Foto: Roosewelt Pinheiro / ABr)

    A presidente Dilma Rousseff assinou decreto, publicado nesta sexta-feira (27) no Diário Oficial da União, com a exoneração de Geddel Vieira Lima da vice-presidência da Caixa Econômica Federal. Pelo Twitter, ele pediu à Dilma Rousseff que agilizasse sua demissão do banco estatal. 'Cara presidenta Dilma, por gentileza, determine publicação de minha exoneração da função que ocupo, e cujo pedido já se encontra nas mãos de Vossa Excelência", publicou no microblog.

    Em postagem anterior, Geddel chegou a dizer que tinha apelado ao presidente da Câmara para ajudar na sua saída do governo: "Acabo de fazer novo e dramático apelo, agora ao presidente da Câmara, para que agilize a publicação da minha exoneração. O que está havendo?"

    Segundo fontes do governo, Dilma ficou extremamente irritada com a forma encontrada pelo vice-presidente da Caixa para pedir afastamento do cargo, tornando pública sua insatisfação com o governo pelo Twitter.

    Geddel Vieira Lima é filiado ao PMDB e foi eleito deputado federal cinco vezes consecutivas. Ex-ministro da Integração Nacional no governo Lula, Geddel é hoje inimigo do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), e planeja disputar a sua sucessão, em 2014.
                                                       ( Fonte: REDAÇÃO ÉPOCA, COM ESTADÃO CONTEÚDO E AGÊNCIA BRASIL)



  • ITABUNA: boato de ex - prefeito teria morrido se espalhou pela cidade

    , “Estou vivo e sou candidato, eles vão ter que me engolir”.

    "Notícia ruim chega rápido" esse é um ditado que faz jus ao nome, pois, realmente é notório de que, quando se trata de uma má noticia, ela alcança os mais longínquos lugares a depender do grau de importância.
    Foi o que aconteceu em Itabuna – Ba; O boato de que o ex – prefeito  Capitão Azevedo teria morrido foi rumores em muitos lábios itabunense, causando preocupação e curiosidade até tudo fosse esclarecido.
    Ainda não se sabe de onde ou de quem partiu o boato, mas, só depois do pronunciamento do Capitão Azevedo em uma rádio local é que a população pôde entender que tudo não passou de um mero boato mentiroso. , “Estou vivo e sou candidato, eles vão ter que me engolir”. disse em uma das suas palavras o ex - prefeito.
    Redação: Destaquebahia.com.br