Entenda o caso:

Após as eleições de 2012 a coligação derrotada - “A Força do Povo”, encabeçada pelo candidato derrotado José Souza Alves (PV), o Deca – denunciou no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Caculé, Humberto Célio Guimarães (DEM), o Celinho, e seu vice Murilo Marcondes Dias Martins (PSB), por abuso de poder político e econômico e captação ilícita de sufrágios nas eleições; porém, perderam em primeira instância. Novamente a coligação derrotada recorreu ao TRE e, desta vez, por unanimidade,  o prefeito Huberto Martins e seu vice, Murilo Marcondes, tiveram os mandatos cassados. O prefeito então entrou com uma ação cautelar com um pedido de liminar junto ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para que mantivesse ele no cargo, a ministra Luciana Lóssio foi sorteada relatora e manteve o prefeito no cargo liminarmente até que fosse analizado o mérito. Após ter analizado o mérito da sua própria liminar, a ministra optou por cassar o mandato do prefeito e seu vice e negando também o recurso especial que havia sido impetrado no TSE. Devido a última decisão da ministra, Humberto Célio Guimarães (DEM), o Celinho, teve que deixar o cargo de prefeito e, após a notificação do TSE ao TRE, o presidente da câmara, Gerson Martins, assumiu a prefeitura.

 

CONTINUE LENDO