BUSCA PELA CATEGORIA "Tecnologia"

  • Apple pagará indenização a homem que teve fotos de lua de mel apagadas

    Aposentado receberá £ 2 mil (R$ 11,4 mil), após lutar 12 meses na Justiça.
    'Tendo lutado contra o câncer, eu não seria derrotado pela Apple', disse.


    Um britânico de 68 anos foi à Justiça contra a Apple por ter as fotos de sua lua de mel apagadas por um funcionário da empresa sem o seu consentimento. Depois de 12 meses, o homem venceu a batalha contra a gigante, que terá de indenizá-lo, informou o jornal “Evening Standard”. “Tendo lutado contra o câncer, eu não seria derrotado pela Apple”, afirmou o aposentado Deric White, que mora em Londres.

    Em dezembro de 2004, o pensionista levou seu iPhone a uma Apple Store. Ele só foi à loja depois de receber uma mensagem que informava haver um problema com o dispositivo. Após retirar o aparelho, White descobriu que os empregados da Apple haviam apagado todos os arquivos sem avisar. Isso incluía as imagens de sua lua de mel em Seychelles, realizadas naquele ano, de um safari na África e a de médicos que cuidaram dele por 10 meses durante o tratamento de um câncer de esôfago.
     

    “Minha esposa foi reduzida a lágrimas quando eles limparam meu telefone. Todo mundo diz que isso aconteceu com eles ou com seus companheiros.”

    Ele entrou com um processo contra a companhia. Nesta segunda (30), a Corte do Condado do Centro de Londres, deu ganho de causa à ele. Pedia indenização de £ 5 mil (R$ 28,5 mil), mas, o tribunal decidiu por baixar a compensação para £ 2 mil (R$ 11,4 mil).

    “Não é muito dinheiro o que eu gahei, mas é uma vitória moral”, afirmou ao jornal. O aposentado não foi representado por nenhum advogado. Ele mesmo enfrentou o time jurídico da empresa. “Apple é um enorme conglomerado e todo mundo diz que você não pode vencê-la, eles dizem que você não pode bater a Apple”, disse.

    “Eu fiz isso pelo homem comum. Eu diria a qualquer um que tenha um atrito com a Apple: não deixe que eles decidam sobre você e o ignorem.”



  • Aplicativos adicionam nono dígito a números de celular da Bahia

    A partir de domingo (11), todos os números de telefonia celular da Bahia passarão a ter nove dígitos. Para facilitar a transição, aplicativos para smartphone ajudam usuários a fazer a alteração, incluindo o novo número de maneira automática.

     

    A mudança deste domingo atinge todos clientes da Bahia (códigos 71, 73, 74, 75 e 77), além de Sergipe (79) e Minas Gerais (31, 32, 33, 34, 35, 37 e 38). Será preciso atualizar a agenda para fazer ligações e mandar SMS, entre outros.

    As chamadas com oito dígitos serão completadas normalmente até o dia 20 de outubro. Entre 21 de outubro e 18 de janeiro de 2016, a pessoa que fizer uma ligação sem o novo dígito ouvirá uma mensagem alertando sobre a mudança.

    Alguns aplicativos já fazem a mudança de maneira automática. Veja:

    9d+
    Em vez de simplesmente incluir o nono dígito, o "9d+" pode criar um novo número atualizado dentro do contato e manter o antigo. Assim você vê se a transição foi feita corretamente sem correr riscos e pode apagar depois o primeiro número. O app está disponível para Android(versão gratuita) e para iOS (versão paga - US$0,99).

    9 Dígitos
    O “9 Dígitos” tem versão gratuita para iOS. Ele permite visualizar quais números serão atualizados e como ficarão os números. Ele também atualiza a operadora dos contatos.

    Novo Dígito BR
    O “Novo Dígito BR” está pronto para atualizar números de qualquer DDD, segundo o desenvolvedor. Para fazer as alterações, na tela principal, deve ser selecionado o DDD que receberá o nono dígito. O usuário também deverá selecionar se está na região. O app  temversão gratuita para Android.

    9º Dígito
    O 9º Dígito tem versão paga (US$0,99) para iOS e versão paga (R$ 2,52) para Android. Ao mesmo tempo em que o app acrescenta o novo dígito, ele pode padronizar a operadora para chamadas com DDD. Segundo o desenvolvedor, o usuário ainda pode agendar a atualização para o dia em que a mudança começar a valer. Também funciona em agendas sincronizadas com Gmail e Outlook.

    Oi Nono Dígito
    Disponível para clientes de qualquer operadora, o “Oi Nono Dígito” tem versão gratuita para iOSversão gratuita para Android. Além de modificar os contatos com o nono dígito, o usuário pode formatar os contatos e inserir o código do estado. Também é possível programar a inclusão do código do país (+55) na agenda para fazer chamadas do exterior em períodos de viagem. O usuário ainda tem a opção de acrescentar o Código de Seleção de Prestadora (CSP) da Oi aos contatos. Há também possibilidade de restaurar a agenda.

    9º Dígito TIM
    O “9º Dígito Tim” adequa os números de celulares dos estados que já possuem nove dígitos para o novo formato de numeração definido pela Anatel e grava os números alterados na agenda do usuário. O app está disponível para todos os clientes de qualquer operadora brasileira e temversão gratuita para Android e versão gratuita para iOS. O app ainda permite usuário acrescentar o Código de Seleção de Prestadora (CSP) da empresa aos contatos da agenda.

    Vivo 9º Dígito
    O "Vivo 9º Dígito", disponível em versão gratuita para iOS e versão gratuita para Android, está atualizado para números cujos códigos de área começam com 1, 2, 3, 7, 8 e 9 e pode ser usado por clientes de qualquer operadora. O usuário também tem a opção de acrescentar o Código de Seleção de Prestadora (CSP) da Vivo aos contatos da agenda. (Correio24horas)

     



  • Novo celular é dobrável e pode ser usado como pulseira; saiba mais

    (Foto: Divulgação)

    Os desenvolvedores do projeto tentam arrecadar US$ 1 milhão pelo site Indiegogo para conseguir colocar a ideia em prática

    As novidades tecnológicas não param. O Blu, aparelho em fase de financiamento, propõe ser flexível, para servir como celular, mas também ser um smartphone, fazendo e recebendo ligações. Os desenvolvedores do projeto tentam arrecadar US$ 1 milhão pelo site Indiegogo para conseguir colocar a ideia em prática.
     

    O Blu é flexível, à prova d'água, atende a comando por gestos, tem alto-falante, conectividade sem fio, Gorilla Galss, Bluetooth, entre outras tecnologias, como porta USB para sincronia com o computador e capacidade de transferência de arquivos via NFC. A ideia é ser "vestível", mas sem perder as qualidades de um celular.

    O display é de OLED flexível, com 5.3 polegadas e resolução de 1080 por 1920 pixels, feito com substrato plástico, combinado com uma bateria também flexível de 4800 mAh. Ele pode ser enrolado com até 5.5 polegadas de circunferência. Um painel nas laterais é uma espécie de central de notificações. 

    O aparelho tem 128 GB de armazenamento e 4 GB de RAM, segundo os desenvolvedores. Desbloqueado, roda com Android, poderá funcionar com qualquer chip 4G e tem câmera de 13 megapixels.

    A previsão é de que, caso o valor seja arrecado, as entregas comecem em agosto de 2016. Até agora, em três dias, o projeto recebeu cerca de R$ 60 mil em doações. No total, o projeto fica no ar no site por 46 dias tentando o financiamento. Uma unidade custa US$ 319.

    Assista ao vídeo de demonstração do Blu:



  • Samsung adverte: Cuidado com o que você diz em frente a sua TV inteligente

    Função de reconhecimento de voz pode ser ativada ou desativada nas smart TVs da Samsung - Andrey Rudakov / Bloomberg

    A frase “silêncio, estou assistindo TV” ganhou novo significado com os modernos televisores com função de reconhecimento de voz. Em vez de atrapalhar o entendimento dos programas, o temor agora é que a TV esteja espionando os lares. A própria Samsung, na política de privacidade da companhia, alerta para o risco de captura e transmissão de dados sensíveis para terceiros caso a função esteja ligada.

    “Por favor, esteja ciente que se suas palavras incluírem dados pessoais ou outras informações sensíveis, essa informação estará entre os dados capturados e transmitidos para terceiros pelo uso do reconhecimento de voz”, diz a Samsung.

    O reconhecimento de voz está presente nos modelos mais recentes de smart TVs da fabricante sul-coreana. Em vez de usar o controle remoto, o espectador pode controlar o aparelho apenas pela voz. Para isso, basta ligar a função e conectar o televisor à internet.

    “Para fornecer a função de reconhecimento de voz, alguns comandos de voz poderão ser transmitidos para um serviço de terceiros, que converte fala para texto ou para a extensão necessária para a função”, diz a companhia.

    A informação foi divulgada primeiramente pela revista “Daily Beast”. Após a publicação da matéria, a Samsung divulgou comunicado dizendo que “leva a privacidade dos consumidores muito a sério”. De acordo com a fabricante, os televisores da marca empregam “práticas e salvaguardas de segurança padrão na indústria, incluindo a encriptação dos dados”.

    “O reconhecimento de voz, que permite aos usuário comandar a TV usando comandos de voz, é uma função da Smart TV, que pode ser ativada ou desativada pelo usuário. O dono da TV também pode desconectar o aparelho da rede Wi-Fi”.

    A Samsung não é a primeira companhia a enfrentar críticas por causa da coleta de dados dos usuários. Em 2013, consultores encontraram que televisores da LG estava capturando informações sobre os hábitos dos espectadores. A companhia criou uma atualização que permitia aos usuários desligar a coleta, caso não quisessem compartilhar as informações.



  • Whatsapp passa a realizar chamadas telefônicas em nova atualização

    Além do novo botão de chamadas, os usuários agora conseguem pré-visualizar as fotos de forma mais fácil antes de enviá-las a um contato

    A nova função, no entanto, não é como muitos imaginavam, as chamadas são feitas através da operadora telefônica. De acordo com o site 'Techtudo', uma versão do projeto está sendo finalizada.

    Além do novo botão de chamadas, o aplicativo ganhou outra atualização, agora os usuários conseguem pré-visualizar as fotos de forma mais fácil antes de enviá-las a um contato. Além disso, ele acrescentou também o recurso Dynamic Type, que permite mudar a fonte para tamanhos variados.



  • App localiza smartphone roubado e ainda tira foto do ladrão

    Um dos maiores receios dos usuários é perder ou ter o smartphone roubado. Além de não poder recuperar o bem, ele ainda pode ter suas informações pessoais acessadas por quem estiver de posse do aparelho. Para ajudar a evitar este drama, a Avast!, fornecedora de soluções representada no Brasil pela Stity Tecnologia, liberou o Avast Anti-Theft, para smartphones e tablets Android. Disponível nas versões gratuita e premium (paga), ele tem como principal função localizar e rastrear o aparelho via GPS e controlar remotamente o aparelho. O Anti-Theft é um aplicativo independente do Avast Mobile Security e Avast Antivírus e completamente invisível quando está sendo executado, o que impede que o ladrão tome conhecimento de sua utilização. Ele também permite tirar fotos remotamente e ouvir o áudio do ambiente onde o telefone está localizado. O app pode ser configurado para enviar uma notificação para outro dispositivo sobre uma modificação do cartão SIM. O usuário pode acionar características remotas por meio de um comando em SMS a partir do telefone de um amigo ou através do portal do Avast. A versão premium ($1,99 por mês ou $14,99 por ano) oferece outros recursos, como a Geoproteção, que executa ações específicas (por exemplo, bloqueio, sinal sonoro, enviar localização), determinação de perímetro para que o app possa ser acionado se o aparelho estiver de posse de outra pessoa caso o usuário tenha perdido ou sido furtado. Um verificador de senha é disponível para que aumente a segurança da aplicação e recupere remotamente os dados, tais como o registro das chamadas realizadas, mensagens SMS e outros dados pessoais do telefone antes de limpar a memória remotamente.