• Tanhaçu: Operários da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol) fazem assembleia em canteiro de obras

    Operários da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol) durante assembleia em Tanhaçu | Foto: Destaque Bahia

    Os operários da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol) em Tanhaçu fazem uma assembleia, na manhã desta quinta-feira (26), em frente ao canteiro de obras.

    Em entrevista ao Destaque Bahia, Diogo Gaudarde, integrante do SINTEPAV (Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada e Montagem Industrial do Estado da Bahia), disse que: “a assembleia ocorre para que os operários recebam um informativo que a empresa responsável pela a obra entrou com um dissídio coletivo, porém, algo ocasionado por uma PLR, ela não quer assinar o que os outros lotes já assinaram, só está faltando esta empresa.  E diversos outros problemas que estão acontecendo com as empresas terceirizadas também”.

    Digo Gaudarde, integrante do SINTEPAV em entrevista ao Destaque Bahia| Foto: Destaque Bahia

    Cerca de 500 operários estão paralisados há oito dias. Sendo que a assembleia decidirá se suspende a paralisação ou se a greve deve continuar.

    “Hoje vamos manter parado porque a empresa não assinou e ainda entrou com dissídio coletivo e a primeira audiência do dissídio está marcada para o dia primeiro de Novembro.”

    Caso a empresa não negocie com os trabalhadores, Diogo contou ao Destaque Bahia que a greve pode durar por mais dez dias.

     

    Dissídio Coletivo

    O dissídio coletivo é instaurado quando não ocorre um acordo na negociação direta entre trabalhadores ou sindicatos e empregadores. Ausente o acordo, os representantes das classes trabalhadoras ingressam com uma ação na Justiça do Trabalho.

    O dissídio é, portanto, uma forma de solução de conflitos coletivos de trabalho. Por meio dele, o Poder Judiciário resolve o conflito entre os empregadores e os representantes de grupo/categoria dos trabalhadores.




MAIS NOTÍCIAS