• 56ª fase da Lava-Jato prende ex-marqueteiro ligado ao PT

    A 56ª fase da operação Lava Jato, deflagrada nesta sexta-feira, 23, para apurar fraudes na construção da nova sede da Petrobras em Salvador, realizou a prisão temporária de Valdemir Garreta, ex-marqueteiro ligado ao PT.  Marice Correa de Lima, cunhada do ex-tesoureiro do partido, João Vaccari Neto, também foi presa temporariamente.

    Com relação ao ex-presidente do Fundo Petrobras de Seguridade Social (Petros), Wagner Pinheiro, não houve um pedido de prisão, mas mandado de buscas em empresas ligadas a ele.

    Foram 68 mandados de busca e apreensão, 8 mandados de prisão preventiva e 14 mandados de prisão temporária em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia na operação chamada de “Sem Fundos”. Desses mandados, três presos estão no exterior, em Israel, nos Estados Unidos e em Portugal. Dois procurados ainda não foram encontrados.

    De acordo com os envolvidos na operação, houve um pagamento de 68.295.866 reais em propina ao Partido dos Trabalhadores, ex-dirigentes da Petrobras e do Petros. Ainda há duas investigações em andamento, informou o delegado da Polícia Federal, Cristian Robert Wurster, durante entrevista coletiva.

    A reportagem está tentando contato com os citados. O espaço está aberto para manifestação.(VEJA.com )




MAIS NOTÍCIAS