• TCE constata irregularidades como ausência de médicos, falta de alvará e superlotação em 5 hospitais da Bahia

    O Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE-BA) constatou irregularidades em cinco hospitais públicos da rede estadual, a partir de uma auditoria. Entre os problemas encontrados estão falta de alvarás sanitários, superlotação em leitos de enfermaria, ausência de médicos e infiltrações.

    A auditoria foi feita entre os dias 9 de setembro e 8 de novembro em cinco unidades: Hospital Geral Ernesto Simões Filho (HGESF), em Salvador; Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC); Hospital Geral Prado Valadares (HGPV), em Jequié; Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA) e Hospital Estadual da Criança (HEC), ambos em Feira de Santana.

    Auditores da Segunda Coordenadoria de Controle Externo (2ª CCE) do TCE verificaram as condições nas áreas de atendimento ao usuário, estrutura física, acessibilidade, além de disponibilidade de equipamentos, condições de funcionamento e assistência farmacêutica. O trabalho faz parte das ações rotineiras do TCE.

    Segundo o presidente do TCE, Gildásio Penedo Filho, os hospitais com as irregularidades vão ser notificados em até 20 dias. Após isso, os gestores das unidades terão que apresentar um plano de correção dos problemas, que será acompanhado pelo TCE.

    O relatório feito pelo Tribunal de Contas do Estado será autuado como processo para sorteio de conselheiro relator e julgamento pelo Plenário da Corte de Contas, que vai considerar os argumentos de defesa dos gestores, inclusive a apresentação de planos de ação para solucionar os fatos apontados. Informações do G1.

    Hospitais
    TCE
    Bahia
    Médicos
    Irregularidades



MAIS NOTÍCIAS