• Tecnologia: Startup mostra carregador que recupera bateria de celular em segundos

    Demonstração do carregador de smartphones de alta velocidade da Storedot: um dia de bateria em 30 segundos

    LAS VEGAS — Esperar menos de um minuto para recuperar toda a energia do seu smartphone antes de sair de casa. Sonho de muitos usuários, esse cenário pode estar um pouco mais perto da realidade, a julgar por um protótipo de super carregador demonstrado pela israelense Storedot na feira de tecnologia Consumer Eletronics Show (CES), que ocorre em Las Vegas, nos EUA. Em uma demonstração feita à britânica BBC, a companhia revelou um novo kit do seu produto que é capaz de recarregar um celular 100 vezes mais rápido que os carregadores atuais — algo que pode revolucionar o jeito que os usuários utilizam seus smartphones, tablets, laptops e outros dispositivos. Na demosntração, um aparelho teve a sua bateria recarregada em menos de um minuto.

    Em uma demonstração feita à britânica BBC, a companhia revelou um novo kit do seu produto que é capaz de recarregar um celular 100 vezes mais rápido que os carregadores atuais — algo que pode revolucionar o jeito que os usuários utilizam seus smartphones, tablets, laptops e outros dispositivos. Na demosntração, um aparelho teve a sua bateria recarregada em menos de um minuto. Do tamanho de um carregador normal, ao contrário de seus protótipos anteriores, o kit é compatível com uma nova tecnologia de baterias que contém moléculas orgânicas sintetizadas. — Nós temos reações nesse tipo de bateria que não são tradicionais e nos permitem carregá-las muito rápido, movendo íons de um anódio a um cátodo numa velocidade impossível antes desses materiais — explicou à BBC Doron Myersdorf, diretor-executivo da companhia. Infelizmente, o produto ainda não é compatível com os celulares no mercado, já que a maioria dos atuais aparelhos não seriam capazes de aguentar uma carga de 40 amperes sem queimar. No entanto, a nova tecnologia de bateria mencionada pelo executivo poderá se tornar o padrão da indústria no futuro. De acordo com Myersdorf, fabricantes de smartphones dos EUA, da Coreia do Sul, da China e do Japão já começaram negociações para licenciar a tecnologia ou comprar seus direitos de uso. A Storedot ainda tem como meta até 2017 equiparar a densidade de energia suportada nas suas bateriais às das baterias comuns de lítio-íon — atualmente os protótipos da empresa apenas armazenam um terço dessa quantidade, algo em torno de 900 mAh. A companhia já levantou US$ 48 milhões em duas rodadas de investimento, incluindo o apoio de uma grande fabricante asiática de celulares, cujo nome não foi revelado. Com as previsões de que o número de usuários de smartphones no mundo cheguem a 1,75 bilhão esse ano, especialistas veem grande potencial no produto da StoreDot, mas ainda são céticos quanto a sua capacidade. — A tecnologia das baterias é o grande desafio a atrasar a indústria de consumo de eletrônicos no momento — afirmou à BBC Ben Woods, da consultoria CSS Insight. — Qualquer promessa de uma grande revolução deve sempre ser tratada com ceticismo porque é algo que já foi prometido muitas vezes antes e ainda não temos uma solução. (Fonte: O Globo)




MAIS NOTÍCIAS