• Representantes da prefeitura fizeram esclarecimentos na última Sessão da Câmara em Guajeru

    Foto: Fabiano Neves / Destaquebahia.com.br

    A sessão da Câmara de Vereadores de Guajeru,  ocorrida no último dia 17 (terça-feira), foi considerada de grande proveito por parte das pessoas que compareceram ao plenário e os ouvintes que acompanharam através da transmissão realizada pela Rádio Cultura; afinal de contas, além dos vereadores estiveram presentes o Coordenador da Atenção Farmacêutica Newton Viana e a Secretária de Saúde do município Érica Leal, os quais fizeram esclarecimentos quanto alguns questionamentos feitos na sessão do dia 10/03, onde, segundo a vereadora Mônica, uma mulher entrou em trabalho de parto na zona rural, mas, ao solicitar uma ambulância do Samu ou do município para se deslocar até uma unidade de saúde não teria sido atendida, devido as mesmas estarem com faróis queimados e pneus furados, além da falta de medicamento na farmácia básica.

    Por este motivo, a própria vereadora que levantou o assunto, fez uma solicitação junto à presidência da Casa Legislativa para que os representantes dos setores citados comparecessem para esclarecer as veracidades dos fatos.

              

                               Érica Leal, secretária de saúde de Guajeru

    O Coordenador da Atenção Farmacêutica Newton Viana e a Secretaria de Saúde Érica Leal, disseram aos parlamentares e ao público que não houve a tal solicitação, e que o município nunca deixou de atender as necessidades do povo, que se alguém tivesse precisado do transporte e as ambulâncias não pudessem ir, por estarem em outra ocorrência ou algum com algum problema, que o município daria outro jeito, mas não deixaria a pessoa sem atendimento “O responsável pelas ambulâncias do centro de saúde não foi procurado, portanto essa informação de que procurou a ambulância e que esta estava com faróis queimados não procede, foi uma informação equivocada, relatada na sessão do dia 10/03 e que hoje a gente veio esclarecer para a população” disse a secretária Érica Leal.

    Quanto a falta de alguns medicamentos na farmácia básica, NeltonViana declarou que “O Estado ao longo de dois anos tem deixado de repassar o valor que é de competência dele para o município de Guajeru, por conta disso é que está ocorrendo o desabastecimento na farmácia básica, ocasionando prejuízos para a população”. Ainda segundo Nelton Viana,  o Estado deve mais de 200 mil ao município de Guajeru em repasse que não tem sido feito ao longo de dois anos

    Após a explanação do coordenador da farmácia básica e da secretaria de saúde, alguns do vereadores disseram que iriam procurar o prefeito e tentar uma audiência, se preciso for, até com o governador Rui Costa, para que esta questão seja resolvida, mas que a comunidade não pode ficar no prejuízo.




MAIS NOTÍCIAS