• Feirão da Caixa foca em imóveis econômicos para tirar setor da crise

    Feirão da Caixa foca em imóveis econômicos para tirar setor da crise (Foto: Robson Mendes)

    Diante de um cenário pouco favorável para o setor de imóveis, a 11ª edição do Feirão da Caixa, na tentativa de reverter a crise, apostou em empreendimentos de até R$ 170 mil e que contemplam a faixa de uso do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e também os subsídios do Programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal.

    A expectativa é  manter o mesmo volume de contratos do ano passado, que chegou a  2,2 mil negócios e movimentou um montante de R$ 470 milhões, como assegura o superintendente regional da Caixa, Luiz Antonio de Souza. “A tendência é que a gente tenha uma comercialização maior de imóveis novos e usados de menor preço. É o nosso foco”. 

    Entre as estratégias para combater o receio de adquirir um imóvel - em meio ao ambiente instável da economia - estão o prazo facilitado e redução da taxa de juros, além dos subsídios habitacionais oferecidos pelo governo federal para quem tem renda de até R$ 5 mil. “O cliente já chega aqui e sai, no mínimo, com uma perspectiva de imóvel que ele vai buscar”, acrescenta o superintendente. (Por Priscila Natividade)




MAIS NOTÍCIAS