A concentração começou por volta das 9h. Homens da Polícia Militar e da Guarda Municipal fizeram o policiamento. Não houve registro de confusão. Por volta das 9h50, os manifestantes começaram a caminhar do Porto da Barra em direção ao Cristo. Neste horário, começou a chover no local e muitos usaram bandeiras para se proteger.

O grupo caminhou pela Avenida Oceânica até a altura do Barra Center. De lá, eles retornaram no sentido Farol da Barra, não chegando até o Cristo. Segundo manifestantes, eles resolveram retornar depois de um pedido da Transalvador para manter o ordenamento no trânsito na região.

Durante o percurso, os manifestantes fazem apitaço, gritam "Fora PT" e cantam o Hino Nacional.

Em um aparelho de som ligado a um microfone, manifestantes pediram que a caminhada fosse realizada de forma pacífica, e que, caso houvesse alguma incitação à violência, a polícia fosse chamada.

Valdir Carlos Nascimento, presidente do Movimento Livre Brasileiro Pró-Cidadania de Dias D'ávila, cidade na região metropolitana de Salvador, foi um dos primeiros a chegar. Ele levou uma faixa onde estava escrito "Fora Dilma". Valdir disse que é a favor da prisão perpétua dos políticos corruptos, do fim do voto obrigatório, e do respeito à cidadania.

Rafael Gordilho, vice-presidente da União Democrática Acadêmica, participou da mobilização em Salvador, e disse que defende reforma política e voto distrital.

Cidadãos também levaram cartazes e distribuíram por conta própria aos participantes. Francisco de Assis, empresário, era um deles. "Primeiramente, a gente quer que não haja qualquer obstrução a CPI e que a presidente e o partido dela deixem o governo porque a gente sabe que ela se beneficiou de alguma forma do desvio, ainda que não diretamente", afirmou.

Entre os manifestantes, também havia pessoas ligadas ao Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindimed), que carregaram cartaz com o nome da entidade. Verônica Pitanga, uma das representantes, disse que estava no protesto para pedir a saída da presidente Dilma Rousseff.

Outra entidade que participou da caminhada na orla de Salvador foi a "Impeachment Bahia". Um dos organizadores, Igor Rafael, diz que eles foram ao local protestar também contra a presidente.

Estudantes universitários também fizeram  parte do movimento na capital baiana, neste domingo. Eles exibiram cartaz com a seguinte mensagem: "MEC eu quero estudar". A  estudante Beatriz Carvalho disse que é uma das pessoas que não consegue realizar o aditamento do programa de financimento Fies por meio do site do Ministério da Educação.

CONTINUE LENDO