• CNPG e MP baiano aderem à campanha da Copevid contra feminicídio

    CNPG e MP baiano aderem à campanha da Copevid contra feminicídioO CNPG, bem como o Ministério Público do Estado da Bahia, aderiram à campanha da Comissão Permanente de Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (Copevid) que pretende unir membros do MP de todo o Brasil no combate à violência contra a mulher. De acordo com a presidente da Copevid e coordenadora do Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher e População LGBT (Gedem), promotora de Justiça Sara Gama, o lançamento da campanha no período do final de ano se dá por conta do aumento de casos nessa época, em que as famílias estão reunidas. “Toda mulher é uma vítima em potencial. Os chamados feminicídios íntimos, aqueles cometidos por parceiros ou ex-parceiros das mulheres, correspondem a 70% do total do casos”, afirmou Sara Gama. A ideia da campanha é, por meio de postagens nas redes sociais, unir procuradoras, procuradoras, promotoras e promotores de Justiça de todo o Brasil, numa única voz, contra o feminicídio. Para isso, o MP baiano convidou seus membros para que integrem a campanha, vinculado sua imagem a peças de divulgação que serão postados nas redes sociais do MP, alertando sobre a gravidade desse problema em nossa sociedade.  Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostram que a Bahia é o terceiro estado em número de feminicídio no país. Só este ano, mais de 100 mulheres baianas foram mortas vítimas desse crime.  No período natalino, pelo menos quatro mulheres sofreram feminicídio no Brasil.

    CNPG e MP baiano aderem à campanha da Copevid contra feminicídio