• Feminicídios crescem em 150% na Bahia em maio

    Foto: Camila Oliveira/TV Bahia

    Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), os casos de feminicídio cresceram em 150% na Bahia em maio, em comparação com o mesmo mês do ano passado. O levantamento indica que entre os dias 1º e 31, foram registrados 15 feminicídios, contra seis em 2019. De acordo com informações do G1, a SSP detalhou que dos 15 casos, três foram em Salvador e os outros 12 em cidades do interior da Bahia. Na capital, as vítimas eram jovens com idades entre 21 e 27 anos. Nos três casos, a história de inúmeros outros feminicídios se repete: a mulher tenta terminar o relacionamento, o companheiro não aceita e tira a vida dela. O feminicídio costuma ser o ponto final de um ciclo de violência que começa com abusos psicológico e físico. Com a pandemia do coronavírus, as recomendações para ficar em casa e órgãos funcionando em atendimento remoto, muitas mulheres estão convivendo com seus agressores continuamente, o que impossibilita que a vítima denuncie o caso à polícia para tentar romper com esse ciclo da violência. Para a Secretaria de Políticas para Mulheres do Estado da Bahia (SPM-BA), esse é um dos fatores que explicam a subnotificação dos casos de violência contra mulher, desde o mês de março deste ano. Entre março e junho do ano passado, as Deams do estado registraram 14 tentativas de feminicídio, o que já é um número baixo de denúncias. No mesmo período deste ano, o número diminuiu ainda mais: apenas seis casos foram registrados. Em comparação entre março e junho deste ano com o de 2019, a redução de denúncias por lesão corporal foi de 33,1%: 1.418 queixas registradas neste período ano passado contra 948 neste ano. As ocorrências por ameaça também caíram: de 2.893 em 2019, para 1.353 em 2020, um percentual de queda de 53,2%. A SPM levantou ainda que, além das denúncias, os pedidos de medida protetivas também diminuíram expressivamente, com relação ao mesmo período de 2019, quando não havia coronavírus: - 46,78%.

    Feminicídios
    Bahia
    crescimento
    mulheres
    violência







MAIS NOTÍCIAS