• Estudantes de Ibitira criam herbário para catalogar plantas em risco de extinção na região

    Com o intuito de catalogar algumas espécies de plantas em risco de extinção no distrito de Ibitira, em Rio do Antônio, estudantes do Colégio Estadual Professora Lia Publio de Castro, situado na localidade, desenvolveram um herbário. A iniciativa integra o projeto “Herbário: plantas em extinção no distrito de Ibitira”, que conquistou o 1º lugar na categoria “Cientista Júnior” entre as pesquisas científicas concluídas, na 9ª Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia (FECIBA), realizada de forma on-line, em dezembro de 2021.

    A partir de ideias obtidas por análises no distrito de Ibitira, as estudantes Maria Clara Batista, 16, e Maria Virgínia Viana, 15, ambas do 1° ano do Ensino Médio, perceberam que a população tem pouco conhecimento sobre as espécies de árvores que estão em extinção. Partindo deste problema, elas resolveram produzir um herbário para que sirva de exemplo para futuros estudos de plantas em extinção e, também, para informar à população sobre as implicações que poderiam ocorrer caso essas plantas desaparecessem do ecossistema.

    Maria Clara Batista falou sobre o impacto do projeto na sociedade. “Plantas em risco de extinção é um entrave grande no que tange a flora da região. No entanto, é mais problemático ainda que a população não saiba as graves consequências que isso gera. Nosso trabalho tem importante papel na conscientização de cada cidadão do distrito de Ibitira, uma vez que os mesmos podem obter informações suficientes sobre a temática em pauta e, por sua vez, parar e repensar seus hábitos, moldando-os para melhor ajudar o meio ambiente. Ademais, o projeto pode servir para futuros estudos de plantas na região”.

    Para Maria Virgínia Viana, a iniciativa contribuiu para o seu aprendizado. “O projeto me trouxe uma reflexão sobre como os danos ambientais não estão tão longe assim, pois, mesmo próximos a mim, se nota isso pela quase extinção das plantas, que estão presentes no projeto e não são poucas. Isso conseguiu me conscientizar em certos pontos, trazendo uma preocupação maior e ajudando a levar esse conhecimento às pessoas próximas para evitar, mesmo que minimamente, a perda dessas plantas importantes para a sobrevivência de um ecossistema”, comentou.
     
    O orientador Marcos Batista destacou a importância do projeto para o aprendizado e crescimento dos estudantes. “A pesquisa científica é um instrumento transformador, que possibilita a cada estudante experiências que ampliam sua visão de mundo. Ela é capaz de aguçar e alimentar a curiosidade, a criatividade e o protagonismo dos estudantes. Acredito que a educação científica é indispensável dentro do processo de ensino e aprendizagem.

    Rio do Antônio
    Ibira
    Bahia







MAIS NOTÍCIAS