• Criança de 09 e adolescente de 15 anos perdem tratamento contra as drogas, segundo a família a prefeitura negou ajuda

    A criança de 09 anos ás vezes é amarrada para não causar alguma tragédia. Foto ilustrativa

    Duas famílias brumadenses, uma da Urbis IV e outra do Bairro Dr. Juracy, com muita luta e ajuda do conselho tutelar de Brumado, conseguiram uma oportunidade de internar os filhos em uma clinica em Camaçari – Ba, região metropolitana de Salvador, para tratarem dos vícios das drogas.

    Informações obtidas junto aos familiares pelo Destaquebahia, são de que a criança de apenas 09 anos, desde dos 07 já usa drogas, causando grande sofrimento aos pais, já que é muita agressiva, quebra as coisas de dentro da casa, e ás vezes é necessário amarrá - la para ser contida diantes das crises. Já o adolescente morador do Bairro Dr. Juracy, segundo os pais, tem se afundado a cada dia no vício, chegando a tal ponto do mesmo pedir ajuda para uma internação.

    Essas duas famílias buscaram o apoio do Conselho Tutelar de Brumado, que de forma incessante, já que a demanda é muito grande diante desses casos, conseguiu encontrar uma clínica “A Nova Chance” em Camaçari – Bahia, para receberem os garotos; até ai tudo bem, mas ainda faltava uma autorização do Juiz Dr. Genivaldo Guimarães, o qual mesmo com trabalhos excessivos, já que responde por várias comarcas, se sensibilizou com a situação e dedicou o seu precioso tempo para ouvir os familiares e, por fim expediu o alvará, autorizando os conselheiros tutelares e os familiares a levarem a criança e o adolescente para se tratarem.

    Temendo que os garotos desistissem da viagem, o juiz ainda autorizou os policiais, a pedido dos país, a conduzirem os dois garotos  para a delegacia onde aguardariam para viajar no dia seguinte; isso mesmo, aguardariam, porque a viajem não aconteceu.

    Entenda:

    Depois de tudo encaminhado e a família dos garotos felizes da vida por terem encontrado uma forma de ajudarem os filhos, restava apenas o transporte para a viagem – o mínimo se for considerar todo o trabalho que foi para conseguir uma vaga e convencer os garotos a se tratarem.

    Pensando está tudo certo, faltando apenas o transporte, os conselheiros se deslocaram até a prefeitura, onde, procuraram a Secretaria de Ação Social (Sesoc) para disponibilizar o veículo pra transportarem os garotos e os acompanhantes até a clínica, mas, para a triste surpresa, os conselheiros ouviram um “Não” da Secretária Têmis Narvaes. Alegando que o município estava em crise, a secretária não autorizou a liberação de um transporte para o internamento.

    Diante da situação e sem ter mais o que fazer, os conselheiros tiveram que dá a notícia, a qual caiu como uma bomba na vida dos familiares, que indignados, procuraram a reportagem do Destaquebahia para relatar, o que considerou um descaso e descompromisso do município para com eles e a sociedade, já que as drogas é mais que uma questão de Saúde Pública, é também uma questão social,sendo dever do município fazer com que essas pessoas tenha toda assistência devida, mas pelo o contrario, o mínimo ainda foi negado.

    “É injusto, é um absurdo! O mais difícil seria conseguir a vaga na clinica e a ordem do Juiz. Conseguimos isso tudo, e na hora que precisamos do município tivemos ajuda negada. É um absurdo a prefeitura não ceder um carro para internar essa criança e esse adolescente; fizemos tanto esforço para acabar resultando nisso - a secretaria não fez nenhum esforço para nos ajudar.” Expressou indignada Jaqueline Meira, Mãe de um dos garotos.

    Destaquebahia procurou a Secretária Têmis Narvaes, que disse: “O transporte foi autorizado, no entanto, a clínica que iria receber os garotos para o tratamento sem nenhum custo mensal acabou fechando, sendo necessário leva – los para outra clínica onde o município teria um custo mensal de 600 Reais com os dois Garotos, valor que não poderia ser disponibilizado por que o município não dispõe de verba para essa despesa, e também é uma questão de Saúde, ou seja, de responsabilidade de outra secretaria e não da Sesoc, porém, estamos unindo esforços para conseguirmos esse tratamento”.  Disse Têmis.

    Destaquebahia apresentou a versão da secretária aos familiares que rebateram dizendo:  “O Transporte foi sim, negado, já que a Clínica iria ficar com os dois garotos sem nenhum custo, durante o período em que o Conselho Tutelar iria apresentar o caso ao Ministério Público, o qual iria entrar com uma ação obrigando o município a acatar com os custos e apresentar ao Juiz, o qual, certamente julgaria procedente, já que o mesmo conhece a situação dos garotos”. Disse Jaqueline Meira, mãe de um dos garotos.

    Devido a situação em que se encontram os dois garotos viciados em drogas, a família solicitará ao conselho tutelar para que acione a justiça, e esperançosos acreditam que certamente o município será obrigado, mediante ao mandado judicial a se responsabilizar pelo custos, tendo assim a oportunidade de verem os dois garotos livres e felizes novamente.




MAIS NOTÍCIAS